Com tor­no­ze­lei­ra, Vac­ca­ri vai pa­ra re­gi­me se­mi­a­ber­to

Con­de­na­do na Ope­ra­ção La­va Ja­to, ex-te­sou­rei­ro do PT foi pre­so em abril de 2015; ele vai mo­rar e tra­ba­lhar em Cu­ri­ti­ba

O Estado de S. Paulo - - Política -

O ex-te­sou­rei­ro do PT João Vac­ca­ri Ne­to dei­xou a pri­são on­tem em Cu­ri­ti­ba pa­ra cum­prir pe­na no re­gi­me se­mi­a­ber­to “har­mo­ni­za­do”, no qual ele per­ma­ne­ce­rá em ca­sa e po­de­rá tra­ba­lhar, sob mo­ni­to­ra­men­to de tor­no­ze­lei­ra ele­trô­ni­ca.

Vac­ca­ri foi pre­so em abril de 2015, na 12.ª fa­se da La­va Ja­to, apon­ta­do, na épo­ca, co­mo o res­pon­sá­vel por cap­tar di­nhei­ro do es­que­ma de cor­rup­ção e des­vi­os na Pe­tro­brás pa­ra o PT.

O be­ne­fí­cio a Vac­ca­ri foi de­ter­mi­na­do pe­la juí­za Ana Ca­ro­li­na Bar­to­la­mei Ra­mos, da 1.ª Va­ra de Exe­cu­ções Pe­nais de Cu­ri­ti­ba. Ele foi pa­ra a ca­sa de um tio na ca­pi­tal pa­ra­na­en­se, on­de vai mo­rar e tra­ba­lhar. “O re­gi­me se­mi­a­ber­to har­mo­ni­za­do se re­ve­la mais efi­ci­en­te tan­to ao Es­ta­do quan­to ao re­e­du­can­do, por­que aten­de aos prin­cí­pi­os da pro­por­ci­o­na­li­da­de, da ra­zo­a­bi­li­da­de e da in­di­vi­du­a­li­za­ção da pe­na”, afir­mou a juí­za.

In­dul­ta­do há du­as se­ma­nas na ação em que foi con­de­na­do a 24 anos de re­clu­são, Vac­ca­ri ain­da cum­pre pe­na de 6 anos e 8 me­ses im­pos­ta em ou­tra sen­ten­ça da La­va Ja­to. Es­sa con­de­na­ção não é de­fi­ni­ti­va e con­tra ela tra­mi­tam re­cur­sos em tri­bu­nais su­pe­ri­o­res. Sob a ale­ga­ção de que, nes­ta ação, o pe­tis­ta já cum­priu 2 anos, 3 me­ses e 16 di­as no re­gi­me fe­cha­do, a de­fe­sa re­que­reu o se­mi­a­ber­to “har­mo­ni­za­do”, que vi­go­ra no Pa­ra­ná, com re­a­li­za­ção de tra­ba­lho.

Há, ain­da, ou­tra con­de­na­ção con­tra Vac­ca­ri, de 6 anos e 8 me­ses no re­gi­me fe­cha­do, tam­bém pendente de re­cur­sos.

O Mi­nis­té­rio Pú­bli­co se ma­ni­fes­tou a fa­vor do re­gi­me se­mi­a­ber­to “har­mo­ni­za­do” pa­ra Vac­ca­ri, mas re­cha­çou o pe­di­do de pro­gres­são de pe­na pa­ra o re­gi­me aber­to e a con­ces­são de li­vra­men­to con­di­ci­o­nal. A de­fe­sa do ex-te­sou­rei­ro, re­pre­sen­ta­da pe­lo ad­vo­ga­do Luiz Flá­vio Borges D’Ur­so, dis­se con­si­de­rar a de­ci­são da juí­za “jus­ta”.

Ví­deo. De­pois de sair da pri­são, Vac­ca­ri gra­vou um ví­deo que foi di­vul­ga­do nas re­des so­ci­ais de de­pu­ta­dos pe­tis­tas. “Que­ro agra­de­cer ao apoio que eu ti­ve de to­da a mi­li­tân­cia do PT nes­ses qua­tro anos e qua­tro me­ses os quais eu es­ti­ve pre­so por in­jus­ti­ça do juiz Sér­gio Mo­ro”, afir­mou. “Que­ro dei­xar tam­bém um abra­ço for­te a to­dos os com­pa­nhei­ros do di­re­tó­rio na­ci­o­nal. Sem ne­nhu­ma dú­vi­da, o que nós fi­ze­mos foi res­pei­tar a lei e, aci­ma de tu­do, cum­prir a von­ta­de do par­ti­do.”

AN­DRE DUSEK / ESTADÃO -3/2/2016

Ex-te­sou­rei­ro. Vac­ca­ri foi pre­so em 2015 na La­va Ja­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.