Câ­ma­ra ar­ti­cu­la vol­ta do fo­ro es­pe­ci­al pa­ra políticos com man­da­to

Mu­dan­ça deve ser in­cluí­da em PEC do Fim do Fo­ro já apro­va­da pe­lo Se­na­do

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - Re­na­to Ono­fre / BRA­SÍ­LIA

Li­de­ran­ças po­lí­ti­cas ar­ti­cu­lam a apro­va­ção de uma mu­dan­ça em Pro­pos­ta de Emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) em tra­mi­ta­ção na Câ­ma­ra com o ob­je­ti­vo de im­pe­dir que juí­zes de pri­mei­ra ins­tân­cia de­ter­mi­nem me­di­das con­tra políticos co­mo pri­são, qu­e­bra de si­gi­los ban­cá­rio e te­lefô­ni­co e man­da­dos de bus­ca e apre­en­são. A in­ten­ção é blin­dar de­pu­ta­dos, se­na­do­res, go­ver­na­do­res, mi­nis­tros e ou­tros agen­tes pú­bli­cos de jul­ga­men­tos cha­ma­dos no Con­gres­so de “ati­vis­mo ju­di­ci­al”. Com aval de Ro­dri­go Maia (DEM-RJ), a mu­dan­ça es­tá sen­do fei­ta na PEC do Fim do Fo­ro, apro­va­da pe­lo Se­na­do em 2017 e que aguar­da vo­ta­ção na Câ­ma­ra des­de o ano pas­sa­do. Pe­la emen­da, es­sas me­di­das con­tra os políticos te­ri­am de ser apro­va­das por tri­bu­nais su­pe­ri­o­res. Des­de 2018, po­rém, por de­ci­são do STF e do STJ, de­pu­ta­dos, se­na­do­res e go­ver­na­do­res só têm fo­ro es­pe­ci­al em cri­mes co­me­ti­dos no exer­cí­cio do man­da­to e em fa­tos re­la­ci­o­na­dos ao car­go.

Há te­mor da clas­se política de que juí­zes de co­mar­ca de­cre­tem me­di­das du­ras por per­se­gui­ção política” LUIZ FLÁ­VIO GO­MES DE­PU­TA­DO FE­DE­RAL (PSB-SP)

Com aval do pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEMRJ), um gru­po de par­la­men­ta­res li­de­ra­dos pe­lo de­pu­ta­do e ju­ris­ta Luiz Flá­vio Go­mes (PSB-SP) quer im­pe­dir que juí­zes de pri­mei­ra ins­tân­cia de­ter­mi­nem me­di­das drás­ti­cas con­tra políticos, co­mo pri­são, qu­e­bra de si­gi­los ban­cá­rio e te­lefô­ni­co, além de bus­ca e apre­en­são. A in­ten­ção é blin­dar de­pu­ta­dos, se­na­do­res, go­ver­na­do­res, pre­fei­tos, mi­nis­tros e ou­tros agen­tes pú­bli­cos de in­ves­ti­ga­ções e jul­ga­men­tos cha­ma­dos no Con­gres­so de “ati­vis­mo ju­di­ci­al”.

A mu­dan­ça se­rá in­cluí­da na pro­pos­ta de emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) que re­duz o fo­ro pri­vi­le­gi­a­do no País a ape­nas cin­co au­to­ri­da­des – pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, vi­ce, pre­si­den­tes da Câ­ma­ra, do Se­na­do e do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF). Em 2017, o tex­to foi apro­va­do pe­lo Se­na­do co­mo uma re­ta­li­a­ção à Cor­te, que, na épo­ca, co­me­ça­va a dis­cu­tir a res­tri­ção do fo­ro pri­vi­le­gi­a­do ape­nas pa­ra par­la­men­ta­res. Ago­ra, dois anos de­pois, a PEC do Fim do Fo­ro se­rá dis­cu­ti­da na Câ­ma­ra e os de­pu­ta­dos pre­ten­dem in­cluir ne­la um sal­vo-con­du­to pa­ra pro­te­ger a clas­se política.

Atu­al­men­te, de­pu­ta­dos e se­na­do­res, por exem­plo, só pos­su­em prer­ro­ga­ti­va de fo­ro pe­ran­te o Su­pre­mo pa­ra cri­mes co­me­ti­dos no exer­cí­cio do man­da­to. Go­ver­na­do­res, por sua vez, são jul­ga­dos nes­sas con­di­ções pe­lo Su­pe­ri­or Tri­bu­nal de Justiça (STJ). Se a pro­pos­ta da Câ­ma­ra for apro­va­da, na prá­ti­ca es­se en­ten­di­men­to se­rá re­vis­to e a ma­no­bra per­mi­ti­rá que políticos com man­da­to vol­tem a con­tar com mais pri­vi­lé­gi­os.

Nos bas­ti­do­res, par­la­men­ta­res

di­zem que a al­te­ra­ção na PEC é pa­ra evi­tar que juí­zes de pri­mei­ra ins­tân­cia, co­mo Mar­ce­lo Bre­tas, res­pon­sá­vel pe­la Lava Jato no Rio, ou Luiz Bo­nat – subs­ti­tu­to do atu­al ministro da Justiça, Sér­gio Mo­ro, em Cu­ri­ti­ba – de­ter­mi­nem a pri­são de de­pu­ta­dos e se­na­do­res ou mes­mo ou­tras me­di­das cau­te­la­res, co­mo afas­ta­men­to de man­da­to, uso de tor­no­ze­lei­ras ele­trô­ni­cas e con­fis­co de bens.

Re­a­ção. O te­ma sem­pre des­per­tou po­lê­mi­ca. Em 2017, o en­tão se­na­dor Ro­me­ro Ju­cá (MDB-RR), que era lí­der do governo Mi­chel Te­mer no Con­gres­so, che­gou a iro­ni­zar a in­ten­ção do Su­pre­mo ao de­fen­der a PEC, que tam­bém aca­ba com fo­ro pri­vi­le­gi­a­do pa­ra mi­nis­tros da Cor­te e ou­tros in­te­gran­tes do Ju­di­ciá­rio e do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co. “Se aca­bar o fo­ro, é pa­ra to­do mun­do. Su­ru­ba é su­ru­ba. Aí é to­do mun­do na su­ru­ba,

não uma su­ru­ba se­le­ci­o­na­da”, dis­se na oca­sião Ju­cá, in­ves­ti­ga­do na Lava Jato.

A pro­pos­ta vol­tou a an­dar na Câ­ma­ra na es­tei­ra da apro­va­ção do pro­je­to que en­du­re­ce a pu­ni­ção pa­ra abu­so de au­to­ri­da­des, vis­ta no Con­gres­so co­mo uma res­pos­ta ao “ati­vis­mo ju­di­ci­al”. A Lei do Abu­so de Au­to­ri­da­de – ve­ta­da em par­te pe­lo pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro – cri­mi­na­li­za con­du­tas uti­li­za­das em in­ves­ti­ga­ções re­cen­tes no País, co­mo a Lava Jato.

O Es­ta­do apu­rou que, na ava­li­a­ção de lí­de­res de par­ti­dos na Câ­ma­ra, a lei do abu­so ser­ve co­mo uma “ga­ran­tia” ao fim do fo­ro pri­vi­le­gi­a­do. Se a mai­o­ria dos ve­tos de Bol­so­na­ro for der­ru­ba­da, a ex­pec­ta­ti­va é de que a PEC en­tre na pau­ta de vo­ta­ções em ou­tu­bro. O si­nal foi da­do por Maia em reu­nião no dia 20 de agos­to, na qu­al es­ta­vam pre­sen­tes Luiz Flá­vio Go­mes, au­tor da emen­da, e os de­pu­ta­dos Jo­sé Nel­to (Po­de­mos-GO), Adri­a­na Ven­tu­ra (Novo-SP), Ro­dri­go Agos­ti­nho (PSB-SP) e Re­na­ta Abreu (Po­de­mos-SP).

Ar­ti­cu­la­ção. Des­de o iní­cio do ano, de­pu­ta­dos apre­sen­ta­ram 14 pe­di­dos pa­ra a in­clu­são da PEC do Fim do Fo­ro na pau­ta de vo­ta­ções da Câ­ma­ra. A pres­são so­bre Maia co­me­çou ain­da em fe­ve­rei­ro, qu­an­do um gru­po de par­la­men­ta­res – ca­pi­ta­ne­a­dos por Go­mes e pe­lo se­na­dor Ál­va­ro Di­as (Po­de­mos-PR) – se reu­niu com o pre­si­den­te da Ca­sa na re­si­dên­cia ofi­ci­al e co­brou a dis­cus­são da me­di­da.

A so­lu­ção en­con­tra­da foi li­mi­tar as de­ci­sões cau­te­la­res, tra­ta­da co­mo uma es­pé­cie de “tran­si­ção” en­tre o fim ir­res­tri­to do fo­ro e a si­tu­a­ção atu­al. “Não é a so­lu­ção per­fei­ta, mas foi o me­lhor ca­mi­nho que a gen­te con­se­guiu cons­truir. Se, de ca­ra, a pro­pos­ta não aca­ba com o fo­ro pri­vi­le­gi­a­do no Brasil, em dez anos to­do mun­do pa­re­ce­rá igual pe­ran­te a lei”, afir­mou Adri­a­na Ven­tu­ra, co­or­de­na­do­ra da Fren­te Par­la­men­tar Mis­ta da Éti­ca con­tra a Cor­rup­ção.

Pa­ra Go­mes, a emen­da que cria o sal­vo-con­du­to tem­po­rá­rio tem co­mo ob­je­ti­vo aten­der não só de­pu­ta­dos e se­na­do­res, mas tam­bém a pre­fei­tos e ve­re­a­do­res. “A gen­te foi sen­tin­do o termô­me­tro. Des­co­bri­mos que há um te­mor da clas­se política de que mui­tos juí­zes de co­mar­cas de­cre­tem me­di­das du­ras, co­mo pri­sões tem­po­rá­ri­as por per­se­gui­ção política. Sem es­se dis­po­si­ti­vo, um juiz po­de­ria per­se­guir um pre­fei­to e man­dar pren­dê-lo a to­da ho­ra, por exem­plo. É uma me­di­da ba­li­za­do­ra, que igua­la to­do mun­do. Era pre­ci­so uma tran­si­ção”, afir­mou o de­pu­ta­do.

Pro­cu­ra­do, o pre­si­den­te da Câ­ma­ra não res­pon­deu aos ques­ti­o­na­men­tos da re­por­ta­gem.

GABRIELA BILO/ESTADAO -12/6/2019

Si­nal ver­de. O pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia, en­dos­sa ar­ti­cu­la­ção na Ca­sa pa­ra vol­ta de par­te do fo­ro pri­vi­le­gi­a­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.