Ex-se­cre­tá­rio de Jus­ti­ça é es­co­lhi­do pa­ra vol­tar ao car­go.

Trump in­di­ca­rá Wil­li­am Barr, crí­ti­co das in­ves­ti­ga­ções so­bre a in­fluên­cia rus­sa nas elei­ções de 2016, pa­ra co­man­dar o De­par­ta­men­to de Jus­ti­ça

O Estado de S. Paulo - - Internacional - WASHING­TON / NYT

O pre­si­den­te dos Es­ta­dos Uni­dos, Do­nald Trump, afir­mou on­tem que in­di­ca­rá Wil­li­am Barr, que foi se­cre­tá­rio de Jus­ti­ça de Ge­or­ge H. W. Bush (1991 a 1993), pa­ra co­man­dar no­va­men­te o De­par­ta­men­to de Jus­ti­ça. Se apro­va­do pe­lo Se­na­do, ele subs­ti­tui­rá Jeff Ses­si­ons, que dei­xou o car­go no mês pas­sa­do em meio à po­lê­mi­ca in­ves­ti­ga­ção es­pe­ci­al, sob res­pon­sa­bi­li­da­de do de­par­ta­men­to, so­bre a in­ter­fe­rên­cia rus­sa nas elei­ções de 2016.

Barr te­rá de ser con­fir­ma­do pe­lo Se­na­do, on­de o par­ti­do do pre­si­den­te tem maioria. A vo­ta­ção se­rá um dos mai­o­res tes­tes pa­ra um se­cre­tá­rio de Jus­ti­ça ame­ri­ca­no em ra­zão da in­ves­ti­ga­ção es­pe­ci­al que é con­du­zi­da den­tro do de­par­ta­men­to. “Ele foi a mi­nha pri­mei­ra es­co­lha des­de o pri­mei­ro dia”, dis­se Trump a re­pór­te­res na Ca­sa Bran­ca an­tes de em­bar­car pa­ra Kan­sas City, Mis­sou­ri. “Ele se­rá no­me­a­do.”

Barr tem cri­ti­ca­do as­pec­tos des­sa in­ves­ti­ga­ção, que apu­ra se hou­ve in­ter­fe­rên­cia rus­sa nas elei­ções que de­ram a vi­tó­ria a Trump. Barr che­gou a su­ge­rir que o pro­mo­tor es­pe­ci­al Ro­bert Mu­el­ler, res­pon­sá­vel pe­lo inqué­ri­to, con­tra­tou pro­cu­ra­do­res que fi­ze­ram do­a­ções pa­ra cam­pa­nhas do Par­ti­do De­mo­cra­ta. “Es­sa cer­ta­men­te se­rá uma das ques­tões que eu gos­ta­ria de ter cer­te­za so­bre o que ele pen­sa, se ele vai man­ter a in­ves­ti­ga­ção in­de­pen­den­te”, dis­se a se­na­do­ra re­pu­bli­ca­na Su­san Col­lins.

A es­co­lha de Trump por Barr, que apoia for­te­men­te os po­de­res do Exe­cu­ti­vo pa­ra go­ver­nar sem o Con­gres­so, ga­nhou for­ça na úl­ti­ma se­ma­na após a recepção tur­bu­len­ta que te­ve a in­di­ca­ção de Matthew Whi­ta­ker co­mo se­cre­tá­rio in­te­ri­no.

O ex-se­cre­tá­rio do go­ver­no

Ge­or­ge H.W. Bush tem apoi­a­do os pe­di­dos do pre­si­den­te Trump so­bre uma no­va in­ves­ti­ga­ção cri­mi­nal con­tra sua an­ti­ga ri­val nas elei­ções, Hil­lary

Clin­ton, in­cluin­do uma so­bre um acor­do de mi­ne­ra­ção de urâ­nio apro­va­do du­ran­te o go­ver­no de Ba­rack Oba­ma, qu­an­do ela era a se­cre­tá­ria de Es­ta­do.

Barr, de 68 anos, co­me­çou sua car­rei­ra nos anos 70, na CIA e, mais tar­de, foi pa­ra a Ca­sa Bran­ca de Ro­nald Re­a­gan an­tes de dei­xar o ser­vi­ço pú­bli­co pa­ra atu­ar co­mo ad­vo­ga­do.

Em 1989, o pre­si­den­te Ge­or­ge H.W. Bush o es­co­lheu pa­ra che­fi­ar uma se­ção no De­par­ta­men­to de Jus­ti­ça. De­pois, foi ele­va­do a sub­se­cre­tá­rio de Jus­ti­ça e, em se­gui­da, a se­cre­tá­rio.

Em uma pa­les­tra em no­vem­bro de 1992, Barr expôs seu con­cei­to de um se­cre­tá­rio de Jus­ti­ça ide­al. Pa­ra ele, a le­al­da­de má­xi­ma de­ve ser pa­ra com o es­ta­do de di­rei­to, não com o pre­si­den­te que o es­co­lheu.

Co­mo se­cre­tá­rio de Jus­ti­ça, Barr tam­bém te­rá um gran­de con­tro­le so­bre o sis­te­ma de jus­ti­ça cri­mi­nal. Barr tem um his­tó­ri­co de apoio à gu­er­ra às dro­gas e ao en­car­ce­ra­men­to em mas­sa.

SCOTT APPLEWHITE/AP-6/12/2018

Re­tor­no. Barr (E) ao la­do do ex-pre­si­den­te Bush, em 1991; co­man­do di­re­to so­bre in­ves­ti­ga­ção so­bre in­fluên­cia da Rús­sia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.