Co­rinthi­ans re­co­nhe­ce atra­so com a Cai­xa

Clu­be não pa­gou em dia dois me­ses do fi­nan­ci­a­men­to da are­na

O Estado de S. Paulo - - Esportes - João Pra­ta

O pre­si­den­te do Co­rinthi­ans, An­drés San­chez, ad­mi­tiu on­tem atra­so de dois me­ses no pa­ga­men­to de par­ce­las do fi­nan­ci­a­men­to com a Cai­xa Econô­mi­ca Fe­de­ral, mas se mos­trou in­dig­na­do com a ati­tu­de do ban­co de no­ti­fi­car o clu­be so­bre a exe­cu­ção da dí­vi­da re­fe­ren­te à are­na de Ita­que­ra. Ele ga­ran­tiu não ha­ver o ris­co de per­der o es­tá­dio. “O torcedor co­rin­ti­a­no po­de fi­car tran­qui­lo. Não vão to­mar na­da, não es­ta­mos dei­xan­do de pa­gar”, dis­se.

Por meio de no­ta, a Cai­xa in­for­mou tam­bém on­tem que ajui­zou, em 22 de agos­to de 2019, a exe­cu­ção de R$ 536 mi­lhões con­tra a are­na Ita­que­ra por cau­sa da ina­dim­plên­cia con­tra­tu­al. O pro­ces­so tra­mi­ta na 24.ª Va­ra Fe­de­ral Cí­vel de São Pau­lo. “A Cai­xa in­for­ma que es­tá dis­pos­ta à con­ci­li­a­ção.”

An­drés tam­bém mos­trou a as­si­na­tu­ra de um con­tra­to com a Ode­bre­cht for­ma­li­zan­do o acor­do pa­ra o pa­ga­men­to de va­lo­res que até en­tão es­ta­vam em aber­to. Foi uma re­a­ção às in­for­ma­ções de que o acer­to com a em­pre­sa, re­la­ci­o­na­do à dí­vi­das pe­la cons­tru­ção da are­na, ain­da não es­ta­va fe­cha­do.

“Pe­lo amor de Deus! Só de­ve­mos pa­ra a Cai­xa. O Co­rinthi­ans só de­ve pa­ra a Cai­xa”, en­fa­ti­zou, so­bre o úni­co cre­dor com o qual não há um acor­do.

A tur­bu­lên­cia en­tre Co­rinthi­ans e ban­co fi­cou mais for­te na quin­ta-fei­ra, qu­an­do a Cai­xa fez a no­ti­fi­ca­ção ex­tra­ju­di­ci­al da exe­cu­ção da dí­vi­da. On­tem, An­drés in­for­mou que, pe­las con­tas do clu­be, o va­lor é de R$ 470 mi­lhões. A ins­ti­tui­ção fi­nan­cei­ra cal­cu­la que ain­da fal­tam ser pa­gos R$ 520 mi­lhões – o em­prés­ti­mo foi de R$ 400 mi­lhões.

O pre­si­den­te não deu de­ta­lhes so­bre o que po­de acon­te­cer ca­so a dí­vi­da se­ja exe­cu­ta­da. “Fo­mos pe­gos de sur­pre­sa e es­ta­mos in­dig­na­dos com o que acon­te­ceu. Vamos res­pon­der a no­ti­fi­ca­ção na se­ma­na que vem. Ju­ri­di­ca­men­te vo­cês (jor­na­lis­tas) vão sa­ber o que se­rá res­pon­di­do.”

San­chez vol­tou a di­zer que ha­via “ver­ba­li­za­do” no­vo acor­do com a Cai­xa pa­ra pa­ga­men­to do es­tá­dio. Por es­se acer­to, o Co­rinthi­ans pa­ga­ria par­ce­las de R$ 5,7 mi­lhões du­ran­te oi­to me­ses do ano, de mar­ço a ou­tu­bro, e nos ou­tros qua­tro, por ter me­nos jo­gos, de­sem­bol­sa­ria me­nos, R$ 2,5 mi­lhões.

“Es­tá­va­mos cum­prin­do is­so. Se es­se acor­do es­ti­ver sen­do considerad­o, es­ta­mos de­ven­do dois me­ses (re­fe­ren­tes ao pe­río­do da Co­pa Amé­ri­ca, qu­an­do o clu­be não te­ve fa­tu­ra­men­to com a are­na). Se não, es­ta­mos de­ven­do des­de mar­ço. O Co­rinthi­ans de­ve e vai pa­gar. Mas tem que cha­mar a Cai­xa. Vamos res­pon­der ju­ri­di­ca­men­te”, co­men­tou.

O pro­ble­ma é que o acor­do ver­bal ha­via si­do fei­to com a ges­tão an­te­ri­or da Cai­xa. A no­va di­re­to­ria as­su­miu re­cen­te­men­te e mu­dou o mo­do de tra­ba­lhar. An­drés pre­fe­re acre­di­tar que não se­ja uma per­se­gui­ção po­lí­ti­ca, já que to­do o acor­do cos­tu­ra­do pa­ra o fi­nan­ci­a­men­to da are­na ha­via si­do fei­to no pe­río­do em que o PT es­ta­va no po­der.

“Não que­ro acre­di­tar nis­so. Es­ta­mos fa­lan­do com a Cai­xa Econô­mi­ca Fe­de­ral, uma ins­ti­tui­ção sé­ria. O Co­rinthi­ans nun­ca dei­xou de con­ver­sar. Des­de que as­su­mi, pa­ga­mos qua­se R$ 80 mi­lhões. No to­tal já foi pa­go R$ 170 mi­lhões. Es­ta­mos pa­gan­do e cum­prin­do.”

O pre­si­den­te co­rin­ti­a­no tam­bém fa­lou so­bre o dé­fi­cit anu­al do clu­be. Ele con­fir­mou que dí­vi­da em 2019 su­pe­ra os R$ 100 mi­lhões – não sou­be di­zer o va­lor exa­to. An­drés pa­re­ceu des­pre­o­cu­pa­do com o al­to va­lor por­que a mai­or par­te dos di­rei­tos de te­le­vi­são, cer­ca de 80% do mon­tan­te, en­tram nos me­ses fi­nais des­te ano.

“Ano pas­sa­do ven­de­mos jogador, e a man­che­te era ‘An­drés faz des­man­che’. Ago­ra não ven­de­mos e fa­lam que o dé­fi­cit es­tá gran­de. Se­gu­ra­mos al­guns, não ven­de­mos, e fal­ta di­nhei­ro na con­ta­bi­li­da­de. Qu­an­do con­tra­ta, o con­tra­to do jogador é de R$ 30 mi­lhões e vo­cê co­lo­ca is­so no ba­lan­ço, mas vai pa­gan­do mês a mês”, dis­se.

Ou­tro cre­dor. Em re­la­ção à Ode­bre­cht, a dí­vi­da es­tá acer­ta­da. A cons­tru­to­ra emi­tiu co­mu­ni­ca­do on­tem, es­cla­re­cen­do a si­tu­a­ção. “A Ode­bre­cht con­fir­ma que as­si­nou um me­mo­ran­do de en­ten­di­men­tos com o Sport Club Co­rinthi­ans Pau­lis­ta que de­fi­ne os ter­mos pa­ra so­lu­ci­o­nar as dí­vi­das do pro­je­to Are­na...Tam­bém foi as­si­na­do um ter­mo en­tre a Ode­bre­cht En­ge­nha­ria e Cons­tru­ção (OEC) e o Sport Club Co­rinthi­ans Pau­lis­ta, que re­sul­ta em qui­ta­ção mú­tua en­tre as par­tes pa­ra a cons­tru­ção da Are­na.” O Co­rinthi­ans e a cons­tru­to­ra, no en­tan­to, não dão mais de­ta­lhes so­bre es­se acor­do. O Es­ta­do apu­rou, no en­tan­to, que a Ode­bre­cht re­ce­be­rá so­men­te

o va­lor to­tal ar­re­ca­da­do com s ne­go­ci­a­ção dos CIDs (Cer­ti­fi­ca­dos de In­cen­ti­vo ao De­sen­vol­vi­men­to). Os pa­péis emi­ti­dos pe­la Pre­fei­tu­ra de São Pau­lo ti­nham va­lor ini­ci­al de R$ 420 mi­lhões. Co­rinthi­ans e Ode­bre­cht che­ga­ram a dis­cu­tir va­lo­res a mais que de­ve­ri­am ser pa­gos. Mas fi­cou por is­so.

NILTON FUKUDA/ESTADÃO-22/1/2019

No ata­que. An­drés garante que Co­rinthi­ans vai con­ten­tar ju­ri­di­ca­men­te a exe­cu­ção fei­ta pe­la Cai­xa

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.