Par­la­men­ta­res go­ver­nis­tas ten­tam bar­rar três CPIs

Co­mis­sões ba­ti­za­das de ‘La­va To­ga’, ‘Va­za Ja­to’ e ‘Fa­ke News’ se tor­na­ram al­vo de de­pu­ta­dos e se­na­do­res da ba­se

O Estado de S. Paulo - - Política - BRA­SÍ­LIA M.H. e DA­NI­EL WE­TER­MAN /

De­pu­ta­dos e se­na­do­res go­ver­nis­tas se or­ga­ni­za­ram, nos úl­ti­mos di­as, pa­ra bar­rar a cri­a­ção de du­as co­mis­sões par­la­men­ta­res de inqué­ri­to no Con­gres­so. A CPI da La­va To­ga no Se­na­do, pa­ra in­ves­ti­gar a atu­a­ção de ministros do Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral, e a da Va­za Ja­to na Câ­ma­ra – ar­ti­cu­la­da pe­la opo­si­ção pa­ra apu­rar as con­ver­sas en­tre o en­tão juiz Sér­gio Mo­ro e pro­cu­ra­do­res da La­va Ja­to – pre­o­cu­pam o Pla­nal­to por­que há o te­mor de que as in­ves­ti­ga­ções pos­sam res­pin­gar no go­ver­no e em ali­a­dos.

Uma ter­cei­ra CPI, a das Fa­ke News, já ins­ta­la­da, pas­sou a ser mo­ni­to­ra­da pe­la ba­se do go­ver­no no Le­gis­la­ti­vo, ten­do à fren­te o se­na­dor Flávio Bol­so­na­ro (PSL-RJ), fi­lho do pre­si­den­te. No Se­na­do, a ten­ta­ti­va de abrir a in­ves­ti­ga­ção con­tra in­te­gran­tes do Su­pre­mo ra­chou o PSL. Flávio ten­tou que os co­le­gas da le­gen­da re­ti­ras­sem o apoio à co­mis­são. Di­an­te da pres­são, Juí­za Sel­ma (MT) anun­ci­ou que vai sair do PSL. O lí­der do par­ti­do no Se­na­do, Ma­jor Olím­pio (SP), pe­diu que o pró­prio Flávio dei­xe a le­gen­da, co­mo mos­trou a Co­lu­na do Es­ta­dão.

Olím­pio afir­mou mais tar­de que não sai­rá do PSL por­que foi con­ven­ci­do por pes­so­as pró­xi­mas a per­ma­ne­cer no par­ti­do. “Vou con­ti­nu­ar apoi­an­do o pre­si­den­te Bol­so­na­ro e as pau­tas do go­ver­no. Não ve­jo o pre­si­den­te to­man­do po­si­ção con­tra a La­va Ja­to. É uma po­si­ção do fi­lho do pre­si­den­te, que é se­na­dor. Mas is­so é con­tra­pro­du­cen­te à ban­dei­ra do pró­prio par­ti­do”, dis­se ele ao Es­ta­dão/Bro­ad­cast.

A se­na­do­ra So­raya Th­ro­nic­ke (PSL-MS) foi uma das que pe­di­ram pa­ra Sel­ma e Olím­pio con­ti­nu­a­rem no PSL. E mi­ni­mi­zou o mo­vi­men­to de Flávio. “Es­tou pe­din­do pa­ra to­do mun­do se per­do­ar, pa­rar de bri­gar e es­pe­rar a po­ei­ra abai­xar.” Pa­ra ela, Flávio ten­tou bar­rar a CPI por en­ten­der que a in­ves­ti­ga­ção atra­pa­lha­ria o go­ver­no do pai.

Na ava­li­a­ção da de­pu­ta­da Car­la Zam­bel­li (PSL-SP), a CPI vai en­fra­que­cer tan­to o Le­gis­la­ti­vo quan­to o Ju­di­ciá­rio. “E não vai acon­te­cer o que é pre­ci­so, de fa­to, que é a saí­da dos ministros.” Pa­ra ela, a dis­cus­são es­tá con­cen­tra­da no fa­to de Flávio ter si­do o úni­co se­na­dor do PSL a não as­si­nar o pe­di­do de cri­a­ção

da co­mis­são. “Acham que a as­si­na­tu­ra do Flávio é a mes­ma coi­sa que uma as­si­na­tu­ra do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro. E não é.”

Já o de­pu­ta­do Co­ro­nel Ta­deu (PSL-SP) afir­mou que, ape­sar da mo­vi­men­ta­ção in­ter­na no par­ti­do pa­ra es­va­zi­ar as du­as CPIs, ele vai con­ti­nu­ar de­fen­den­do a da La­va To­ga. “Ge­rou mes­mo um cli­ma des­con­for­tá­vel o Flávio ter si­do o úni­co que não apoi­ou”, ad­mi­tiu o par­la­men­tar. Pa­ra Ta­deu, o ar­gu­men­to de que a CPI não te­rá con­di­ções de in­ves­ti­gar a fun­do a atu­a­ção dos ministros do Su­pre­mo é um “fac­toi­de” pa­ra con­ven­cer os bol­so­na­ris­tas a de­sis­ti­rem da CPI. “Vou con­ti­nu­ar de­fen­den­do por­que, ca­so con­trá­rio, per­co mi­nha iden­ti­da­de. Ti­ro uma más­ca­ra e co­lo­co ou­tra?”

Em re­la­ção à CPI da Va­za Ja­to, a ban­ca­da do PSL é unís­so­na em de­fen­der seu en­ter­ro, sob o ar­gu­men­to de que foi pro­pos­ta pe­la opo­si­ção e tem o ob­je­ti­vo de in­ves­ti­gar denúncias de que a for­ça-ta­re­fa da La­va Ja­to te­ria co­me­ti­do ir­re­gu­la­ri­da­des. Mas há tam­bém pre­o­cu­pa­ção de que as in­ves­ti­ga­ções pos­sam en­fra­que­cer pi­la­res do go­ver­no, co­mo o mi­nis­tro Sér­gio Mo­ro, que foi juiz da ope­ra­ção.

Fa­ke News. O go­ver­no tem tra­ba­lha­do ain­da con­tra a CPI das Fa­ke News, que apu­ra denúncias de uti­li­za­ção das re­des pa­ra di­fa­mar can­di­da­tos nas elei­ções de 2018. Flávio ques­ti­o­nou qu­al se­ria o fa­to de­ter­mi­na­do pa­ra a cri­a­ção da CPI. O pre­si­den­te da co­mis­são, Angelo Co­ro­nel (PSD-BA), ar­gu­men­tou que o ob­je­ti­vo é “in­ves­ti­gar ata­ques ci­ber­né­ti­cos que aten­tam con­tra a de­mo­cra­cia”. Flávio res­pon­deu: “To­tal­men­te am­plo, não é?”.

‘Con­tra­pro­du­cen­te’ “Vou con­ti­nu­ar apoi­an­do o pre­si­den­te Bol­so­na­ro e as pau­tas do go­ver­no. Não ve­jo o pre­si­den­te to­man­do po­si­ção con­tra a La­va Ja­to. É uma po­si­ção do fi­lho do pre­si­den­te, que é se­na­dor. Mas is­so é con­tra­pro­du­cen­te à ban­dei­ra do pró­prio par­ti­do.” Ma­jor Olim­pio (SP) LÍ­DER DO PSL NO SE­NA­DO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.