Ro­nal­do me­lho­ra in­fra­es­tru­tu­ra do Val­la­do­lid ELO­GI­OS

Há um ano, Fenô­me­no com­prou 51% das ações do clu­be e não fez lou­cu­ras por cra­ques: pri­mei­ro, ele quer cri­ar os ‘ali­cer­ces’

O Estado de S. Paulo - - Esportes - Renan Fer­nan­des

Quan­do Ro­nal­do Fenô­me­no com­prou 51% das ações do Re­al Val­la­do­lid e se tor­nou do­no da equi­pe es­pa­nho­la, em setembro de 2018, mui­tos es­pe­ra­vam uma mu­dan­ça ime­di­a­ta de pa­ta­mar da mo­des­ta equi­pe.

Mas di­fe­ren­te­men­te do que acon­te­ce quan­do xe­ques mi­li­o­ná­ri­os as­su­mem ti­mes de fu­te­bol e in­ves­tem vo­lu­mo­sas quan­ti­as de di­nhei­ro, o bra­si­lei­ro não fez lou­cu­ras fi­nan­cei­ras e co­me­çou sua no­va em­prei­ta­da no fu­te­bol preocupado em cri­ar um ali­cer­ce: os pri­mei­ros gas­tos e es­for­ços fo­ram vol­ta­dos pa­ra me­lho­rar a in­fra­es­tru­tu­ra an­tes de se pen­sar na che­ga­da de gran­des es­tre­las.

Pa­ra se man­ter in­tei­ra­do de tu­do que acon­te­ce no ti­me en­quan­to aten­de seus outros com­pro­mis­sos co­mer­ci­ais, Ro­nal­do re­ce­be re­la­tó­ri­os no escritório re­cém-cri­a­do pe­lo Val­la­do­lid em Ma­dri, on­de mo­ra. Es­tar per­to da ca­pi­tal es­pa­nho­la e, por con­sequên­cia, dos gran­des anun­ci­an­tes, também é vis­to no clu­be como uma opor­tu­ni­da­de de mer­ca­do. As idas do ago­ra dirigente pa­ra Val­la­do­lid ocor­rem a ca­da se­ma­na ou dez di­as. Por lá, ele ten­ta acom­pa­nhar al­guns trei­na­men­tos e jo­gos.

“Ele é nos­so prin­ci­pal em­bai­xa­dor.

Se tra­ta de uma ce­le­bri­da­de mun­di­al que trans­cen­de os as­pec­tos do fu­te­bol e a pro­je­ção que traz é enor­me. A ca­da opor­tu­ni­da­de, men­ci­o­na o Re­al Val­la­do­lid e nos aju­da a di­fun­dir a ima­gem do clu­be a ní­vel mun­di­al”, ex­pli­ca ao Es­ta­do o che­fe do ga­bi­ne­te da pre­si­dên­cia, Da­vid Es­pi­nar.

Se em cam­po Ro­nal­do era co­nhe­ci­do por cha­mar a res­pon­sa­bi­li­da­de, como dirigente o per­fil é ou­tro. “Ele gos­ta de de­le­gar fun­ções”, conta Es­pi­nar. O jor­na­lis­ta já ha­via tra­ba­lha­do com a ima­gem do ído­lo no Bar­ce­lo­na e Re­al Ma­drid e foi con­tra­ta­do pa­ra ser seu “bra­ço di­rei­to” no pro­je­to.

Por ter es­se re­la­ci­o­na­men­to de lon­ga da­ta, o car­to­la não se es­pan­ta como a che­ga­da do as­tro ele­vou ra­pi­da­men­te a pro­je­ção do Val­la­do­lid na Espanha e por to­do o mun­do: “A che­ga­da de Ro­nal­do trou­xe um in­cre­men­to mui­to sig­ni­fi­can­te em to­dos os as­pec­tos re­la­ci­o­na­dos ao clu­be. Por exem­plo, a ven­da de ca­mi­se­tas, coin­ci­din­do com a mu­dan­ça do pa­tro­ci­na­dor es­por­ti­vo pa­ra Adi­das, cres­ceu ex­po­nen­ci­al­men­te.”

As ar­qui­ban­ca­das no es­tá­dio Jo­sé Zor­ril­la também nun­ca es­ti­ve­ram tão chei­as. Na tem­po­ra­da passada, hou­ve uma ocu­pa­ção média de 80%, mais que o do­bro do que há dois anos, na se­gun­da di­vi­são. Es­sa por­cen­ta­gem

cres­ce­rá mais nes­ta tem­po­ra­da, pois o clu­be já conta com cer­ca de 21 mil car­nês ven­di­dos, um re­cor­de.

No pri­mei­ro ano, po­rém, um sus­to. A equi­pe lu­tou até a pe­núl­ti­ma ro­da­da con­tra o ris­co de re­bai­xa­men­to, fa­to que di­mi­nui­ria os va­lo­res ga­nhos com di­rei­tos de TV. “Grande par­te do nos­so pro­je­to en­ten­de que um re­bai­xa­men­to de di­vi­são se­ja um pro­ble­ma, mas não uma tragédia. Is­so sig­ni­fi­ca­ria a de­sa­ce­le­ra­ção de al­gu­mas de­ci­sões, mas não um freio de­fi­ni­ti­vo. A melhor ma­nei­ra de con­tro­lar es­sas si­tu­a­ções é cri­ar for­ças su­fi­ci­en­tes den­tro da en­ti­da­de pa­ra sair­mos re­for­ça­dos de ca­da di­fi­cul­da­de. A reação do clu­be di­an­te das in­jus­ti­fi­ca­das acu­sa­ções re­ce­bi­das no ‘ca­so Oi­kos’ é uma boa amos­tra de nos­sa for­ça ins­ti­tu­ci­o­nal”, diz.

O ‘ca­so Oi­kos’, ci­ta­do por Es­pi­nar, foi uma operação po­li­ci­al que pren­deu 11 pes­so­as em ju­nho por sus­pei­ta de um es­que­ma de ma­ni­pu­la­ção de re­sul­ta­dos na úl­ti­ma ro­da­da do Cam­pe­o­na­to Espanhol. Gra­va­ções in­ter­cep­ta­das acu­sam se­te jo­ga­do­res do Val­la­do­lid de es­ta­rem en­vol­vi­dos em fa­ci­li­ta­ção pa­ra a vitória do Va­len­cia, que ga­ran­tiu o ti­me na Li­ga dos Cam­peões. Nada foi com­pro­va­do até ago­ra.

Da­vid Es­pi­nar CHE­FE DO GAB. DA PRE­SI­DÊN­CIA ‘Ele é o nos­so mai­or em­bai­xa­dor. A che­ga­da de Ro­nal­do trou­xe um in­cre­men­to mui­to sig­ni­fi­can­te em to­dos os as­pec­tos re­la­ci­o­na­dos ao clu­be’

REALVALLAD­OLID.ES–1/9/2019

Obras. Tro­ca do gra­ma­do no es­tá­dio Jo­sé Zor­ril­la, no iní­cio do ano, é um dos exem­plos da mo­der­ni­za­ção do clu­be di­ri­gi­do por Ro­nal­do Fenô­me­no

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.