Com PEC pa­ra­le­la, eco­no­mia vai a R$ 945 bi

Tex­to que in­clui Es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os, que fi­ca­ram de fo­ra da pro­pos­ta prin­ci­pal da Pre­vi­dên­cia, re­ce­beu aval da CCJ do Se­na­do

O Estado de S. Paulo - - Economia - Da­ni­el We­ter­man Edu­ar­do Ro­dri­gues

Com no­vas mu­dan­ças que re­du­zem em R$ 35 bi­lhões o im­pac­to glo­bal da re­for­ma da Pre­vi­dên­cia em dez anos, a cri­a­ção da cha­ma­da PEC pa­ra­le­la re­ce­beu on­tem o aval da Co­mis­são de Cons­ti­tui­ção e Jus­ti­ça (CCJ) do Se­na­do.

Ago­ra, o tex­to que es­ten­de os efei­tos da re­for­ma pa­ra ser­vi­do­res de Es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os se­rá en­ca­mi­nha­do ao ple­ná­rio e vo­ta­do se­pa­ra­da­men­te da re­for­ma prin­ci­pal. O pre­si­den­te do Se­na­do, Da­vi Al­co­lum­bre (DEM-AP), evi­tou es­ta­be­le­cer um pra­zo pa­ra con­clu­são da pro­pos­ta pa­ra­le­la.

A es­tra­té­gia acelera o an­da­men­to da pro­pos­ta em pe­lo me­nos 30 di­as se com­pa­ra­do com uma tra­mi­ta­ção nor­mal, em que o tex­to co­me­ça­ria a ser dis­cu­ti­do da es­ta­ca ze­ro. A ten­ta­ti­va de go­ver­nis­tas é fa­zer com que a PEC pa­ra­le­la se­ja vo­ta­da nos mes­mos pra­zos da re­for­ma prin­ci­pal, cu­jas vo­ta­ções no ple­ná­rio es­tão pre­vis­tas pa­ra 24 de se­tem­bro (1.º tur­no) e 10 de ou­tu­bro (2.º tur­no).

Mes­mo com as mu­dan­ças acei­tas on­tem pe­lo re­la­tor Tas­so Je­reis­sa­ti (PSDB-CE), a PEC pa­ra­le­la ain­da pro­por­ci­o­na uma eco­no­mia con­si­de­rá­vel adi­ci­o­nal em dez anos. Se o tex­to prin­ci­pal tem uma po­tên­cia fis­cal de R$ 870,5 bi­lhões pa­ra a União na pró­xi­ma dé­ca­da, es­se im­pac­to pa­ra o go­ver­no fe­de­ral po­de­rá su­bir pa­ra R$ 945 bi­lhões com a apro­va­ção do tex­to pa­ra­le­lo.

Já a ade­são de Es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os à re­for­ma – que te­rá de ser apro­va­da por ca­da As­sem­bleia Le­gis­la­ti­va com ex­ten­são pa­ra os go­ver­nos mu­ni­ci­pais – po­de ele­var a eco­no­mia glo­bal da re­for­ma pa­ra até R$ 1,295 tri­lhão em dez anos. Es­sa eco­no­mia pres­su­põe que to­dos os go­ver­na­do­res e pre­fei­tos acei­tem en­trar na re­for­ma. Além de ce­der a par­ti­dos e cor­po­ra­ções na PEC pa­ra­le­la, o re­la­tor propôs pon­tos que en­con­tram re­sis­tên­cia no Con­gres­so, co­mo a co­bran­ça de con­tri­bui­ção pre­vi­den­ciá­ria pa­ra o agro­ne­gó­cio e en­ti­da­des filantrópi­cas (com ex­ce­ção de San­tas Ca­sas e ins­ti­tui­ções de as­sis­tên­cia so­ci­al).

Mais mu­dan­ças. On­tem, Je­reis­sa­ti aco­lheu qua­tro no­vas mu­dan­ças na pa­ra­le­la. A su­ges­tão pa­ra se cri­ar um be­ne­fí­cio uni­ver­sal pa­ra cri­an­ças em si­tu­a­ção de po­bre­za re­du­ziu a eco­no­mia do tex­to em R$ 10 bi­lhões em uma dé­ca­da. Já a apo­sen­ta­do­ria de 100% do va­lor em ca­so de in­ca­pa­ci­da­de que ge­re de­fi­ci­ên­cia ou se­ja pro­vo­ca­da por do­en­ça neu­ro­de­ge­ne­ra­ti­va te­ve im­pac­to de R$ 5 bi­lhões. O re­la­tor tam­bém aco­lheu a pos­si­bi­li­da­de de acú­mu­lo de pen­sões ca­so ha­ja de­pen­den­te com de­fi­ci­ên­cia in­te­lec­tu­al, men­tal ou gra­ve, com im­pac­to de R$ 2 bi­lhões a R$ 3 bi­lhões.

Je­reis­sa­ti tam­bém fle­xi­bi­li­zou as re­gras pa­ra os po­li­ci­ais. Em uma emen­da, ele per­mi­tiu que po­li­ci­ais que in­gres­sa­ram na car­rei­ra até 2003 se apo­sen­tem com a to­ta­li­da­de do úl­ti­mo sa­lá­rio da car­rei­ra (in­te­gra­li­da­de) e com re­a­jus­tes iguais aos da ati­va (pa­ri­da­de). Além dis­so, o tex­to ga­ran­te a ida­de mí­ni­ma de 55 anos pa­ra ho­mem e mu­lher nes­ses ca­sos. A re­du­ção de eco­no­mia com as du­as mu­dan­ças é de R$ 17 bi­lhões.

Após ter si­do ba­ti­za­da de “PEC da Ba­le­la” por par­la­men­ta­res da opo­si­ção nos de­ba­tes na CCJ, o pre­si­den­te da Ca­sa de­fen­deu o tex­to. “Se não co­lo­car­mos Es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os na re­for­ma, a União te­rá de so­cor­rê­los da­qui a al­guns anos, dei­xan­do de di­re­ci­o­nar re­cur­sos pa­ra áre­as im­por­tan­tes. Não se­ria um ajus­te com­ple­to se Es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os fi­cas­sem de fo­ra da re­for­ma”, afir­mou Al­co­lum­bre ao par­ti­ci­par do en­cer­ra­men­to dos tra­ba­lhos da co­mis­são.

A in­clu­são dos go­ver­nos re­gi­o­nais na re­for­ma não foi fei­ta pe­la Câ­ma­ra por­que não hou­ve am­bi­en­te po­lí­ti­co pa­ra a apro­va­ção des­sa par­te. Mas, se­gun­do Al­co­lum­bre, o pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-RJ), as­se­gu­rou que a pro­pos­ta de Je­reis­sa­ti in­cluí­da na PEC pa­ra­le­la tem con­di­ções de ser apro­va­da pe­los de­pu­ta­dos.

Da­vi Al­co­lum­bre de­fen­deu in­clu­são de Es­ta­dos e mu­ni­cí­pi­os na PEC pa­ra­le­la So­cor­ro.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.