Com­pro­mis­so com a cri­a­ção

O Estado de S. Paulo - - Espaço aberto - DOM JO­EL POR­TEL­LA AMA­DO

Nes­ta se­ma­na em que se co­me­mo­rou o Dia da Amazônia (5 de se­tem­bro), a pou­co mais de um mês do Sí­no­do dos Bis­pos so­bre no­vos ca­mi­nhos pa­ra a evan­ge­li­za­ção e pa­ra uma eco­lo­gia in­te­gral, con­vém olhar o pas­sa­do e com­pre­en­der a re­la­ção en­tre o sí­no­do e a mis­são da Igre­ja. Não são de ago­ra a re­fle­xão e o cui­da­do da Igre­ja Ca­tó­li­ca no Bra­sil com o meio am­bi­en­te, es­pe­ci­al­men­te com a Amazônia.

Pre­sen­te des­de o pe­río­do co­lo­ni­al na re­gião, a Igre­ja es­te­ve sem­pre pró­xi­ma das po­pu­la­ções lo­cais. Des­de o sé­cu­lo 17 há re­gis­tros da atu­a­ção na evan­ge­li­za­ção e na pro­mo­ção hu­ma­na, com ofer­ta de ser­vi­ços es­sen­ci­ais às po­pu­la­ções, prin­ci­pal­men­te em edu­ca­ção e saú­de. A de­fe­sa dos di­rei­tos hu­ma­nos e a lu­ta pe­la preservaçã­o da biodiversi­dade tam­bém fa­zem par­te da me­mó­ria des­sa pre­sen­ça, mar­ca­da até mes­mo pe­lo martírio de re­li­gi­o­sos e lei­gos.

Em 1954 o en­tão se­cre­tá­ri­o­ge­ral da Con­fe­rên­cia Na­ci­o­nal dos Bis­pos do Bra­sil (CNBB), dom Hél­der Câ­ma­ra, con­vo­cou uma reu­nião com os bis­pos pre­la­dos da re­gião pa­ra bus­car o for­ta­le­ci­men­to da mis­são e a re­no­va­ção do em­pe­nho em fa­vor da pro­mo­ção hu­ma­na das po­pu­la­ções amazô­ni­cas.

A exor­ta­ção do pa­pa Pau­lo VI Cris­to apon­ta pa­ra a Amazônia, de 1972, mar­cou um no­vo im­pul­so na a atu­a­ção ecle­si­al e for­ta­le­ceu a pre­sen­ça evan­ge­li­za­do­ra da par­te da CNBB na re­gião. Ani­ma­dos por es­se im­pul­so, os bis­pos da re­gião se en­con­tra­ram em as­sem­bleia con­jun­ta em San­ta­rém (PA) e cons­truí­ram o do­cu­men­to Li­nhas pri­o­ri­tá­ri­as da Pas­to­ral da Amazônia, que foi de­ter­mi­nan­te pa­ra ori­en­tar a ca­mi­nha­da da Igre­ja de 1972 a 1997.

Nes­se in­ter­va­lo de tem­po, a ques­tão eco­ló­gi­ca ga­nhou es­pa­ço na re­fle­xão so­bre o tra­ba­lho de­sen­vol­vi­do, te­má­ti­ca na qual a Igre­ja, já há al­gum tem­po tem si­do uma voz pro­fé­ti­ca. Foi tam­bém a par­tir de en­con­tros dos bis­pos e da atu­a­ção da Igre­ja na Amazônia que sur­gi­ram or­ga­nis­mos que até ho­je atu­am na de­fe­sa de po­vos e da biodiversi­dade.

Si­nais e ins­pi­ra­ção des­se com­pro­mis­so são as di­ver­sas

Cam­pa­nhas da Fra­ter­ni­da­de pro­mo­vi­das pe­la CNBB. Seis de­las abor­da­ram te­má­ti­cas so­ci­o­am­bi­en­tais. Du­as tra­ta­ram es­pe­ci­fi­ca­men­te de ques­tões da Amazônia: em 2002, com o le­ma “Por uma ter­ra sem ma­les!”, a cam­pa­nha dis­cu­tiu a re­a­li­da­de dos po­vos in­dí­ge­nas; já em 2007 o te­ma es­co­lhi­do foi “Fra­ter­ni­da­de e Amazônia” e o le­ma, “Vi­da e mis­são nes­te chão”. Nes­ta úl­ti­ma, o ob­je­ti­vo foi co­nhe­cer a re­a­li­da­de em que vi­vem os po­vos da re­gião, sua cul­tu­ra, seus va­lo­res e as agres­sões que so­frem. Além dis­so, foi lan­ça­do um cha­ma­do à con­ver­são, à so­li­da­ri­e­da­de, a um no­vo es­ti­lo de vi­da e a um pro­je­to de de­sen­vol­vi­men­to à luz dos va­lo­res hu­ma­nos e evan­gé­li­cos, se­guin­do a prá­ti­ca de Je­sus no cui­da­do com as pes­so­as e a na­tu­re­za.

A Igre­ja não só apon­ta os de­sa­fi­os, mas tam­bém con­cre­ti­za ca­mi­nhos pa­ra a su­pe­ra­ção das pro­ble­má­ti­cas so­ci­ais e eco­ló­gi­cas. Um exem­plo re­cen­te é o lan­ça­men­to do Bar­co Hos­pi­tal Pa­pa Fran­cis­co, que vai per­cor­rer os ri­os le­van­do aten­di­men­to a s po­vos amazô­ni­cos.

Es­se ca­mi­nho tri­lha­do pe­la Igre­ja no Bra­sil en­con­tra eco no ma­gis­té­rio do pa­pa Fran­cis­co e em sua pre­o­cu­pa­ção com a ques­tão am­bi­en­tal. Mar­co de uma no­va pers­pec­ti­va pa­ra a re­la­ção com o meio am­bi­en­te, a en­cí­cli­ca Lau­da­to Si’ é um con­vi­te pa­ra a mu­dan­ça de ati­tu­de em re­la­ção à na­tu­re­za e à so­ci­e­da­de.

O pa­pa fa­la de uma “con­ver­são eco­ló­gi­ca” pa­ra uma “eco­lo­gia in­te­gral”, con­cei­to que abran­ge as di­men­sões am­bi­en­tal, econô­mi­ca, so­ci­al e cul­tu­ral. Ele nos lem­bra que so­mos to­dos guar­diões da obra de Deus. E is­so, diz o pa­pa, “não é al­go de op­ci­o­nal nem um as­pec­to se­cun­dá­rio da ex­pe­ri­ên­cia cris­tã, mas par­te es­sen­ci­al du­ma exis­tên­cia vir­tu­o­sa”.

O pa­pa Fran­cis­co re­fe­re-se a lu­ga­res “que re­que­rem um cui­da­do par­ti­cu­lar pe­la sua enor­me im­por­tân­cia pa­ra o ecos­sis­te­ma mun­di­al, ou que cons­ti­tu­em sig­ni­fi­ca­ti­vas re­ser­vas de água as­se­gu­ran­do as­sim ou­tras for­mas de vi­da”. A Amazônia é ci­ta­da co­mo um exem­plo de lo­ca­li­da­de cu­ja im­por­tân­cia pa­ra o con­jun­to do pla­ne­ta e pa­ra o fu­tu­ro da hu­ma­ni­da­de não se po­de ig­no­rar.

“Os ecos­sis­te­mas das flo­res­tas tro­pi­cais pos­su­em uma biodiversi­dade de enor­me com­ple­xi­da­de, qua­se im­pos­sí­vel de co­nhe­cer com­ple­ta­men­te, mas quan­do es­tas flo­res­tas são queimadas ou der­ru­ba­das pa­ra de­sen­vol­ver cul­ti­vos, em pou­cos anos per­dem-se inú­me­ras es­pé­ci­es, ou tais áre­as trans­for­mam-se em ári­dos de­ser­tos”, aler­tou o pa­pa.

O pon­tí­fi­ce ain­da cha­ma a aten­ção pa­ra “os enor­mes in­te­res­ses econô­mi­cos in­ter­na­ci­o­nais” que po­dem aten­tar con­tra as so­be­ra­ni­as na­ci­o­nais, as pro­pos­tas de in­ter­na­ci­o­na­li­za­ção do bi­o­ma, e va­lo­ri­za a ta­re­fa de or­ga­nis­mos in­ter­na­ci­o­nais e or­ga­ni­za­ções da so­ci­e­da­de ci­vil que “sen­si­bi­li­zam as po­pu­la­ções e co­la­bo­ram de for­ma crí­ti­ca, in­clu­si­ve uti­li­zan­do le­gí­ti­mos me­ca­nis­mos de pres­são, pa­ra que ca­da go­ver­no cum­pra o de­ver pró­prio e não de­le­gá­vel de pre­ser­var o meio am­bi­en­te e os re­cur­sos na­tu­rais do seu país”.

Es­sa con­cep­ção en­si­na­da por Fran­cis­co con­fir­ma a atu­a­ção pe­re­ne da Igre­ja Ca­tó­li­ca na Re­gião Amazô­ni­ca e re­for­ça a im­por­tân­cia de re­fle­tir so­bre o bi­o­ma, os no­vos ca­mi­nhos pa­ra a Igre­ja e pa­ra uma eco­lo­gia in­te­gral.

Re­cen­te en­tre­vis­ta do pa­pa ao jor­nal La Stam­pa-Va­ti­can In­si­der ex­pli­ci­ta es­sa cor­re­la­ção. Na oca­sião, ele dis­se que “o sí­no­do é fi­lho da Lau­da­to Si’ ”. Quem não leu es­sa en­cí­cli­ca “ja­mais en­ten­de­rá o Sí­no­do so­bre a Amazônia”.

O de­se­jo nes­ta se­ma­na em que se ce­le­brou o Dia da Amazônia é vi­ver­mos a gran­de be­le­za do ca­mi­nho si­no­dal, de en­con­trar ca­mi­nhos em re­de. Que es­sa pro­pos­ta do pa­pa Fran­cis­co pa­ra a Igre­ja nos aju­de a per­ce­ber, na diversidad­e hu­ma­na, cul­tu­ral e eco­ló­gi­ca, ca­mi­nhos pa­ra reu­nir tan­tas ini­ci­a­ti­vas de com­pro­mis­so com a cri­a­ção, em fa­vor de uma eco­lo­gia in­te­gral.

Igre­ja e Amazônia, em­pe­nho na de­fe­sa dos di­rei­tos hu­ma­nos e da biodiversi­dade

BISPO AU­XI­LI­AR DO RIO DE JA­NEI­RO, É SE­CRE­TÁ­RIO-GE­RAL DA CON­FE­RÊN­CIA NA­CI­O­NAL DOS BIS­POS DO BRA­SIL (CNBB)

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.