MO­TO

HARLEY DELUXE IN­VES­TE EM VI­SU­AL CLÁS­SI­CO E PRA­ZER DE PILOTAR

O Estado de S. Paulo - - JornaldoCa­rro - Jo­sé An­to­nio Le­me jo­se.le­[email protected]

Na li­nha 2019, a Har­leyDa­vid­son atu­a­li­zou um de seus mo­de­los mais clás­si­cos, a Deluxe. A mo­to­ci­cle­ta, que traz pneus com fai­xas bran­cas nas la­te­rais, três fa­róis re­don­dos e o mos­tra­dor no tan­que, evo­ca o es­ti­lo das pri­mei­ras Harley.

Mon­ta­da em Ma­naus, parte de R$ 72.900 na cor pre­ta e che­ga a R$ 74.300 na pin­tu­ra em dois tons. Ape­sar do vi­su­al clás­si­co, o modelo ganhou itens mo­der­nos como as lu­zes de LEDs e as se­tas cu­jo for­ma­to mais con­tem­po­râ­neo se des­ta­ca no de­se­nho.

Na li­nha 2019, a Deluxe traz o mo­tor Milwau­kee 114, com dois ci­lin­dros em V e 1.745 cm3. Ele ren­de 14,8 mkgf a 3 mil rpm (a Harley não di­vul­ga a po­tên­cia). Es­se pro­pul­sor é o mais for­te da li­nha normal (aci­ma de­le há ape­nas o es­por­ti­vo 1.923 cm3 da li­nha CVO).

O Milwau­kee se des­ta­ca pe­la bai­xa vi­bra­ção e a boa ca­pa­ci­da­de de tor­que des­de baixas ro­ta­ções. A boa dis­si­pa­ção de calor tam­bém é um pon­to ex­tra des­se V2. O câm­bio de seis ve­lo­ci­da­des tem en­ga­tes fá­ceis e a re­la­ção de mar­chas pro­por­ci­o­na bom uso da for­ça que é ge­ra­da, exi­gin­do pou­cas trocas.

O as­pec­to clás­si­co aca­ba levando a Deluxe a sur­pre­en­der no de­sem­pe­nho, bem aci­ma do es­pe­ra­do pa­ra um modelo com es­sa pro­pos­ta. Os pneus de per­fil mais fi­no, MT90B16 72H na fren­te e MU85B16 77H atrás, dão agi­li­da­de à mo­to, es­pe­ci­al­men­te em trocas de di­re­ção, e dei­xam mais fá­cil a mis­são de in­cli­ná-la nas curvas.

Com es­se com­por­ta­men­to, a mo­to é uma das mais agra­dé­veis de pilotar na li­nha Harley. A po­si­ção dos bra­ços é bem aber­ta, pois o gui­dom é lar­go, mas bai­xo. As pla­ta­for­mas são le­ve­men­te avan­ça­das, dei­xan­do o pi­lo­to con­for­tá­vel.

O as­sen­to do con­du­tor é bom, mes­mo pa­ra lon­gos tre­chos. Na li­nha 2019, a Deluxe dei­xou de ofe­re­cer o ban­co do ga­ru­pa como item de sé­rie. Ele era pe­que­no, mas ser­via pa­ra des­lo­ca­men­tos cur­tos.

No vi­su­al, o que in­co­mo­da é a po­si­ção de fi­xa­ção da pla­ca na tra­sei­ra, que des­toa do es­ti­lo agra­dá­vel des­sa Harley.

O pai­nel no tan­que tem apa­rên­cia tra­di­ci­o­nal, com ve­lo­cí­me­tro. Mas há tam­bém uma pe­que­na te­la di­gi­tal com to­das as in­for­ma­ções ne­ces­sá­ri­as.

A sus­pen­são for­ne­ci­da pe­la Showa tem cur­so de amor­te­ci­men­to cur­to, mas con­se­gue li­dar bem com im­per­fei­ções me­di­a­nas no pi­so, sem pre­ju­di­car o con­for­to do pi­lo­to.

O sis­te­ma de freio com ABS tem dis­co sim­ples de 300 mm na fren­te e quatro pis­tões e 292 mm atrás – com dois pis­tões. O con­jun­to en­tre­ga bom po­der de fre­na­gem pa­ra pa­ra­das e re­du­ções de ve­lo­ci­da­de.

FO­TOS: FE­LI­PE RAU/ESTADÃO

Pneus com fai­xas bran­cas, três fa­róis e mui­tos cro­ma­dos ga­ran­tem à mo­to es­ti­lo ins­pi­ra­do no das pri­mei­ras Harley-Da­vid­son

Pai­nel é tra­di­ci­o­nal, mas traz pe­que­na te­la di­gi­tal pa­ra exi­bir di­ver­sos da­dos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.