A aven­tu­ra do co­nhe­ci­men­to

Da­ta es­te­lar: Lua mín­gua em Tou­ro

O Estado de S. Paulo - - Caderno 2 - OS­[email protected]

Re­vi­sa teus con­cei­tos pe­ri­o­di­ca­men­te pa­ra que es­ses não en­ges­sem, se trans­for­man­do em pre­con­cei­tos. Par­te do prin­cí­pio de que ain­da é mui­to mais o que des­co­nhe­ces do que aqui­lo que pen­sas sa­ber, e que a aven­tu­ra do co­nhe­ci­men­to de­pen­de de te po­si­ci­o­na­res com men­te aber­ta e re­cep­ti­va di­an­te dos acon­te­ci­men­tos, es­pe­ci­al­men­te da­que­les que, de iní­cio, te pro­vo­quem re­jei­ção. Acon­te­ce que a aven­tu­ra do co­nhe­ci­men­to não se de­sen­vol­ve num ce­ná­rio on­de tu te sin­tas con­for­tá­vel, pe­lo con­trá­rio, é por não con­se­gui­res aco­mo­dar o que per­ce­bes den­tro de teus con­cei­tos que es­sa aven­tu­ra tem iní­cio. Por is­so, se per­ma­ne­ces con­ti­nu­a­men­te en­tre teus se­me­lhan­tes, tu­as chan­ces de co­nhe­cer di­mi­nu­em mui­to. Po­rém, se tran­si­tas por en­tre teus di­fe­ren­tes, aí sim en­con­tra­rás a pos­si­bi­li­da­de de am­pli­ar tua per­cep­ção e co­nhe­ci­men­to.

ÁRI­ES 21-3 a 20-4

Li­dar com es­sa di­ver­si­da­de de pes­so­as que cir­cu­la por aí não é ta­re­fa fá­cil, mas é a ne­ces­sá­ria pa­ra es­te mo­men­to, por­que tu­do o mais de­pen­de de ha­ver mí­ni­ma con- cór­dia e do es­ta­be­le­ci­men­to de la­ços de so­li­da­ri­e­da­de.

TOU­RO 21-4 a 20-5

São tan­tos de­ta­lhes sur­gin­do ao mes­mo tem­po que, à pri­mei­ra vis­ta, pa­re­ce­ria que vo­cê não te­ria co­mo dar con­ta do re­ca­do. Per­sis­ta, as coi­sas se com­pli­cam jus­ta­men- te pa­ra que vo­cê ti­re da man­ga os trun­fos es­con­di­dos.

GÊMEOS 21-5 a 20-6

To­da e qual­quer opi­nião me­re­ce ser ques­ti­o­na­da, por­que só as­sim vo­cê sa- be­ria se pro­ce­de ou se pre­ci­sa ser des­car­ta­da. Po­rém, não é to­da ho­ra que ser­ve ao ques­tio- na­men­to, às ve­zes é me­lhor dei­xar pas­sar, ape­nas is­so. CÂN­CER 21-6 a 21-7

Por en­quan­to, a úni­ca ma­nei­ra de re­sol­ver os im­bró­gli­os que afe­tam o am­bi­en­te mais pró­xi­mo e fa­mi­li­ar, é vo­cê con­ti­nu­ar fa­zen­do su­as coi­sas da me­lhor ma­nei­ra pos­sí­vel, sem se obri­gar a in­ter- vir di­re­ta­men­te em na­da.

LEÃO 22-7 a 22-8

Mui­tas das coi­sas que as pes­so­as di­zem e, in­clu­si­ve, mui­tas das que vo­cê diz tam­bém, são ape­nas re­pe­ti- ções ir­re­fle­ti­das de mei­as ver- da­des que cir­cu­lam por aí. Es- te é um bom mo­men­to pa­ra pres­tar mais aten­ção a is­so.

VIR­GEM 23-8 a 22-9

A pers­pec­ti­va de ter de to­mar ati­tu­des um pou­co mais ou­sa­das das que nor­mal­men­te to­ma­ria dei­xa a sua al­ma em es­ta­do de aler­ta, e de- to­na to­dos os alar­mes in­te­ri­o­res. Na prá­ti­ca, na­da se­rá tão dra­má­ti­co, le­ve is­so em con­ta. LI­BRA 23-9 a 22-10

Apa­rar ares­tas, la­pi­dar ges­tos, pro­mo­ver con­for­to e se­gu­ran­ça nos re­la­ci­o­na­men­tos, pro­pi­ci­ar a le­al­da­de, tu­do is­so dá tra­ba­lho, não são coi­sas que acon­te­çam na­tu- ral­men­te. Por is­so, mãos à obra, es­tá tu­do dis­po­ní­vel.

ES­COR­PIÃO 23-10 a 21-11

No mo­men­to, e ape­sar da com­ple­xi­da­de de tu­do que es­tá en­vol­vi­do, se­rá me­lhor vo­cê to­mar dis­tân­cia pa­ra res­pi­rar fun­do e pen­sar bem so­bre a ma­nei­ra mais efi­ci­en­te de in­ter­vir nos acon­te­ci- men­tos. Dis­tân­cia.

SA­GI­TÁ­RIO 22-11 a 21-12

Não se tra­ta de se­guir ce­ga­men­te as ori­en­ta­ções que as pes­so­as ofe­re­cem, nem tam­pou­co obs­ti­nar-se em fa­zer tu­do ape­nas de acor­do com sua vi­são de mun­do. Tra­ta-se de che­gar ao ca­mi­nho do meio, es­se é o de­sa­fio. CA­PRI­CÓR­NIO 22-12 a 20-1

Agra­dar ou de­sa­gra­dar às pes­so­as com o que vo­cê faz não de­ve­ria to­mar tem­po de sua men­te e co­ra­ção, e is­so não por­que vo­cê de­va des­con­si­de­rar os sen­ti­men­tos alhei­os, mas por­que é im­pos­sí­vel agra­dar a to­dos.

AQUÁ­RIO 21-1 a 19-2

Pa­ra re­co­nhe­cer se uma opi­nião é ver­da­dei­ra ou se é ape­nas um ven­to que sai pe­la bo­ca das pes­so­as, sem fun­da­men­to al­gum, vo­cê pre­ci­sa ex­pe­ri­men­tar is­so na prá­ti­ca, por­que so­men­te ela di­rá o que é ver­da­dei­ro ou men­ti­ra.

PEI­XES 20-2 a 20-3

Não im­por­ta quão bom se­ja seu desempenho, sem­pre ha­ve­rá por aí um es­pí­ri­to de por­co pre­pa­ra­do pa­ra cri­ti­car, con­de­nar e di­zer que es­tá tu­do er­ra­do. De­sa­pe­gue-se do olhar alheio, con­ti­nue ten­tan­do e ex­pe­ri­men­tan­do.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.