NO ‘GA­BI­NE­TE DO ÓDIO’, TOM É DE GU­ER­RA

Car­los Bol­so­na­ro li­de­ra gru­po que pro­duz re­la­tó­ri­os e in­flu­en­cia de­ci­sões do pre­si­den­te

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - Ve­ra Ro­sa Tâ­nia Mon­tei­ro / BRA­SÍ­LIA

No 3.º an­dar do Pla­nal­to, fun­ci­o­na o que as­ses­so­res pre­si­den­ci­ais ba­ti­za­ram de “ga­bi­ne­te do ódio”. Liderado por Car­los Bol­so­na­ro, ele faz re­la­tó­ri­os ao pre­si­den­te, in­flu­en­cia su­as de­ci­sões e for­mu­la es­tra­té­gi­as pa­ra as re­des so­ci­ais à re­ve­lia da Se­cre­ta­ria de Co­mu­ni­ca­ção.

OPa­lá­cio do Pla­nal­to abri­ga um nú­cleo de as­ses­so­res que tem for­te in­fluên­cia so­bre o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro e é co­nhe­ci­do co­mo “ga­bi­ne­te do ódio”. De­fen­so­res da pau­ta de cos­tu­mes, eles pro­du­zem re­la­tó­ri­os diá­ri­os, com su­as in­ter­pre­ta­ções, so­bre fa­tos do Bra­sil e do mun­do e são res­pon­sá­veis pe­las re­des so­ci­ais da Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca. Es­sa ala ide­o­ló­gi­ca faz a ca­be­ça de Bol­so­na­ro e o in­cen­ti­va a ado­tar um es­ti­lo be­li­ge­ran­te no go­ver­no.

Com a se­nha das re­des do pai, o ve­re­a­dor li­cen­ci­a­do Car­los Bol­so­na­ro (PSC-RJ), o “02” do pre­si­den­te, dá or­dens pa­ra os as­ses­so­res Tér­cio Ar­naud To­maz, Jo­sé Matheus Sa­les Go­mes e Ma­teus Ma­tos Diniz. Os três são da con­fi­an­ça do ve­re­a­dor e do de­pu­ta­do Edu­ar­do Bol­so­na­ro (PSLSP) – o fi­lho “03”, que Bol­so­na­ro quer em­pla­car na em­bai­xa­da dos Es­ta­dos Uni­dos. O se­na­dor Flá­vio Bol­so­na­ro (PSL-RJ), pri­mo­gê­ni­to, tem hor­ror ao trio.

Filipe Mar­tins, o as­ses­sor pa­ra As­sun­tos In­ter­na­ci­o­nais de Bol­so­na­ro, tam­bém faz par­te des­se gru­po. Tér­cio, Jo­sé Matheus, Diniz e Filipe des­pa­cham no ter­cei­ro an­dar do Pla­nal­to, ao la­do do pre­si­den­te. Ou­tro in­te­gran­te do nú­cleo é Cé­lio Fa­ria Jú­ni­or, que Bol­so­na­ro trou­xe da Ma­ri­nha e ho­je é che­fe da As­ses­so­ria Es­pe­ci­al da Pre­si­dên­cia.

Com car­ta bran­ca pa­ra en­trar no Pla­nal­to, o as­ses­sor par­la­men­tar Le­o­nar­do Ro­dri­gues de Je­sus, o Leo Ín­dio, pri­mo dos fi­lhos de Bol­so­na­ro, vi­rou uma es­pé­cie de “es­pião vo­lun­tá­rio” do go­ver­no. Léo Ín­dio já pro­du­ziu dos­si­ês in­for­mais de “in­fil­tra­dos e co­mu­nis­tas” nas es­tru­tu­ras fe­de­rais, co­mo re­ve­lou o

Es­ta­do. O en­tão mi­nis­tro da Se­cre­ta­ria de Go­ver­no, ge­ne­ral Car­los Al­ber­to dos San­tos Cruz, com­prou bri­ga com Car­los e com ele. Foi de­mi­ti­do.

Quan­do Flá­vio saiu de fé­ri­as e vi­a­jou pa­ra a Bahia, em me­a­dos de ju­lho, au­xi­li­a­res de Bol­so­na­ro no Pla­nal­to fi­ca­ram pre­o­cu­pa­dos. A por­tas fe­cha­das, no se­gun­do an­dar da­que­le pré­dio er­gui­do com co­lu­nas “le­ves co­mo pe­nas pou­san­do no chão”, co­mo gos­ta­va de com­pa­rar o ar­qui­te­to Oscar Niemeyer, um as­ses­sor che­gou a di­zer que, sem Flá­vio em Bra­sí­lia, o “ga­bi­ne­te do ódio” fi­ca­ria incontrolá­vel.

O co­men­tá­rio re­fle­te a ten­são que to­mou con­ta do Pla­nal­to. Nos bas­ti­do­res, es­sa “re­par­ti­ção” é vis­ta co­mo res­pon­sá­vel pe­lo afas­ta­men­to ca­da vez mai­or en­tre Flá­vio e Car­los, ape­li­da­do de “Car­lu­xo”. Con­si­de­ra­do o “pit bull” da fa­mí­lia, Car­los cria es­tra­té­gi­as pa­ra as mí­di­as di­gi­tais do pai e sem­pre de­fen­deu a tá­ti­ca do con­fron­to pa­ra ad­mi­nis­trar, em opo­si­ção a Flá­vio, do­no de es­ti­lo con­ci­li­a­dor.

Na prá­ti­ca, mes­mo quan­do não está em Bra­sí­lia, o ve­re­a­dor co­man­da o nú­cleo ide­o­ló­gi­co, emi­te opi­niões po­lê­mi­cas, cha­ma a im­pren­sa de “li­xo” e lan­ça pro­vo­ca­ções con­tra ali­a­dos do pai, co­mo o vi­ce-pre­si­den­te Ha­mil­ton Mou­rão, ti­do por es­sa ala co­mo “trai­dor”.

Se­com. A equi­pe do “ga­bi­ne­te do ódio” não acei­ta in­ter­fe­rên­ci­as dos pro­fis­si­o­nais da Se­cre­ta­ria de Co­mu­ni­ca­ção. Se­gue or­dens de Car­los, que atua sob a ins­pi­ra­ção do es­cri­tor Ola­vo de Car­va­lho, e vá­ri­as ve­zes já con­ven­ceu Bol­so­na­ro a ado­tar po­si­ção mais du­ra, co­mo no fim de ju­lho, quan­do ele de­sis­tiu de re­ce­ber o chan­ce­ler da França, Je­an-Yves Le Dri­an, e de­pois apa­re­ceu em uma “li­ve” cor­tan­do o ca­be­lo, em um es­ti­lo “gen­te co­mo a gen­te”.

Flá­vio, vi­ra e me­xe, pe­de pa­ra o pai bai­xar o tom. Às ve­zes é ou­vi­do, fa­to que pro­vo­ca a ira do “02”. Mes­mo in­ves­ti­ga­do no ca­so de Fa­brí­cio Qu­ei­roz – o ex-as­ses­sor sus­pei­to de co­man­dar um es­que­ma de “ra­cha­di­nha” na As­sem­bleia do Rio –, o se­na­dor tem atu­a­do co­mo ar­ti­cu­la­dor po­lí­ti­co do Pla­nal­to, ao la­do do ge­ne­ral Luiz Edu­ar­do Ra­mos, mi­nis­tro da Se­cre­ta­ria de Go­ver­no.

Em jan­ta­res com se­na­do­res, Flá­vio le­va o ir­mão Edu­ar­do a ti­ra­co­lo, diz que o co­nhe­ci­men­to do ca­çu­la so­bre os EUA vai mui­to além do ham­búr­guer e ten­ta apa­zi­guar atri­tos pro­vo­ca­dos por Car­los nas re­des so­ci­ais.

“Es­se nú­cleo ide­o­ló­gi­co atra­pa­lha mui­to nos­sa vi­da aqui no Con­gres­so”, dis­se o de­pu­ta­do Co­ro­nel Ta­deu (PSL-SP). “Des­se jei­to, o PSL vai aca­bar so­fren­do uma der­ro­ta atrás da ou­tra.”

Nos úl­ti­mos di­as, um tuí­te de Car­los aze­dou o cli­ma na Câ­ma­ra, no Se­na­do e no Su­pre­mo Tri­bu­nal Federal. O ve­re­a­dor es­cre­veu que “por vi­as de­mo­crá­ti­cas, a trans­for­ma­ção que o Bra­sil quer não acon­te­ce­rá no rit­mo que al­me­ja­mos”. Bol­so­na­ro apoi­ou o fi­lho. Flá­vio fi­cou em si­lên­cio. O pri­mo­gê­ni­to dis­se a um ami­go que, se fi­zes­se al­gum co­men­tá­rio, ex­po­ria uma cri­se.

Além do se­na­dor, a pri­mei­ra-da­ma Michelle tam­bém con­se­gue fa­zer o ma­ri­do ame­ni­zar os tuí­tes, de vez em quan­do. Foi ela, por exem­plo, quem pe­diu pa­ra o pre­si­den­te apa­gar co­men­tá­rio fei­to por ele em um post de in­ter­nau­ta di­zen­do que a mu­lher do pre­si­den­te da França, Em­ma­nu­el Ma­cron, era feia. Michelle con­si­de­rou a men­sa­gem ma­chis­ta e de­se­le­gan­te.

DIDA SAM­PAIO/ES­TA­DÃO -10/12/2018

Fi­lhos. A es­tra­té­gia pa­ra co­mu­ni­ca­ção do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro nas re­des opõe os ir­mãos Car­los (à esq.) e Flá­vio

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.