Fór­mu­la E cres­ce e ga­nha vá­ri­os ‘fi­lho­tes’

Ex­pan­são da ca­te­go­ria ser­ve co­mo in­cen­ti­vo à cri­a­ção de vá­ri­os cam­pe­o­na­tos, com car­ros e mo­tos elé­tri­cos

O Estado de S. Paulo - - Esportes - Felipe Ro­sa Men­des

Per­to de ini­ci­ar sua sex­ta tem­po­ra­da, a Fór­mu­la E cres­ceu mun­di­al­men­te em ter­mos es­por­ti­vos e econô­mi­cos no úl­ti­mo ano e já co­me­ça a se tor­nar re­fe­rên­cia pa­ra no­vos cam­pe­o­na­tos de car­ros elé­tri­cos, se­jam com car­ros de tu­ris­mo ou SUVs, e até mes­mo de mo­tos. So­men­te no Bra­sil, im­pul­si­o­na­da pe­la en­tra­da de Felipe Mas­sa, a F-E ele­vou sua au­di­ên­cia em 84% na com­pa­ra­ção en­tre a quar­ta e a quin­ta tem­po­ra­das.

Em ní­vel glo­bal, a ca­te­go­ria al­can­çou mais de 400 mi­lhões de te­les­pec­ta­do­res em sua úl­ti­ma edi­ção, cres­ci­men­to de 24%. A ex­pec­ta­ti­va é de que al­can­ce mai­or no pró­xi­mo cam­pe­o­na­to, a ser ini­ci­a­do em no­vem­bro. O mo­ti­vo é a en­tra­da de du­as no­vas e tra­di­ci­o­nais equi­pes: a Pors­che e a Mer­ce­des, mai­or for­ça atu­al da Fór­mu­la 1.

“É um cam­pe­o­na­to fei­to pa­ra ser di­fe­ren­te, só que é bem mais com­pe­ti­ti­vo em re­la­ção à F-1. O mais len­to na pis­ta tem ape­nas um se­gun­do a me­nos do que o lí­der. A pos­si­bi­li­da­de de ven­cer a pro­va e su­bir ao pó­dio exis­te pa­ra mui­tos pi­lo­tos e equi­pes”, dis­se Mas­sa, ex-pi­lo­to da Fer­ra­ri na F-1, ao Es­ta­do.

O cres­ci­men­to já se tra­du­ziu em ci­fras. Os pro­mo­to­res es­pe­ram que a ca­te­go­ria se tor­ne lu­cra­ti­va pe­la pri­mei­ra vez. A en­tra­da no “azul” é sig­ni­fi­ca­ti­va, pois o cam­pe­o­na­to che­gou a ter pre­juí­zo de 34 mi­lhões de eu­ros (cer­ca de R$ 154 mi­lhões, no câm­bio atu­al) em 2016.

“A Fór­mu­la E só pre­ci­sa de tem­po pa­ra cres­cer mais e fi­car mais co­nhe­ci­da. Es­ta­mos bem or­ga­ni­za­dos, com as prin­ci­pais mon­ta­do­ras do mun­do par­ti­ci­pan­do do cam­pe­o­na­to e cor­ren­do em ci­da­des co­mo No­va York, Pa­ris, Hong Kong. Acre­di­to que a F-E vai cres­cer mui­to nos pró­xi­mos cin­co, dez anos”, dis­se Lu­cas di Gras­si, um dos cri­a­do­res da ca­te­go­ria.

Ga­nhan­do sus­ten­ta­ção pró­pria, a F-E já co­me­çou a ge­rar fi­lho­tes. O mais con­sis­ten­te no mo­men­to é o Ja­guar I PACE eTROPHY, cam­pe­o­na­to sa­té­li­te que acom­pa­nha par­te do ca­len­dá­rio da ca­te­go­ria. A com­pe­ti­ção de ape­nas uma mar­ca (que tam­bém dis­pu­ta a ca­te­go­ria mai­or) te­ve dez cor­ri­das e 12 car­ros em sua pri­mei­ra tem­po­ra­da, fi­na­li­za­da em ju­lho. Ne­la, ca­da ti­me re­pre­sen­ta um país, com dois pi­lo­tos. O Bra­sil es­tre­ou com tí­tu­lo, tan­to por equi­pes quan­to in­di­vi­du­al­men­te, com Sér­gio Ji­me­nez. Ca­cá Bu­e­no foi o seu com­pa­nhei­ro.

Os car­ros elé­tri­cos são si­len­ci­o­sos. Is­so tam­bém ocor­re com as mo­to­ci­cle­tas da Mo­toE. Com gran­de po­ten­ci­al de cres­ci­men­to, a Mo­toE World Cup é a pi­o­nei­ra nas com­pe­ti­ções elé­tri­cas de du­as ro­das. A tem­po­ra­da inau­gu­ral, em an­da­men­to, con­ta com seis cor­ri­das em qua­tro cir­cui­tos di­fe­ren­tes.

Com ve­lo­ci­da­de má­xi­ma de 250 km/h, as mo­tos le­vam 30 mi­nu­tos pa­ra se­rem car­re­ga­das. E vão de ze­ro a 100km/h em ape­nas três se­gun­dos. O pon­to ne­ga­ti­vo é a cur­ta du­ra­ção das pro­vas: en­tre se­te e dez vol­tas.

Em fa­se mais ex­pe­ri­men­tal, a Ro­bo­ra­ce, li­de­ra­da por Di Gras­si, é o cam­pe­o­na­to elé­tri­co mais am­bi­ci­o­so de to­dos. Tem por ob­je­ti­vo fa­zer uma cor­ri­da de car­ros autô­no­mos, sem qual­quer ori­en­ta­ção de pi­lo­tos, com ba­se em in­te­li­gên­cia ar­ti­fi­ci­al, a par­tir de 2020.

Al­go co­mum nas pa­la­vras dos pro­mo­to­res e pi­lo­tos de to­das as ca­te­go­ri­as elé­tri­cas, o dis­cur­so am­bi­en­ta­lis­ta é ain­da mais for­te na Ex­tre­me E. Por is­so, escolhe a de­do os lo­cais on­de é dis­pu­ta­da, sem­pre em lu­ga­res com ape­lo eco­ló­gi­co. A Gro­en­lân­dia se­rá a pri­mei­ra parada des­te rali que vai ro­dar o mun­do a par­tir de 2021 em uma dis­pu­ta off-ro­ad com SUVs. A ca­te­go­ria vai pas­sar tam­bém pe­la Flo­res­ta Amazô­ni­ca, pe­lo Hi­ma­laia, pe­las ilhas do Oce­a­no Ín­di­co e pe­lo De­ser­to do Sa­a­ra.

RO­DRI­GO GARRIDO/REU­TERS-26/1/2019

Fu­tu­ro. Mas­sa con­si­de­ra a F-E mais com­pe­ti­ti­va que a F-1

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.