Mou­rão ex­põe em­ba­te en­tre Onyx e mi­li­ta­res

Tran­si­ção. Vi­ce-pre­si­den­te elei­to diz que fu­tu­ro che­fe da Ca­sa Civil deverá dei­xar go­ver­no se for com­pro­va­do que ele co­me­teu ‘ili­ci­tu­de’; co­or­de­na­ção dos mi­nis­té­ri­os es­tá em dis­pu­ta

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - Ve­ra Rosa Tânia Mon­tei­ro / BRA­SÍ­LIA Le­o­nar­do Au­gus­to ES­PE­CI­AL PA­RA O ES­TA­DO BELO HORIZONTE / COLABORARAM LU AIKO OTTA e JULIA LINDNER

Ha­mil­ton Mou­rão de­fen­deu que, se denúncias con­tra Onyx Lo­ren­zo­ni fo­rem com­pro­va­das, o fu­tu­ro mi­nis­tro de­ve­ria “se re­ti­rar” do go­ver­no. A afir­ma­ção ex­põe o atri­to en­tre Onyx e mi­li­ta­res. Bol­so­na­ro dis­se que sua “ca­ne­ta se­rá usa­da” se denúncia for ro­bus­ta.

As di­ver­gên­ci­as na equi­pe de tran­si­ção do go­ver­no Jair Bol­so­na­ro fi­ca­ram mais evi­den­tes on­tem, qu­an­do o ge­ne­ral Ha­mil­ton Mou­rão, vi­ce-pre­si­den­te elei­to, expôs o em­ba­te en­tre o gru­po de mi­li­ta­res da no­va ad­mi­nis­tra­ção e o fu­tu­ro mi­nis­tro da Ca­sa Civil, Onyx Lo­ren­zo­ni (DEM-RS). Nos bastidores, há uma dis­pu­ta pe­lo co­man­do da co­or­de­na­ção de go­ver­no e re­cla­ma­ções so­bre a for­ma co­mo Onyx tem bus­ca­do pro­ta­go­nis­mo.

Em Belo Horizonte, on­de es­te­ve pa­ra par­ti­ci­par de um en­con­tro com em­pre­sá­ri­os, Mou­rão dis­se que, se fo­rem en­con­tra­das ir­re­gu­la­ri­da­des na in­ves­ti­ga­ção aber­ta con­tra Onyx, ele te­rá de dei­xar o go­ver­no.

Re­la­tor da La­va Ja­to no Su­pre­mo Tribunal Fe­de­ral (STF), o mi­nis­tro Ed­son Fa­chin aten­deu a pedido da Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da Re­pú­bli­ca e de­ter­mi­nou a aber­tu­ra de pe­ti­ção autô­no­ma (fa­se an­te­ri­or ao inqué­ri­to) pa­ra apu­rar denúncias de pa­ga­men­tos de caixa 2 da J&F ao de­pu­ta­do Onyx nas cam­pa­nhas de 2012 e 2014. “Uma vez que seja com­pro­va­do que hou­ve ili­ci­tu­de, é ób­vio que te­rá que se re­ti­rar do go­ver­no. Mas, por en­quan­to, é uma in­ves­ti­ga­ção”, afir­mou Mou­rão.

As de­cla­ra­ções do ge­ne­ral es­quen­ta­ram ain­da mais o cli­ma com Onyx, que ne­ga as acu­sa­ções e che­gou a di­zer que a in­ves­ti­ga­ção era uma “bên­ção” pa­ra que o ca­so fos­se es­cla­re­ci­do.

Em Bra­sí­lia, ques­ti­o­na­do so­bre as afir­ma­ções de Mou­rão, Bol­so­na­ro ti­tu­be­ou an­tes de res­pon­der. “Em ha­ven­do qual­quer com­pro­va­ção de uma denúncia ro­bus­ta, con­tra quem quer que es­te­ja no go­ver­no, ao al­can­ce da mi­nha ca­ne­ta BIC, ela se­rá usa­da”, dis­se o pre­si­den­te elei­to.

Na prá­ti­ca, há uma ava­li­a­ção do nú­cleo mi­li­tar – ho­je com se­te in­te­gran­tes in­di­ca­dos pa­ra o pri­mei­ro escalão – de que se­rá im­pos­sí­vel Onyx con­du­zir ne­go­ci­a­ções com o Con­gres­so e ain­da acu­mu­lar a co­or­de­na­ção da equi­pe mi­nis­te­ri­al. Es­sa cons­ta­ta­ção se ba­seia no fa­to de as du­as ta­re­fas exi­gi­rem mui­to tra­ba­lho e de­di­ca­ção pa­ra fi­ca­rem sob a responsabilidade de um só mi­nis­tro.

A ideia da cri­a­ção de um cen­tro de mo­ni­to­ra­men­to do go­ver­no, que se­ria che­fi­a­do por Mou­rão, foi dei­xa­da de la­do. Nin­guém, no en­tan­to, ar­ris­ca um pal­pi­te so­bre quan­to tem­po du­ra­rá a de­ci­são, já que os anún­ci­os dos úl­ti­mos di­as so­bre a con­fi­gu­ra­ção da Es­pla­na­da fo­ram mar­ca­dos por idas e vin­das.

O no­vo em­ba­te no nú­cleo da tran­si­ção é pa­ra que o con­tro­le das ações ad­mi­nis­tra­ti­vas fi­que com a Se­cre­ta­ria de Go­ver­no, nas mãos do ge­ne­ral Car­los Al­ber­to dos Santos Cruz, de­sig­na­do pa­ra fa­zer a in­ter­lo­cu­ção com Es­ta­dos e municípios, além de cui­dar do Pro­gra­ma de Par­ce­ri­as de In­ves­ti­men­tos (PPI). Nes­ta se­ma­na, po­rém, o pró­prio Onyx as­se­gu­rou que a co­or­de­na­ção de go­ver­no per­ma­ne­ce­ria na Ca­sa Civil.

Mou­rão afir­mou on­tem que ao me­nos par­te da ar­ti­cu­la­ção po­lí­ti­ca do Pa­lá­cio do Pla­nal­to po­de­rá fi­car sob co­man­do dos mi­li­ta­res. O vi­ce dis­se que ele mes­mo po­de­rá par­ti­ci­par, as­sim co­mo Santos Cruz, e re­pe­tiu que se­rá “o es­cu­do e a es­pa­da” de Bol­so­na­ro. “O es­cu­do de­fen­de e a es­pa­da ata­ca an­tes de ele ser ata­ca­do”, com­pa­rou.

Pro­ble­mas. O des­gas­te de Onyx tam­bém é sen­ti­do no Con­gres­so, on­de, a por­tas fe­cha­das, di­ri­gen­tes de vá­ri­os par­ti­dos di­zem que o fu­tu­ro che­fe da Ca­sa Civil não tem jo­go de cin­tu­ra po­lí­ti­ca. In­sa­tis­fei­tos, in­te­gran­tes de si­glas co­mo PP, PTB, Solidariedade, PRB, PSDB, PSB e até o DEM agem pa­ra for­mar um blo­co que dê as car­tas do po­der na Câ­ma­ra, a par­tir de 2019, iso­lan­do o PSL de Bol­so­na­ro. O gru­po de­fen­de a re­con­du­ção de Ro­dri­go Maia à pre­si­dên­cia da Ca­sa.

O mo­de­lo de ar­ti­cu­la­ção po­lí­ti­ca pre­vis­to por Onyx te­rá a co­la­bo­ra­ção de po­lí­ti­cos que não se ele­ge­ram nes­te ano. Já fo­ram con­vi­da­dos pa­ra a ta­re­fa o can­di­da­to derrotado ao go­ver­no do Es­pí­ri­to San­to Car­los Ma­na­to (PSL) e os de­pu­ta­dos não re­e­lei­tos Le­o­nar­do Quin­tão (MDB-MG), Da­ni­lo For­te (PSDB-CE), Wal­ter Ihoshi (PSD-SP), Mil­ton Mon­ti (PRSP) e Mar­ce­lo De­la­ro­li (PRRJ). Após en­con­tro com Bol­so­na­ro, on­tem, a ban­ca­da do PR anun­ci­ou que in­te­gra­rá ofi­ci­al­men­te a ba­se do fu­tu­ro go­ver­no (mais in­for­ma­ções na pág. A6).

A es­co­lha de Da­ni­lo For­te pa­ra fa­zer a “ponte” com o Nor­des­te, por exem­plo, já pro­vo­ca crí­ti­cas. Po­lí­ti­cos de Per­nam­bu­co se quei­xam da fal­ta de no­mes do Es­ta­do na equi­pe. O fa­to de Bol­so­na­ro não ter cha­ma­do o de­pu­ta­do Men­don­ça Filho (DEMPE) pa­ra ne­nhum car­go tam­bém cau­sou con­tra­ri­e­da­de em po­lí­ti­cos per­nam­bu­ca­nos e é atri­buí­do a uma rus­ga que Onyx te­ria com ele. Men­don­ça Filho foi mi­nis­tro da Educação no go­ver­no de Mi­chel Te­mer, con­cor­reu ao Se­na­do, mas não se ele­geu. On­tem à noi­te, po­rém, o ex-go­ver­na­dor do Es­ta­do Joaquim Fran­cis­co (PSDB) foi con­vi­da­do pa­ra fa­zer par­te da equi­pe de tran­si­ção.

Pro­cu­ra­do, Onyx não se ma­ni­fes­tou.

DIDA SAM­PAIO/ESTADÃO–4/12/2018

De­cla­ra­ções do vi­ce-pre­si­den­te elei­to, ge­ne­ral Ha­mil­ton Mou­rão, es­quen­ta­ram o cli­ma com Onyx Lo­ren­zo­ni

FEPESIL/FU­TU­RA PRESS–4/10/2018

Di­ver­gên­ci­as.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.