Após 9 anos, Fer­ra­ri vence GP da Itália de F-1.

Fór­mu­la 1. Mo­ne­gas­co foi o pri­mei­ro pi­lo­to da es­cu­de­ria ita­li­a­na a ven­cer em ca­sa des­de 2010

O Estado de S. Paulo - - Primeira página -

Char­les Leclerc era a ex­pres­são da fe­li­ci­da­de, on­tem, após ven­cer o Gran­de Prê­mio da Itália de Fór­mu­la 1, dan­do à Fer­ra­ri a sua pri­mei­ra vi­tó­ria em Mon­za des­de 2010. “Obri­ga­do a to­dos, não te­nho pa­la­vras”, dis­se ao sair do car­ro.

Era a se­gun­da vez que o mo­ne­gas­co de 21 anos su­bia ao lu­gar mais al­to do pó­dio na ca­te­go­ria, mas, pa­ra Leclerc, a vi­tó­ria de on­tem tem tu­do pa­ra ser mais ines­que­cí­vel do que a pri­mei­ra. “Na úl­ti­ma se­ma­na (na Bél­gi­ca), foi mi­nha pri­mei­ra vi­tó­ria, mas a emoção de ven­cer aqui é dez ve­zes me­lhor” de­cla­rou.

No en­so­la­ra­do do­min­go ita­li­a­no, Leclerc lar­gou da pole e con­se­guir man­ter-se na pon­ta du­ran­te to­da a pro­va, re­sis­tin­do aos ata­ques do pen­ta­cam­peão Lewis Ha­mil­ton. “Ven­cer aqui é co­mo um so­nho”, vi­brou o ga­ro­to, vol­tan­do-se pa­ra os tor­ce­do­res da Fer­ra­ri, en­lou­que­ci­dos pe­lo triun­fo em ca­sa que não co­me­mo­ra­vam des­de que Fernando Alon­so ob­te­ve o mes­mo fei­to em 2010.

“Co­me­cei a crer na vi­tó­ria nas úl­ti­mas du­as vol­tas. Com o trá­fi­co, me dis­tan­ci­ei de Valt­te­ri (Bot­tas) e me li­vrei do rá­dio. Creio que não en­ten­di na­da de­pois da ban­dei­ra­da. Cum­pri to­dos os so­nhos que ti­nha quan­do era pe­que­no. É in­crí­vel.”

Mes­mo ad­mi­tin­do a su­pe­ri­o­ri­da­de da Fer­ra­ri em Mon­za, Lewis Ha­mil­ton, da Mer­ce­des, fez crí­ti­cas aos co­mis­sá­ri­os do GP da Itália por não te­rem imposto uma pu­ni­ção a Leclerc de­pois de o mo­ne­gas­co ter di­fi­cul­ta­do, de acor­do com o in­glês, as su­as ten­ta­ti­vas de ul­tra­pas­sa­gem de for­ma ir­re­gu­lar quan­do os dois lu­ta­vam por po­si­ção. “Tu­do o que pe­ço é que ha­ja con­sis­tên­cia. Ho­je vi­mos con­sequên­ci­as di­fe­ren­tes com as mes­mas re­gras. Tal­vez os co­mis­sá­ri­os te­nham acor­da­do do la­do er­ra­do da ca­ma. Tu­do o que pe­ço é con­sis­tên­cia”, de­sa­ba­fou o bri­tâ­ni­co.

Ha­mil­ton, en­tre­tan­to, re­co­nhe­ceu: “Eles es­ti­ve­ram mui­to me­lho­res do que nós”. E de­pois acres­cen­tou: “Fo­ram mui­to mais rá­pi­dos em li­nha re­ta, en­tão, mes­mo che­gan­do per­to, não ti­nha co­mo pas­sá-los. Não foi nos­so dia”. A si­tu­a­ção pa­ra a equi­pe ale­mã fi­cou ain­da pi­or de­vi­do à es­tra­té­gia mal sucedida de op­tar por pneus mé­di­os, o que o obri­gou o ti­me a re­a­li­zar uma pa­ra­da ex­tra pa­ra tro­ca dos com­pos­tos.

A pró­xi­ma eta­pa da tem­po­ra­da es­tá agen­da­da pa­ra o dia 22, no GP de Cin­ga­pu­ra.

AN­TO­NIO CALANNI/AP

Co­me­mo­ra­ção. Tor­ce­do­res da Fer­ra­ri in­va­di­ram a pis­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.