Se­xo ca­su­al é jul­ga­do acidente de tra­ba­lho na França

O Estado de S. Paulo - - Internacio­nal -

Em 2013, um fun­ci­o­ná­rio da em­pre­sa de se­gu­ran­ça fran­ce­sa TSO vi­a­jou a tra­ba­lho e mor­reu de­pois de fa­zer se­xo com uma des­co­nhe­ci­da no ho­tel. A se­gu­ra­do­ra clas­si­fi­cou o ca­so como “acidente de tra­ba­lho”. A em­pre­sa con­tes­tou, mas per­deu es­te ano na se­gun­da ins­tân­cia em Pa­ris. De acor­do com os juí­zes, “o as­sa­la­ri­a­do em mis­são tem di­rei­to a pro­te­ção”. Mes­mo que o “acidente” te­nha ocor­ri­do nou­tro quar­to, não o re­ser­va­do pe­la TSO, is­so não sig­ni­fi­ca que ele não es­ti­ves­se sob au­to­ri­da­de da em­pre­sa.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.