CA­DAS­TRO PA­RA DE­FE­SA DO PRE­SI­DEN­TE

Apoi­a­do­res de Bol­so­na­ro su­ge­rem mon­tar um ban­co de da­dos pa­ra cri­ar ‘mi­li­tân­cia or­ga­ni­za­da’

O Estado de S. Paulo - - Política - Ri­car­do Ga­lhar­do

Di­an­te da ame­a­ça de ra­cha na ba­se por cau­sa do mo­vi­men­to con­tra a agen­da de com­ba­te à cor­rup­ção, al­guns dos prin­ci­pais in­flu­en­ci­a­do­res bol­so­na­ris­tas nas re­des so­ci­ais pro­pu­se­ram a cri­a­ção de um ca­das­tro pa­ra mi­li­tan­tes em de­fe­sa do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro.

A ini­ci­a­ti­va par­tiu de Al­lan dos San­tos, res­pon­sá­vel pe­lo si­te Ter­ça Li­vre, que on­tem di­vul­gou for­mu­lá­rio no qu­al mi­li­tan­tes de­vem for­ne­cer da­dos co­mo e-mail, no­me com­ple­to, có­di­go de área e nú­me­ro

do ce­lu­lar. A hash­tag #Es­touComBol­so­na­ro fi­cou en­tre os as­sun­tos mais co­men­ta­dos do Twit­ter, o que le­vou usuá­ri­os das re­des a apon­ta­rem uma ação co­or­de­na­da em de­fe­sa de Bol­so­na­ro e ali­a­dos mais pró­xi­mos.

A ação é uma res­pos­ta à con­vo­ca­ção fei­ta na vés­pe­ra pe­lo es­cri­tor Ola­vo de Car­va­lho, gu­ru do pre­si­den­te, que pu­bli­cou ví­deo no qu­al pe­de a cri­a­ção de uma mi­li­tân­cia pró-Bol­so­na­ro. “A coi­sa mais ur­gen­te é uma mi­li­tân­cia bol­so­na­ris­ta or­ga­ni­za­da. No­tem bem, não dis­se mi­li­tân­cia con­ser­va­do­ra nem mi­li­tân­cia li­be­ral. A po­lí­ti­ca não é uma lu­ta de idei­as, é uma lu­ta de pes­so­as e gru­pos”, dis­se Ola­vo.

Le­an­dro Rus­chel, se­gui­dor de Ola­vo e in­flu­en­ci­a­dor bol­so­na­ris­ta, su­ge­riu que a dis­pu­ta po­lí­ti­ca de­ve ser fei­ta di­a­ri­a­men­te, por mi­li­tan­tes or­ga­ni­za­dos e “fi­nan­ci­a­dos”. “Nos EUA, há uma mi­li­tân­cia con­ser­va­do­ra su­pe­ror­ga­ni­za­da e fi­nan­ci­a­da de­fen­den­do Do­nald Trump di­a­ri­a­men­te, en­quan­to do ou­tro la­do, há uma mi­li­tân­cia ain­da mais or­ga­ni­za­da e fi­nan­ci­a­da, o ata­can­do. Ou vo­cês acham que po­lí­ti­ca é vo­tar a ca­da dois anos e deu?”, es­cre­veu.

A reação ocor­re no mo­men­to em que setores e per­so­na­li­da­des im­por­tan­tes que apoi­a­ram a elei­ção de Bol­so­na­ro, mas ago­ra se afas­tam do go­ver­no por en­xer­gar nas ações do pre­si­den­te e de seu fi­lho mais ve­lho, o se­na­dor Flávio Bol­so­na­ro (PSL-RJ), ten­ta­ti­vas de in­ter­fe­rir em ór­gãos de com­ba­te à cor­rup­ção, co­mo Po­lí­cia Fe­de­ral, Mi­nis­té­rio Pú­bli­co e Re­cei­ta Fe­de­ral.

Na se­ma­na pas­sa­da o Es­ta­do re­ve­lou que gru­pos co­mo Mo­vi­men­to Bra­sil Li­vre (MBL), Vem Pra Rua e per­so­na­li­da­des co­mo o can­tor Lo­bão e o hu­mo­ris­ta Mar­ce­lo Ma­du­rei­ra, que li­de­ra­ram a de­fe­sa da La­va Ja­to nas ru­as, atri­bu­em a in­ter­fe­rên­cia de Bol­so­na­ro nos ór­gãos de con­tro­le a uma ten­ta­ti­va de bar­rar as in­ves­ti­ga­ções con­tra Flávio.

No fim de se­ma­na es­sa per­cep­ção se es­pa­lhou por setores da ba­se de Bol­so­na­ro no Con­gres­so, in­clu­si­ve no PSL, par­ti­do do pre­si­den­te. Ao Es­ta­do, a se­na­do­ra Sel­ma Ar­ru­da (MT) dis­se que vai tro­car o PSL pe­lo Po­de­mos. Ela dis­se ter si­do pres­si­o­na­da por Flávio a re­ti­rar sua as­si­na­tu­ra do pe­di­do de ins­ta­la­ção da CPI da La­va To­ga, cu­jo ob­je­ti­vo é in­ves­ti­gar o Ju­di­ciá­rio.

Dis­pa­ros. On­tem a tem­pe­ra­tu­ra au­men­tou com a de­cla­ra­ção do lí­der do PSL no Se­na­do, Ma­jor Olim­pio (SP), à Co­lu­na do Es­ta­dão, na qu­al ele dis­se que Flávio é que de­ve­ria sair da si­gla, não Sel­ma.

A de­pu­ta­da es­ta­du­al Ja­naí­na Pas­cho­al (PSL-SP) saiu em de­fe­sa da CPI e vi­rou al­vo de ata­ques nas re­des. De ma­nhã, ela pu­bli­cou no Twit­ter que “Ola­vo de Car­va­lho aca­bou” e acu­sou o gu­ru de ten­tar cri­ar “o im­be­cil co­le­ti­vo bol­so­na­ris­ta”, em re­fe­rên­cia ao li­vro O Im­be­cil Co­le­ti­vo, pu­bli­ca­do por Ola­vo em 1996. “Do meu li­vro, a Ja­naí­na Pas­cho­al não en­ten­deu nem o tí­tu­lo”, dis­se o es­cri­tor.

TERRANCE MCCOY / WASHING­TON POST

‘Gu­ru’. Con­vo­ca­ção foi fei­ta pe­lo es­cri­tor Ola­vo de Car­va­lho

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.