OLA­VO DE CAR­VA­LHO

O Estado de S. Paulo - - Espaço Aberto -

De no­vo

Co­mo era de es­pe­rar, o fi­ló­so­fo/pen­sa­dor/as­tró­lo­go e gu­ru po­lí­ti­co do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro, Ola­vo de Car­va­lho, não aguen­tou fi­car mui­to tem­po lon­ge dos ho­lo­fo­tes. Em ví­deo vi­ra­li­za­do na se­ma­na pas­sa­da lan­çou mais uma de su­as pé­ro­las rom­pan­tes ao afir­mar: “Os Be­a­tles eram se­mi­a­nal­fa­be­tos em mú­si­ca. Mal sa­bi­am to­car vi­o­lão. Quem compôs as can­ções de­les foi The­o­dor Ador­no (so­ció­lo­go e fi­ló­so­fo ale­mão)”. O jor­nal bri­tâ­ni­co The Gu­ar­di­an deu-se até ao tra­ba­lho – des­ne­ces­sá­rio – de re­fu­tar ta­ma­nha pa­ta­co­a­da, ex­pli­can­do que Car­va­lho ti­rou es­sa ideia ab­sur­da (pro­po­si­tal­men­te?) de um ar­ti­go que sa­ti­ri­za­va que o ale­mão se­ria o au­tor de al­gu­mas mú­si­cas da banda, mas, na ver­da­de, Ador­no des­pre­za­va os Be­a­tles e tu­do o que eles re­pre­sen­ta­vam. Além dis­so, ain­da no ví­deo, Ola­vo de Car­va­lho afir­ma que to­das as ban­das de rock têm ao me­nos uma com­po­si­ção evo­can­do “sa­ta­nás” (!). Bem, con­si­de­ran­do que o ve­re­a­dor Car­los Bol­so­na­ro se de­cla­ra gran­de ad­mi­ra­dor do “pen­sa­dor”, não é sur­pre­sa seu ma­ni­fes­to des­pre­zo pe­la de­mo­cra­cia, pois o gu­ru nun­ca te­ve mui­ta sim­pa­tia por ela.

LU­CI­A­NO HARARY lha­[email protected]­mail.com

São Pau­lo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.