Ami­gos ape­la­ram a Evo por re­fú­gio

Priscila Pe­rei­ra es­pe­ra que pe­na de Bat­tis­ti se­ja re­du­zi­da; ita­li­a­no pe­diu asi­lo na Bo­lí­via e vin­cu­lou fu­ga à elei­ção do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - Ricardo Ga­lhar­do Ja­mil Cha­de CORRESPONDENTE / GENEBRA

An­tes de Ce­sa­re Bat­tis­ti ser le­va­do à Itá­lia, ami­gos no Bra­sil fi­ze­ram uma úl­ti­ma ten­ta­ti­va de evi­tar a ex­tra­di­ção e pe­di­ram em car­ta ao vi­ce-pre­si­den­te da Bo­lí­via, Ál­va­ro Li­ne­ra, que o go­ver­no Evo Mo­ra­les des­se re­fú­gio po­lí­ti­co ao ita­li­a­no.

A pro­fes­so­ra Priscila Luana Pe­rei­ra, ex-companheira de Ce­sa­re Bat­tis­ti, es­pe­ra que as au­to­ri­da­des da Itá­lia re­ve­jam a pe­na de pri­são per­pé­tua apli­ca­da ao ita­li­a­no pre­so an­te­on­tem na Bo­lí­via e ex­tra­di­ta­do pa­ra seu país. “Acre­di­to que os de­fen­so­res dos di­rei­tos hu­ma­nos vão pe­dir a re­du­ção da pe­na. Ce­sa­re foi jul­ga­do à re­ve­lia e a sen­ten­ça é mui­to du­ra”, dis­se ela ao Es­ta­do, on­tem, pou­co de­pois de saber que o avião que le­va­ria Bat­tis­ti de vol­ta à Itá­lia ha­via de­co­la­do de San­ta Cruz de La Si­er­ra.

Priscila mo­ra em São Jo­sé do Rio Pre­to (SP) com o fi­lho do ca­sal, de cin­co anos, mas re­ce­beu a no­tí­cia da pri­são de Bat­tis­ti em Ca­na­neia (SP), on­de o ita­li­a­no tem uma ca­sa.

Ela dis­se te­mer pe­la vi­da do ex-com­pa­nhei­ro na ca­deia. “Ce­sa­re já tem al­gu­ma ida­de e pro­ble­mas de saú­de co­mo he­pa­ti­te, pre­ci­sa to­mar me­di­ca­men­to. Os pró­xi­mos pas­sos são pa­ra ga­ran­tir que ele não fi­que em con­di­ções in­sa­lu­bres”, afir­mou.

Se­gun­do Priscila, Bat­tis­ti ain­da tem fa­mí­lia na Itá­lia (um ir­mão e so­bri­nhos), du­as fi­lhas e um ne­to na Fran­ça além de uma re­de de ad­vo­ga­dos e co­la­bo­ra­do­res es­pa­lha­da pe­la Eu­ro­pa.

Priscila dis­se não en­ten­der o mo­ti­vo de o go­ver­no Jair Bol­so­na­ro ter en­vi­a­do um avião pa­ra a Bo­lí­via de­pois da de­ten­ção. “A par­tir do mo­men­to que ele saiu do Bra­sil o as­sun­to é da Bo­lí­via co­ma Itá­lia”, afir­mou.

Em­bo­ra não te­nha con­ta­to com Bat­tis­ti des­de o ano pas­sa­do, Priscila foi al­vo de ações da Po­lí­cia Fe­de­ral. “Fi­ze­ram bus­cas na mi­nha ca­sa e no lo­cal on­de mo­ra­va an­te­ri­or­men­te”, dis­se ela.

Se­gun­do a pro­fes­so­ra, o fi­lho do ca­sal, ape­sar da pou­ca ida­de, tem sen­ti­do efei­tos da si­tu­a­ção. “Ele não en­ten­de com­ple­ta­men­te o que es­tá acon­te­cen­do, mas sen­te fal­ta do pai, per­gun­ta por que nós es­ta­mos aqui e ele não.”.

Asi­lo. Três di­as de­pois de o ex­pre­si­den­te Mi­chel Te­mer as­si­nar o de­cre­to de ex­tra­di­ção de Ce­sa­re Bat­tis­ti, o ita­li­a­no en­ca­mi­nhou um pe­di­do de asi­lo ao go­ver­no do pre­si­den­te da Bo­lí­via, Evo Mo­ra­les. Bat­tis­ti apre­sen­tou uma so­li­ci­ta­ção de re­fú­gio à Co­mis­são Na­ci­o­nal do Re­fu­gi­a­do (Co­na­re) no dia 18 de de­zem­bro do ano pas­sa­do, quan­do

já era con­si­de­ra­do fo­ra­gi­do in­ter­na­ci­o­nal. No do­cu­men­to, o ita­li­a­no afir­ma que a “ne­fas­ta coin­ci­dên­cia” da che­ga­da ao po­der de dois go­ver­nos de “ul­tra­di­rei­ta” no Bra­sil e na Itá­lia o obri­gou a fu­gir pa­ra a Bo­lí­via.

Ele ci­ta na car­ta o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro. “Pou­cos di­as de­pois de seu triun­fo elei­to­ral, Bol­so­na­ro pro­me­teu pu­bli­ca­men­te que re­a­li­za­rá to­dos os es­for­ços pa­ra me ex­tra­di­tar”, es­cre­veu Bat­tis­ti às au­to­ri­da­des bo­li­vi­a­nas.

No tex­to de qua­tro pá­gi­nas, ele ci­ta tam­bém o ex-pre­si­den­te Luiz Iná­cio Lu­la da Silva – atu­al­men­te pre­so e con­de­na­do na Ope­ra­ção La­va Ja­to –, que lhe con­ce­deu re­fú­gio no fim de 2010. “O ex-pre­si­den­te Luiz Iná­cio Lu­la da Silva (de­pois de ter a cer­te­za de que mi­nha pes­soa não era aque­le mons­tro que o go­ver­no ita­li­a­no ten­ta­va cons­truir, com um pe­di­do de ex­tra­di­ção ab­sur­do) me con­ce­deu re­si­dên­cia per­ma­nen­te”, es­cre­veu Bat­tis­ti.

O ita­li­a­no afir­mou tam­bém que se “dis­tan­ci­ou” de ati­vi­da­des vi­o­len­tas por par­te de gru­pos de es­quer­da nos anos 1970. Bat­tis­ti tam­bém ale­ga que cen­te­nas de pro­ces­sos fo­ram cri­a­dos na épo­ca pa­ra jus­ti­fi­car a pri­são de mi­li­tan­tes, en­tre eles o que ba­se­ou sua pe­na per­pé­tua.

On­tem, an­tes de Bat­tis­ti ser en­vi­a­do pa­ra a Itá­lia, ami­gos no Bra­sil fi­ze­ram uma úl­ti­ma ten­ta­ti­va de evi­tar a ex­tra­di­ção e en­de­re­ça­ram uma car­ta en­de­re­ça­da ao vi­ce-pre­si­den­te da Bo­lí­via, Ál­va­ro Gar­cía Li­ne­ra pe­din­do que o go­ver­no Evo Mo­ra­les con­ce­des­se re­fú­gio po­lí­ti­co ao ita­li­a­no.

A car­ta foi as­si­na­da pe­lo his­to­ri­a­dor ar­gen­ti­no ra­di­ca­do no Bra­sil Carlos Lun­gar­zo, au­tor de um li­vro sobre o ita­li­a­no e ami­go pes­so­al de Bat­tis­ti. “É es­sen­ci­al ter em men­te que se Bat­tis­ti for de­vol­vi­do ao Bra­sil ou en­tre­gue à Itá­lia te­rá uma mor­te ter­rí­vel e mui­to tris­te. Pe­di­mos que Ce­sa­re Bat­tis­ti te­nha re­fú­gio po­lí­ti­co na Bo­lí­via”, diz tre­cho da car­ta.

O tex­to foi en­de­re­ça­do a Li­ne­ra por cau­sa da si­mi­la­ri­da­des en­tre a história do vi­ce-pre­si­den­te da Bo­lí­via e a do ita­li­a­no. Exin­te­gran­te do mo­vi­men­to ar­ma­do Exér­ci­to Gu­er­ri­lhei­ro Tú­pac Ka­ta­ri (EGTK), Li­ne­ra fi­cou pre­so en­tre 1992 e 1997.

AP

Bo­lí­via. Bat­tis­ti, em San­ta Cruz de La Si­er­ra, an­tes de ser pre­so

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.