Bol­so­na­ro san­ci­o­na a pos­se am­pli­a­da de ar­ma em área ru­ral

É a pri­mei­ra nor­ma pró-ar­mas apro­va­da no Con­gres­so des­de o iní­cio da atu­al ges­tão, que tem o te­ma como ban­dei­ra

O Estado de S. Paulo - - Metrópole - Ju­lia Lind­ner / BRA­SÍ­LIA

O pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro san­ci­o­nou on­tem a pos­se es­ten­di­da de ar­ma de fo­go em áre­as ru­rais. A no­va regra, apro­va­da pe­lo Con­gres­so em agos­to, per­mi­te car­re­gar a ar­ma por toda a pro­pri­e­da­de, e não ape­nas na se­de do imóvel ru­ral, como era pre­vis­to até ago­ra. É a pri­mei­ra nor­ma pró-ar­mas apro­va­da no Con­gres­so des­de o iní­cio da ges­tão de Bol­so­na­ro, que tem es­se te­ma como ban­dei­ra.

Em pro­ces­so de re­cu­pe­ra­ção após uma ci­rur­gia, Bol­so­na­ro san­ci­o­nou a pro­pos­ta em even­to fe­cha­do no Palácio da Al­vo­ra­da. En­tre os par­ti­ci­pan­tes da ce­rimô­nia es­ta­vam os mi­nis­tros Fer­nan­do Azevedo, da De­fe­sa, Au­gus­to He­le­no, do Ga­bi­ne­te de Segurança Ins­ti­tu­ci­o­nal, o de­pu­ta­do Af­fon­so Hamm (PPRS), re­la­tor da me­di­da na Câ­ma­ra, e o se­na­dor Mar­cos Rogério (DEM-RO), au­tor do tex­to.

A jus­ti­fi­ca­ti­va de Mar­cos Rogério é de que es­se pro­je­to cor­ri­ge um equí­vo­co do Es­ta­tu­to do De­sar­ma­men­to, de 2003. Es­sa lei res­trin­ge a pos­se de ar­ma de fo­go no in­te­ri­or das re­si­dên­ci­as e no lo­cal de trabalho, mas não par­ti­cu­la­ri­za a si­tu­a­ção dos imó­veis ru­rais. Há cer­ca de 5,9 mi­lhões de pro­pri­e­da­des des­se ti­po no País, se­gun­do ba­lan­ço até 31 de maio no Ca­das­tro Am­bi­en­tal Ru­ral (CAR). Nos úl­ti­mos anos, en­ti­da­des do agro­ne­gó­cio têm re­cla­ma­do que a in­se­gu­ran­ça no cam­po ele­va os cus­to da pro­du­ção e leva à per­da de com­pe­ti­ti­vi­da­de dos pro­du­to­res.

“O pre­si­den­te fez ques­tão de as­si­nar pa­ra mar­car o com­pro­mis­so com o po­vo do cam­po”, dis­se Hamm. Se­gun­do o de­pu­ta­do, Bol­so­na­ro fez um ape­lo pa­ra que se­ja vo­ta­do em breve o pro­je­to que am­plia pa­ra 40 pontos o li­mi­te da Car­tei­ra Nacional de Ha­bi­li­ta­ção, mas não co­men­tou o pro­je­to na pau­ta do ple­ná­rio da Câ­ma­ra so­bre o re­gis­tro, pos­se e por­te de ar­mas.

Na reunião de lí­de­res, par­la­men­ta­res de­ci­di­ram que vo­ta­rão na pró­xi­ma semana pro­je­to de lei que abre pos­si­bi­li­da­de pa­ra am­pli­ar as ca­te­go­ri­as pro­fis­si­o­nais com di­rei­to ao por­te de ar­mas (an­dar ar­ma­do nas ru­as). Hoje, o por­te só é per­mi­ti­do pa­ra ca­te­go­ri­as des­cri­tas no Es­ta­tu­to, como mi­li­ta­res das For­ças Ar­ma­das, po­li­ci­ais e guar­das pri­si­o­nais.

O re­la­tó­rio do de­pu­ta­do Alexandre Lei­te (DEM-SP) já foi apre­sen­ta­do ao ple­ná­rio. Uma das mu­dan­ças propostas é a re­ti­ra­da do tre­cho que pre­via a con­ces­são do por­te pa­ra al­gu­mas ca­te­go­ri­as por meio de re­gu­la­men­to, como de­cre­tos, sem ser ne­ces­sá­rio uma mu­dan­ça na lei. O tex­to original foi en­vi­a­do por Bol­so­na­ro ao Con­gres­so em ju­nho, após os de­cre­tos que ha­vi­am si­do edi­ta­dos pe­lo go­ver­no so­bre o te­ma te­rem si­do der­ru­ba­dos pe­lo Le­gis­la­ti­vo.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.