De­nún­cia de­sen­ca­deia ba­ta­lha en­vol­ven­do Trump e de­mo­cra­tas

O Estado de S. Paulo - - Internacio­nal - The New York Ti­mes

Ade­nún­cia po­ten­ci­al­men­te ex­plo­si­va de um fun­ci­o­ná­rio da co­mu­ni­da­de de In­te­li­gên­cia que diz en­vol­ver o pre­si­den­te Do­nald Trump sur­giu on­tem co­mo a úl­ti­ma fren­te de uma dis­pu­ta con­tí­nua de su­per­vi­são en­tre fun­ci­o­ná­ri­os do go­ver­no e de­mo­cra­tas da Câ­ma­ra.

Ela pro­vo­cou es­pe­cu­la­ções an­te ale­ga­ções ain­da en­vol­tas em mistério. Em pe­lo menos uma de­las Trump te­ria as­su­mi­do um com­pro­mis­so não es­pe­ci­fi­ca­do com um líder es­tran­gei­ro. Pe­lo menos par­te da acu­sa­ção tra­ta da Ucrâ­nia.

A con­tro­vér­sia en­trou em erup­ção há uma se­ma­na, quan­do o de­pu­ta­do Adam B. Schiff, de­mo­cra­ta da Ca­li­fór­nia e pre­si­den­te da Co­mis­são de In­te­li­gên­cia da Câ­ma­ra, re­ve­lou a exis­tên­cia da de­nún­cia e que o di­re­tor in­te­ri­no de In­te­li­gên­cia Na­ci­o­nal, Jo­seph Ma­gui­re, ha­via proi­bi­do o ins­pe­tor-ge­ral, Michael At­kin­son, de com­par­ti­lhá-la com o Con­gres­so, con­for­me de­ter­mi­na­do por lei. O ins­pe­tor-ge­ral con­si­de­rou a de­nún­cia le­gí­ti­ma e abriu um inqué­ri­to.

A in­ter­ven­ção de Ma­gui­re de­sen­ca­de­ou a mais re­cen­te de uma sé­rie de con­fron­tos en­tre de­mo­cra­tas do Con­gres­so e fun­ci­o­ná­ri­os da ad­mi­nis­tra­ção que, se­gun­do os par­la­men­ta­res, es­ta­ri­am bar­ran­do seus pe­di­dos de in­for­ma­ções. Os de­mo­cra­tas acu­sa­ram Ma­gui­re de ig­no­rar a lei, pos­si­vel­men­te pa­ra pro­te­ger Trump ou ou­tro fun­ci­o­ná­rio de al­to es­ca­lão.

Após uma au­di­ên­cia a por­tas fe­cha­das com At­kin­son, os de­mo­cra­tas re­no­va­ram a acu­sa­ção de que o go­ver­no Trump es­ta­va or­ques­tran­do o aco­ber­ta­men­to de uma quei­xa ur­gen­te e le­gí­ti­ma que po­de­ria afe­tar a se­gu­ran­ça na­ci­o­nal.

Al­guns ana­lis­tas ju­rí­di­cos dis­se­ram que não está cla­ro co­mo uma in­te­ra­ção co­mo es­sa en­tre Trump e um líder es­tran­gei­ro po­de­ria cum­prir os pa­drões le­gais pa­ra uma de­nún­cia na qual o ins­pe­tor-ge­ral con­si­de­rou uma “pre­o­cu­pa­ção ur­gen­te”.

De acor­do com a lei, a de­nún­cia de­ve di­zer respeito à exis­tên­cia de uma ati­vi­da­de de in­te­li­gên­cia que vi­o­le a lei, re­gras ou re­gu­la­men­tos, ou que de al­gu­ma for­ma re­pre­sen­te má ad­mi­nis­tra­ção, des­per­dí­cio, abu­so ou pe­ri­go pa­ra a se­gu­ran­ça pú­bli­ca. Mas uma con­ver­sa en­tre dois lí­de­res es­tran­gei­ros não é, em si, uma ati­vi­da­de de in­te­li­gên­cia.

E, em­bo­ra Trump pos­sa ter dis­cu­ti­do ati­vi­da­des de in­te­li­gên­cia com o líder es­tran­gei­ro, ele go­za de am­plo po­der co­mo pre­si­den­te pa­ra ti­rar o si­gi­lo de se­gre­dos de in­te­li­gên­cia, or­de­nar co­mo a co­mu­ni­da­de de in­te­li­gên­cia de­ve agir e, em ge­ral, di­re­ci­o­nar a con­du­ta da po­lí­ti­ca ex­ter­na co­mo achar me­lhor, dis­se­ram es­ses es­pe­ci­a­lis­tas.

Mas a de­nún­cia re­no­vou ques­ti­o­na­men­tos so­bre se al­gu­mas de su­as pro­pos­tas fo­ram ina­de­qua­das. A acu­sa­ção, mes­mo com poucos de­ta­lhes, ra­pi­da­men­te ga­nhou for­ça em par­te pe­las pre­o­cu­pa­ções de lon­ga da­ta en­tre al­guns fun­ci­o­ná­ri­os da in­te­li­gên­cia de que as in­for­ma­ções que eles com­par­ti­lham com o pre­si­den­te es­tão sen­do po­li­ti­za­das.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.