Co­rinthi­ans e San­tos em­pa­tam em pri­mei­ro tes­te

Ca­ril­le elo­gia pos­tu­ra de­fen­si­va e sai sa­tis­fei­to de Ita­que­ra, en­quan­to Jor­ge Sam­pa­o­li ado­ta tom mais crí­ti­co

O Estado de S. Paulo - - Esportes - João Pra­ta

Co­rinthi­ans e San­tos em­pa­ta­ram por 1 a 1 amis­to­so dis­pu­ta­do on­tem, em Ita­que­ra, no pri­mei­ro tes­te das equi­pes na tem­po­ra­da. Foi a opor­tu­ni­da­de ini­ci­al dos téc­ni­cos Fá­bio Ca­ril­le e Jor­ge Sam­pa­o­li ob­ser­va­rem seus no­vos elen­cos.

Em cam­po, sob olha­res de 33 mil tor­ce­do­res, os dois trei­na­do­res ti­ve­ram pos­tu­ras dis­tin­tas. Ca­ril­le op­tou por uma for­ma­ção mais de­fen­si­va, com a mar­ca­ção atrás do meio de cam­po. Dei­xa­va a bo­la com o ad­ver­sá­rio, co­mo é de pra­xe em su­as equi­pes. Já Sam­pa­o­li até que ten­tou co­lo­car o San­tos pa­ra ata­car, mas en­con­trou di­fi­cul­da­de pa­ra fu­rar as li­nhas de­fen­si­vas do ad­ver­sá­rio.

“Gos­tei mui­to, es­pe­ci­al­men­te do com­por­ta­men­to de­fen­si­vo”, elo­gi­ou Ca­ril­le. “Saio mui­to sa­tis­fei­to. O tor­ce­dor po­de es­pe­rar um ti­me or­ga­ni­za­do. Va­mos atrás dos nos­sos ob­je­ti­vos, pas­so a pas­so.”

Do la­do do San­tos, Sam­pa­o­li foi mais crí­ti­co. “Nós, trei­na­do­res, nun­ca es­ta­mos sa­tis­fei­tos. O tem­po de tra­ba­lho é mui­to cur­to. Três, qua­tro der­ro­tas e o tra­ba­lho ter­mi­na. Sem­pre vi o San­tos co­mo uma equi­pe gran­de e te­mos de res­pei­tar es­sa história”, afir­mou.

O Co­rinthi­ans co­me­çou o amis­to­so com uma equi­pe bas­tan­te mo­di­fi­ca­da em re­la­ção à tem­po­ra­da pas­sa­da. Os re­cém­con­tra­ta­dos Ri­chard, Ra­mi­ro, André Luis e Sor­no­za fo­ram ti­tu­la­res, além de Gus­ta­gol, que vol­tou de em­prés­ti­mo. E foi do cen­tro­a­van­te o gol que abriu o pla­car após cru­za­men­to de André Luis. No in­ter­va­lo, ele agra­de­ceu a Ro­gé­rio Ce­ni, seu trei­na­dor em 2018 no Fortaleza.

“De­pois que saí, pro­cu­rei tra­ba­lhar fir­me, apren­der mais. Te­nho de agra­de­cer ao Ro­gé­rio Ce­ni, que me aju­dou mui­to, e ago­ra é dar con­ti­nui­da­de”, dis­se.

Ca­ril­le tam­bém fez ques­tão de dar um vo­to de con­fi­an­ça pú­bli­co ao ata­can­te. “Ves­tir es­sa ca­mi­sa não é fá­cil. Ele es­te­ve no Bahia, no Goiás, no Fortaleza e te­ve des­ta­que. É um jo­ga­dor de área e tem de fa­zer es­sa bo­la che­gar pa­ra ele”, dis­se.

O San­tos, que pres­si­o­nou mais, em­pa­tou em lan­ce de bo­la pa­ra­da e com aju­da da za­ga ad­ver­sá­ria. Após cru­za­men­to na área, Pe­dro Hen­ri­que des­vi­ou con­tra de­pois de dis­pu­ta pe­lo al­to com Gus­ta­vo Hen­ri­que.

Ca­ril­le es­pe­rou os 15 mi­nu­tos

Fá­bio Ca­ril­le TÉC­NI­CO DO CO­RINTHI­ANS “Gos­tei mui­to, es­pe­ci­al­men­te do com­por­ta­men­to de­fen­si­vo. Saio mui­to sa­tis­fei­to. O tor­ce­dor po­de es­pe­rar um ti­me or­ga­ni­za­do”

do se­gun­do tem­po e tro­cou o ti­me in­tei­ro. Sam­pa­o­li pre­fe­riu ir mu­dan­do aos pou­cos. O pri­mei­ro a en­trar foi Carlos San­chez, que vi­nha sen­do ti­tu­lar em 2018. O San­tos con­ti­nu­ou me­lhor e che­gou a ba­lan­çar a re­de, mas No­gue­ra es­ta­va em po­si­ção de im­pe­di­men­to.

ALEX SILVA/ES­TA­DÃO

En­con­tro. Sam­pa­o­li e Ca­ril­le se cum­pri­men­tam an­tes do jo­go

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.