Maia de­fen­de emen­da que re­to­ma fo­ro

Pa­ra pre­si­den­te da Câ­ma­ra, é pre­ci­so evi­tar ‘in­fluên­cia emo­ci­o­nal’ em de­ci­sões de juí­zes de 1ª ins­tân­cia con­tra políticos com man­da­to

O Estado de S. Paulo - - Política - Re­na­to Ono­fre / BRA­SÍ­LIA

O pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia (DEM-RJ), de­fen­deu on­tem emen­da pa­ra im­pe­dir que ma­gis­tra­dos de pri­mei­ra ins­tân­cia de­ter­mi­nem me­di­das con­tra políticos co­mo pri­são, qu­e­bra de si­gi­lo ban­cá­rio e te­lefô­ni­co e man­da­dos de bus­ca e apre­en­são. Se­gun­do ele, é pre­ci­so evi­tar “in­fluên­cia emo­ci­o­nal” na de­ci­são de juí­zes.

Con­for­me o Es­ta­do mos­trou on­tem, par­la­men­ta­res pre­ten­dem, com o aval de Maia, in­cluir o dis­po­si­ti­vo na pro­pos­ta de emen­da à Cons­ti­tui­ção (PEC) que li­mi­ta o fo­ro pri­vi­le­gi­a­do a ape­nas cin­co au­to­ri­da­des: pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, vi­ce e pre­si­den­tes da Câ­ma­ra, do Se­na­do e do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral.

“O que a gen­te es­tá di­zen­do é o se­guin­te: não po­de ter in­fluên­cia emo­ci­o­nal na de­ci­são de um juiz. O ca­so do (ex-go­ver­na­dor

do Rio Anthony) Ga­ro­ti­nho, por exem­plo, é um ca­so cla­ro de in­fluên­cia política. Não ti­nha mo­ti­vo pa­ra mais aque­la pri­são”, afir­mou Maia.

O ex-go­ver­na­dor e sua mu­lher, a tam­bém ex-go­ver­na­do­ra do Rio Ro­si­nha Matheus, fi­ca­ram um dia pre­sos na se­ma­na pas­sa­da em des­do­bra­men­to das in­ves­ti­ga­ções en­vol­ven­do a cons­tru­to­ra Ode­bre­cht. Ape­sar do exem­plo ci­ta­do por Maia, Ga­ro­ti­nho e Ro­si­nha não têm man­da­to, o que os ex­clui­ria da re­gra ca­so já es­ti­ves­se em vi­gor.

Atu­al­men­te, de­pu­ta­dos e se­na­do­res, por exem­plo, só pos­su­em prer­ro­ga­ti­va de fo­ro pe­ran­te o Su­pre­mo pa­ra cri­mes co­me­ti­dos no exer­cí­cio do man­da­to e em fun­ção do car­go. Go­ver­na­do­res, por sua vez, são jul­ga­dos nes­sas con­di­ções pe­lo Su­pe­ri­or Tri­bu­nal de Justiça (STJ). Se a pro­pos­ta da Câ­ma­ra for apro­va­da, na prá­ti­ca, par­te des­se en­ten­di­men­to se­rá re­vis­ta e a ma­no­bra per­mi­ti­rá que políticos com man­da­to man­te­nham par­te dos pri­vi­lé­gi­os.

Nos bas­ti­do­res, par­la­men­ta­res di­zem que a al­te­ra­ção na PEC é pa­ra evi­tar que juí­zes de pri­mei­ra ins­tân­cia, co­mo Mar­ce­lo Bre­tas, res­pon­sá­vel pe­la Lava Jato no Rio, ou Luiz Bo­nat, em Cu­ri­ti­ba, de­ter­mi­nem a pri­são de de­pu­ta­dos e se­na­do­res ou mes­mo ou­tras me­di­das cau­te­la­res, co­mo afas­ta­men­to de man­da­to, uso de tor­no­ze­lei­ras ele­trô­ni­cas e con­fis­co de bens.

Maia dis­se que a mu­dan­ça não se­ria um “re­tro­ces­so”. “Não es­tá mu­dan­do fo­ro ne­nhum. A in­ves­ti­ga­ção e de­ci­são con­ti­nu­am na pri­mei­ra ins­tân­cia, mas, ago­ra, o que a gen­te es­tá ten­tan­do ne­go­ci­ar é que as cau­te­la­res fi­quem na ins­tân­cia an­te­ri­or (à pu­bli­ca­ção da PEC) do agen­te pú­bli­co. Fi­ca pa­re­cen­do que é só de­pu­ta­do, mas são 50 mil agen­tes pú­bli­cos com fo­ro pri­vi­le­gi­a­do”, afir­mou Maia.

Ape­sar da res­tri­ção do fo­ro pa­ra par­la­men­ta­res de­ter­mi­na­da pe­lo STF, a de­ci­são so­bre a quem ca­be jul­gar um de­pu­ta­do ou um se­na­dor, no en­ten­di­men­to de mi­nis­tros da Cor­te, ain­da pre­ci­sa pas­sar por tri­bu­nais su­pe­ri­o­res. Des­ta for­ma, ca­so a emen­da se­ja apro­va­da, ca­be­rá a um ministro do Su­pre­mo de­ci­dir se acei­ta ou não uma me­di­da cau­te­lar con­tra al­gum de­pu­ta­do ou se­na­dor.

“Es­ta­mos cons­truin­do um tex­to pa­ra a gen­te ten­tar vo­tar o mais rá­pi­do pos­sí­vel”, dis­se Maia. A mai­or re­sis­tên­cia a aca­bar to­tal­men­te com o fo­ro pri­vi­le­gi­a­do es­tá no cha­ma­do Cen­trão – blo­co in­for­mal for­ma­do por PP, PL, DEM, So­li­da­ri­e­da­de e Re­pu­bli­ca­nos – e no PT. Um lí­der de par­ti­do dis­se ao Es­ta­do que, sem o dis­po­si­ti­vo, a PEC não vai nem a vo­ta­ção.

“Es­ta­mos cons­truin­do um tex­to pa­ra a gen­te ten­tar vo­tar o mais rá­pi­do pos­sí­vel.” Ro­dri­go Maia (DEM-RJ) PRE­SI­DEN­TE DA C­MA­RA DOS DE­PU­TA­DOS

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.