A uma se­ma­na da elei­ção, Ne­tanyahu re­a­ge ao Ha­mas e bom­bar­deia Ga­za

Na ter­ça-fei­ra, pri­mei­ro-mi­nis­tro is­ra­e­len­se te­ve de se pro­te­ger de fo­gue­tes dis­pa­ra­dos de ter­ri­tó­rio pa­les­ti­no du­ran­te co­mí­cio no sul do país; aumento da ten­são pro­vo­ca tro­ca de acu­sa­ções en­tre go­ver­no e opo­si­ção na re­ta fi­nal da cam­pa­nha em Is­ra­el

O Estado de S. Paulo - - Internacio­nal - JE­RU­SA­LÉM /

A uma se­ma­na das elei­ções, aviões is­ra­e­len­ses ata­ca­ram on­tem al­vos na Fai­xa de Ga­za em re­ta­li­a­ção aos dis­pa­ros de fo­gue­tes do ter­ri­tó­rio pa­les­ti­no con­tra Is­ra­el na noi­te an­te­ri­or. O pri­mei­ro-mi­nis­tro is­ra­e­len­se, Binya­min Ne­tanyahu, re­a­li­za­va um co­mí­cio na ter­ça-fei­ra quan­do as si­re­nes de aler­ta so­a­ram e ele foi for­ça­do pe­los se­gu­ran­ças a dei­xar o pal­co e bus­car abri­go.

As elei­ções em Is­ra­el ocor­rem no dia 17. O Li­kud, par­ti­do de Ne­tanyahu, es­tá em­pa­ta­do nas pes­qui­sas com a co­a­li­zão Azul e Bran­co, li­de­ra­da pe­lo ex­co­man­dan­te do Exér­ci­to Benny Gantz. Am­bos são can­di­da­tos de cen­tro-di­rei­ta, mas ape­nas Gantz é ca­paz de ca­pi­ta­li­zar al­gum apoio das for­ças de es­quer­da, que que­rem en­cer­rar uma dé­ca­da de go­ver­no do Li­kud.

Por is­so, nos úl­ti­mos di­as, Ne­tanyahu tem se es­for­ça­do pa­ra atrair apoio dos par­ti­dos re­li­gi­o­sos e da ex­tre­ma di­rei­ta. Na se­gun­da-fei­ra, o pre­miê dis­se que Is­ra­el ha­via des­co­ber­to um lo­cal se­cre­to de desenvolvi­mento de ar­mas nu­cle­a­res do Irã, mas go­ver­no ira­ni­a­no des­truiu a ins­ta­la­ção de­pois de sa­ber que ha­via si­do ex­pos­to.

Na ter­ça-fei­ra, Ne­tanyahu pro­me­teu ane­xar par­te da Cis­jor­dâ­nia, me­di­da po­pu­lar en­tre os 400 mil co­lo­nos que vi­vem no ter­ri­tó­rio pa­les­ti­no ocu­pa­do pe­los is­ra­e­len­ses des­de 1967. A pro­mes­sa foi fei­ta em Ash­dod, no sul de Is­ra­el. No meio do dis­cur­so, os aler­tas fo­ram aci­o­na­dos em Ash­ke­lon, a 21 quilô­me­tros de dis­tân­cia.

Ape­sar de o Exér­ci­to ter con­fir­ma­do que o sis­te­ma de de­fe­sa, co­nhe­ci­do co­mo Do­mo de Fer­ro, in­ter­cep­tou o ata­que, as ima­gens do pri­mei­ro-mi­nis­tro sen­do for­ça­do a sair do pa­lan­que às pres­sas au­men­ta­ram as acu­sa­ções de opo­si­to­res de que ele não fez o su­fi­ci­en­te pa­ra de­ter os fre­quen­tes ata­ques de fo­gue­tes con­tra o sul de Is­ra­el.

“Ne­tanyahu es­tá aca­ba­do e po­de sair de ce­na”, de­cla­rou Yair La­pid, nú­me­ro 2 na lis­ta do par­ti­do Azul e Bran­co. Ne­tanyahu res­pon­deu: “O Ha­mas dis­pa­ra fo­gue­tes con­tra o pri­mei­romi­nis­tro de Is­ra­el e La­pid e Gantz es­tão co­me­mo­ran­do”.

A re­ta­li­a­ção aos lan­ça­men­tos de fo­gue­tes foi rá­pi­da. “Aviões de com­ba­te atin­gi­ram 15 al­vos ter­ro­ris­tas ao nor­te e no cen­tro da Fai­xa de Ga­za, in­cluin­do uma fá­bri­ca de ar­mas, ob­je­ti­vos das for­ças mi­li­ta­res na­vais e um tú­nel de ata­que do Ha­mas”, in­for­mou on­tem o Exér­ci­to, em co­mu­ni­ca­do, ci­tan­do a fac­ção pa­les­ti­na que con­tro­la o ter­ri­tó­rio. “O Exér­ci­to con­ti­nu­a­rá con­si­de­ran­do o Ha­mas res­pon­sá­vel por tu­do o que acon­te­ce em Ga­za.”

Re­a­ção. Des­de 2008, Ga­za foi ce­ná­rio de três guer­ras en­tre Is­ra­el e Ha­mas. O úl­ti­mo ces­sar­fo­go, de 2014, é cons­tan­te­men­te vi­o­la­do por am­bos os la­dos. Em prin­cí­pio, nin­guém tem in­te­res­se em co­me­çar um no­vo con­fli­to, mas ana­lis­tas afir­mam que o iso­la­men­to do ter­ri­tó­rio, em ra­zão do blo­queio is­ra­e­len­se e egíp­cio, a cri­se econô­mi­ca lo­cal e a au­sên­cia de uma saí­da ne­go­ci­a­da, de­ses­ta­bi­li­zam a re­gião.

On­tem, as crí­ti­cas à pro­mes­sa de ane­xar par­tes da Cis­jor­dâ­nia au­men­ta­ram a pres­são so­bre Ne­tanyahu. A Ará­bia Sau­di­ta, que vi­nha se apro­xi­man­do de Is­ra­el pa­ra ten­tar con­ter o Irã, fa­lou de uma “es­ca­la­da pe­ri­go­sa” e pe­diu uma reu­nião ur­gen­te dos chan­ce­le­res dos 57 mem­bros da Or­ga­ni­za­ção pa­ra a Co­o­pe­ra­ção Is­lâ­mi­ca (OCI).

A União Eu­ro­peia afir­mou que a ane­xa­ção “mi­na a pers­pec­ti­va de uma paz sus­ten­tá­vel” e a “ex­pan­são das colô­ni­as, in­cluin­do as de Je­ru­sa­lém Ori­en­tal, é ile­gal pe­las leis internacio­nais”. Os eu­ro­peus dis­se­ram ain­da que não re­co­nhe­ce­rão qual­quer mu­dan­ça na fron­tei­ra de Is­ra­el.

O pre­si­den­te rus­so, Vla­di­mir Pu­tin, que de­ve se en­con­trar ho­je com Ne­tanyahu, afir­mou on­tem que a “in­ten­ção do pri­mei­ro-mi­nis­tro de ane­xar uma re­gião es­tra­té­gi­ca da Cis­jor­dâ­nia po­de pro­vo­car um for­te aumento das ten­sões”.

Até ali­a­dos con­ser­va­do­res cri­ti­ca­ram a pro­mes­sa de cam­pa­nha. “Por que fa­lar de ane­xa­ção da Cis­jor­dâ­nia a uma se­ma­na das elei­ções quan­do o go­ver­no po­de de­ci­dir a qual­quer mo­men­to e apli­cá-la ho­je mes­mo?”, ques­ti­o­nou o atu­al mi­nis­tro dos Trans­por­tes, Bet­za­lel Smo­tri­ch, da co­a­li­zão Ya­mi­na, que reú­ne par­ti­dos de di­rei­ta.

Dis­pu­ta

“Ne­tanyahu es­tá aca­ba­do e po­de sair de ce­na” Yair La­pid

NÚ­ME­RO 2 NA LIS­TA DO PAR­TI­DO

AZUL E BRAN­CO, DE OPO­SI­ÇÃO

“O Ha­mas dis­pa­ra fo­gue­tes con­tra o pri­mei­ro-mi­nis­tro de Is­ra­el e La­pid e Gantz es­tão co­me­mo­ran­do” Binya­min Ne­tanyahu

PRI­MEI­RO-MI­NIS­TRO

DE IS­RA­EL

IBRAHEEM ABU MUSTAFA / REU­TERS

Es­tra­té­gia. Fo­go no cen­tro de Ga­za após bom­bar­deio de Is­ra­el; Ne­tanyahu ten­ta atrair apoio de par­ti­dos re­li­gi­o­sos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.