Pro­je­tos na Câ­ma­ra po­dem cau­sar rom­bo de R$ 47 bi­lhões

Votações de­vem ocor­rer na pró­xi­ma se­ma­na, no fi­nal da atu­al le­gis­la­tu­ra; go­ver­no de tran­si­ção ten­ta bar­rar pro­je­tos

O Estado de S. Paulo - - Primeira Página - Ca­mi­la Turtelli Adri­a­na Fer­nan­des / BRASÍLIA COLABOROU CRISTIAN FAVARO /

A Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos de­ve pra­ti­ca­men­te en­cer­rar a atu­al le­gis­la­tu­ra com a vo­ta­ção, na pró­xi­ma se­ma­na, de di­ver­sas pau­tas-bom­ba em qu­a­tro ses­sões con­se­cu­ti­vas. Se os pro­je­tos fo­rem apro­va­dos, a con­ta pa­ra os pró­xi­mos anos po­de pas­sar de R$ 47 bi­lhões. Uma for­ça-ta­re­fa es­tá sen­do mon­ta­da pe­los ne­go­ci­a­do­res do atu­al e do pró­xi­mo go­ver­no pa­ra ten­tar bar­rar pro­je­tos, mas a ava­li­a­ção é de que a dis­pu­ta pe­la pre­si­dên­cia da Câ­ma­ra na pró­xi­ma le­gis­la­tu­ra con­ta­mi­na as votações. O de­pu­ta­do De­le­ga­do Wal­dir (PSL-GO) re­ce­beu ori­en­ta­ções do atu­al e do fu­tu­ro go­ver­no so­bre co­mo pro­ce­der. O pro­je­to mais po­lê­mi­co da agen­da, o do par­ce­la­men­to das dí­vi­das com o Fun­ru­ral, tem cus­to es­ti­ma­do de R$ 34 bi­lhões. Tam­bém es­tá pre­vis­ta a vo­ta­ção da re­no­va­ção de be­ne­fí­ci­os pa­ra Su­de­ne e Su­dam e a ex­ten­são do in­cen­ti­vo pa­ra Su­de­co, num to­tal de R$ 9,3 bi­lhões.

A Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos de­ve pra­ti­ca­men­te en­cer­rar as votações da atu­al le­gis­la­tu­ra na se­ma­na que vem, com a re­a­li­za­ção de qu­a­tro ses­sões con­se­cu­ti­vas re­che­a­das de “pau­tas-bom­ba”, que po­dem dei­xar uma fa­tu­ra sal­ga­da pa­ra o pre­si­den­te elei­to Jair Bol­so­na­ro. O rom­bo pa­ra os pró­xi­mos anos po­de pas­sar de R$ 47 bi­lhões se os pro­je­tos fo­rem apro­va­dos.

Uma for­ça-ta­re­fa de con­ten­ção de da­nos es­tá sen­do mon­ta­da pe­los ne­go­ci­a­do­res do go­ver­no e da tran­si­ção, mas a ava­li­a­ção é que não se­rá uma mis­são fá­cil – até por­que es­tá em cur­so uma dis­pu­ta pe­la pre­si­dên­cia da Câ­ma­ra que aca­ba con­ta­mi­nan­do as votações. O por­ta-voz des­sa es­pé­cie de bar­rei­ra às pau­tas-bom­ba é o de­pu­ta­do De­le­ga­do Wal­dir (PSL-GO), do par­ti­do do pre­si­den­te elei­to. Ele che­gou a re­ce­ber ori­en­ta­ções das equi­pes dos go­ver­nos atu­al e fu­tu­ro de co­mo pro­ce­der pa­ra con­se­guir bar­rar os pro­je­tos.

“Eu me sin­to pre­o­cu­pa­do com a fu­tu­ra ad­mi­nis­tra­ção do nos­so pre­si­den­te e fi­ca­mos um pou­co as­sus­ta­dos por­que, na ho­ra em que se es­tá fe­chan­do o go­ver­no, há pro­je­tos chei­os de ja­bu­tis (no jar­gão le­gis­la­ti­vo, dis­po­si­ti­vos que não têm re­la­ção com a ma­té­ria prin­ci­pal do pro­je­to) e de me­di­das pa­ra fer­rar o ci­da­dão. Tu­do is­so de­pois cai no co­lo do ci­da­dão”, dis­se Wal­dir, so­bre seu no­vo pa­pel na Câ­ma­ra.

O pro­je­to mais po­lê­mi­co da agen­da que au­men­ta os gas­tos con­ta com o patrocínio da ban­ca­da ru­ra­lis­ta, apoi­a­do­ra de pri­mei­ra ho­ra de Bol­so­na­ro. O par­ce­la­men­to das dí­vi­das (Re­fis) com o Fun­ru­ral (a pre­vi­dên­cia do se­tor) tem cus­to es­ti­ma­do de R$ 34 bi­lhões. Eles ten­tam tam­bém ne­go­ci­ar a edi­ção de no­va me­di­da pro­vi­só­ria (MP) pa­ra am­pli­ar o pra­zo de re­ne­go­ci­a­ção do pas­si­vo do tri­bu­to. Co­mo o pra­zo ven­ce em 31 de de­zem­bro, o se­tor ga­nha­ria tem­po pa­ra ne­go­ci­ar com o fu­tu­ro go­ver­no uma saí­da pa­ra o im­bró­glio.

Tam­bém es­tá pre­vis­ta a vo­ta­ção do pro­je­to que re­no­va be­ne­fí­ci­os pa­ra Su­de­ne e Su­dam e ex­ten­são do in­cen­ti­vo pa­ra Su­de­co (R$ 9,3 bi­lhões), de au­to­ria do pre­si­den­te do Se­na­do, Eu­ní­cio Oli­vei­ra (MDB-CE), e do pro­je­to que re­par­te os re­cur­sos do fun­do social do pré-sal com Es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os, que tem co­mo “ja­bu­ti” um per­dão de dí­vi­da de R$ 4 bi­lhões pa­ra a Ce­mig, além da cri­a­ção de um fun­do pa­ra ban­car a cons­tru­ção de ga­so­du­tos. O pro­je­to é uma de­man­da da ban­ca­da mi­nei­ra e de pre­fei­tos e go­ver­na­do­res, que pre­ten­dem di­mi­nuir o rom­bo das ad­mi­nis­tra­ções re­gi­o­nais.

O pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, Ro­dri­go Maia (DEM), de­fen­deu a im­por­tân­cia do pro­je­to pa­ra o se­tor de ga­so­du­tos e dis­se que a “par­te po­lê­mi­ca”, o per­dão de dí­vi­das da Ce­mig, não de­ve ser apro­va­da. “O tex­to é im­por­tan­te pa­ra a ques­tão do ga­so­du­to, mas a ques­tão da Ce­mig é te­ma po­lê­mi­co”, dis­se. Há ou­tros pro­je­tos que de­vem ge­rar des­pe­sas, mas que ain­da não são pos­sí­veis de cal­cu­lar, co­mo o da ges­tão com­par­ti­lha­da que pre­vê a con­tra­ta­ção de pes­so­al pe­la União.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.