Ga­bri­el ga­ran­te ‘título’ do Fla­men­go

Com go­la­ço por co­ber­tu­ra do ar­ti­lhei­ro do tor­neio, ti­me ca­ri­o­ca vence o San­tos por 1 a 0 e con­quis­ta o pri­mei­ro tur­no

O Estado de S. Paulo - - Esportes - Pery Ne­grei­ros

Na cha­ma­da fi­nal sim­bó­li­ca do pri­mei­ro tur­no, o Fla­men­go con­fir­mou seu fa­vo­ri­tis­mo. Com uma atu­a­ção mais efi­ci­en­te do que bri­lhan­te on­tem, no Ma­ra­ca­nã, o lí­der da com­pe­ti­ção ba­teu o vi­ce-lí­der San­tos por 1 a 0. Com is­so, o ti­me ca­ri­o­ca vi­ra a me­ta­de do tor­neio na liderança. Pa­ra a tor­ci­da, po­de ser um si­nal. Dos 16 ti­mes que ter­mi­na­ram na fren­te na pri­mei­ra me­ta­de da his­tó­ria do cam­pe­o­na­to, 12 fo­ram cam­peões.

O título sim­bó­li­co foi mé­ri­to, em grande par­te, do ata­can­te Ga­bri­el, ar­ti­lhei­ro do tor­neio com 16 gols. No fi­nal do pri­mei­ro tem­po, ele per­ce­beu o go­lei­ro Éver­son adi­an­ta­do e to­cou por co­ber­tu­ra. “Ti­ve­mos inú­me­ras chan­ces pa­ra am­pli­ar. Fi­co fe­liz pe­lo gol, re­al­men­te foi um go­la­ço. Qu­e­ro de­di­car o gol ao Diego Alves que me ori­en­tou so­bre is­so, que o Éver­son fi­ca­va adi­an­ta­do”, dis­se o ata­can­te for­ma­do nas ca­te­go­ri­as de ba­se do pró­prio San­tos.

O go­lei­ro Éver­son afir­mou que só es­ta­va adi­an­ta­do por cau­sa do es­que­ma da equi­pe, que o obri­ga a jo­gar adi­an­ta­do pa­ra ser­vir como op­ção de pas­se pa­ra

os za­guei­ros santistas. Sam­pa­o­li abo­mi­na os chu­tões da de­fe­sa pa­ra o ata­que. “Se eu es­ti­ves­se em­bai­xo do gol, se­ria de­fen­sá­vel (o chu­te de Ga­bri­el). Mas te­mos um es­ti­lo de jo­go, te­nho que jo­gar adi­an­ta­do. A gen­te sa­bia que jo­gar aqui era di­fí­cil. To­ma­mos o gol num detalhe”, afir­mou.

Sam­pa­o­li ava­li­ou que o jo­go

foi dos mais equi­li­bra­dos e aca­bou de­ci­di­do pe­lo ta­len­to in­di­vi­du­al de Ga­bri­el. “Apa­re­ceu um jo­ga­dor que fez um gol que nin­guém es­pe­ra­va. Exis­tem in­di­vi­du­a­li­da­des que re­sol­vem, não tí­nha­mos mui­to o que fa­zer”, dis­se o trei­na­dor.

“Nos­so ti­me foi va­len­te, não te­ve me­do con­tra uma equi­pe que es­ta­va com mo­ral, jo­gan­do

em ca­sa. Exis­tem for­mas de per­der, mas a de hoje (on­tem) não me pre­o­cu­pa”, com­ple­tou.

A vitória su­bli­nha o óti­mo mo­men­to do ti­me ca­ri­o­ca, que al­can­çou o sex­to triun­fo se­gui­do em ca­sa, o 13º na cam­pa­nha e manteve im­pres­si­o­nan­tes 100% de apro­vei­ta­men­to em dez du­e­los em ca­sa. O re­sul­ta­do le­va a equi­pe trei­na­da pe­lo por­tu­guês

Jor­ge Je­sus aos 42 pon­tos, na melhor tra­je­tó­ria do clu­be ca­ri­o­ca em um tur­no na era dos pon­tos cor­ri­dos, ini­ci­a­da em 2003. Já o San­tos es­ta­ci­o­na nos 37 pon­tos.

No jo­go de on­tem, o Fla­men­go so­brou, prin­ci­pal­men­te no se­gun­do tem­po e po­de­ria ter am­pli­a­do o pla­car. No fi­nal do jo­go, por exem­plo, Ga­bri­el er­rou pas­se fá­cil em con­tra-ata­que de dois con­tra um. “To­dos sa­bem que o Fla­men­go es­tá jo­gan­do um grande fu­te­bol. Não ga­nha­mos nada ain­da. Há mui­to tem­po o Fla­men­go não jo­ga­va as­sim. A gen­te de­sem­pe­nha um bom pa­pel lá na fren­te com a aju­da de to­dos. Eles (a de­fe­sa) são o ali­cer­ce de nós na fren­te”, elo­gi­ou Bruno Hen­ri­que.

WILTON JU­NI­OR / ESTADÃO

Na ponta. Ga­bri­el ce­le­bra gol iso­la­do que co­lo­ca o Fla­men­go como cam­peão sim­bó­li­co da pri­mei­ra par­te do Bra­si­lei­rão

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.