Ne­tanyahu pro­me­te ane­xar Va­le do Jor­dão

Pre­miê is­ra­e­len­se bus­ca os vo­tos de co­lo­nos em as­sen­ta­men­tos ju­dai­cos, mas pro­mes­sa in­vi­a­bi­li­za Es­ta­do pa­les­ti­no

O Estado de S. Paulo - - Internacio­nal - JERUSALÉM

O pri­mei­ro-ministro de Is­ra­el, Binya­min Ne­tanyahu, pro­me­teu on­tem ane­xar uma par­te es­tra­té­gi­ca da Cis­jor­dâ­nia ocu­pa­da se for re­e­lei­to no dia 17. Ele dis­se que a me­di­da pro­por­ci­o­na­ria “fron­tei­ras per­ma­nen­tes e se­gu­ras” pe­la pri­mei­ra vez na his­tó­ria de Is­ra­el. A de­ci­são, no en­tan­to, re­du­zi­ria qual­quer pos­sí­vel Es­ta­do pa­les­ti­no a um en­cla­ve ro­de­a­do pe­los is­ra­e­len­ses.

“Se eu re­ce­ber de vo­cês, ci­da­dãos de Is­ra­el, um man­da­to cla­ro, de­cla­ro ho­je mi­nha in­ten­ção de apli­car, com um fu­tu­ro governo, a so­be­ra­nia de Is­ra­el so­bre o Va­le do Jor­dão e a par­te nor­te do Mar Mor­to”, dis­se Ne­tanyahu a jor­na­lis­tas em Ra­mat Gan, per­to de Tel-Aviv, em entrevista or­ga­ni­za­da por seu par­ti­do, o Li­kud.

Ne­tanyahu, que ten­ta atrair elei­to­res nos as­sen­ta­men­tos ju­dai­cos, que de­fen­dem a ane­xa­ção da Cis­jor­dâ­nia, es­tá em­pa­ta­do com seu ri­val, o ex-che­fe do Exér­ci­to de Is­ra­el, Benny Gantz, lí­der do par­ti­do Azul e Bran­co, de cen­tro-di­rei­ta. On­tem, o ge­ne­ral rei­vin­di­cou a ideia de ane­xar o Va­le do Jor­dão. “Es­ta­mos fe­li­zes de ver que Ne­tanyahu ado­ta nos­so pla­no”, dis­se.

Nos úl­ti­mos me­ses, o pre­miê tem ten­ta­do des­vi­ar o fo­co de três de­nún­ci­as de cor­rup­ção apre­sen­ta­das con­tra ele e fo­ca­do em ques­tões de se­gu­ran­ça na­ci­o­nal. Na se­gun­da-fei­ra, em mais uma ação con­tra o Irã, ele di­vul­gou ima­gens de um su­pos­to lo­cal de tes­te de ar­mas nu­cle­a­res uti­li­za­do pe­los ira­ni­a­nos que te­ria si­do des­co­ber­to por Is­ra­el.

Os EUA de­vem apre­sen­tar de­ta­lhes de seu pla­no de paz pa­ra o Ori­en­te Mé­dio de­pois das elei­ções is­ra­e­len­ses. Se­gun­do Ne­tanyahu, es­se pla­no se­rá “uma opor­tu­ni­da­de his­tó­ri­ca e úni­ca de apli­car nos­sa so­be­ra­nia so­bre nos­sas colô­ni­as em Ju­deia e Sa­ma­ria (co­mo Is­ra­el cha­ma a Cis­jor­dâ­nia) e em ou­tros lo­cais-cha­ve pa­ra a nos­sa se­gu­ran­ça”. “Não ti­ve­mos ta­ma­nha opor­tu­ni­da­de des­de a Guerra dos Seis Di­as e du­vi­do que te­re­mos uma ou­tra opor­tu­ni­da­de nos pró­xi­mos 50 anos”, de­fen­deu o pre­miê.

O Va­le do Jor­dão re­pre­sen­ta cer­ca de 30% da Cis­jor­dâ­nia, ter­ri­tó­rio pa­les­ti­no ocu­pa­do por Is­ra­el des­de 1967. A mai­or par­te do mun­do con­si­de­ra ile­gais os as­sen­ta­men­tos is­ra­e­len­ses na re­gião. On­tem, a ex-negociador­a pa­les­ti­na Ha­nan Ash­raui afir­mou que a in­ten­ção de ane­xar par­te da Cis­jor­dâ­nia des­trói qual­quer pos­si­bi­li­da­de de acor­do de paz. “Ne­tanyahu não es­tá ape­nas des­truin­do a so­lu­ção de dois Es­ta­dos, mas tam­bém qual­quer pos­si­bi­li­da­de de paz.”

Os paí­ses is­lâ­mi­cos re­a­gi­ram com ir­ri­ta­ção ao anún­cio de Ne­tanyahu. Ay­man Sa­fa­di, chan­ce­ler da Jor­dâ­nia, dis­se que a ane­xa­ção “é uma ame­a­ça à se­gu­ran­ça da re­gião”. O chan­ce­ler da Tur­quia, Me­vlut Ca­vu­so­glu, afir­mou que a me­di­da de Ne­tanyahu era dig­na de um “Es­ta­do de apartheid”.

“Ne­tanyahu não es­tá ape­nas des­truin­do a so­lu­ção de dois Es­ta­dos, mas tam­bém qual­quer pos­si­bi­li­da­de de paz” Ha­nan Ash­raui EX-NEGOCIADOR­A PA­LES­TI­NA

ODED BALILTY/AP

Vo­to. Ne­tanyahu faz pro­mes­sa de cam­pa­nha em Tel-Aviv

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.