Car­go dá aces­so a má­qui­na de gu­er­ra e a bo­tão nu­cle­ar

O Estado de S. Paulo - - Internacio­nal - Ro­ber­to Go­doy

Ogo­ver­nan­te de Is­ra­el tem uma efi­ci­en­te, bem trei­na­da e bem equi­pa­da má­qui­na de gu­er­ra con­ven­ci­o­nal ao al­can­ce de um te­le­fo­ne­ma. Tam­bém po­de aci­o­nar o bo­tão ver­me­lho da úni­ca for­ça nu­cle­ar pron­ta pa­ra uso do Ori­en­te Mé­dio. A ca­pa­ci­da­de é co­nhe­ci­da dos ser­vi­ços de in­te­li­gên­cia do res­to do mun­do. Con­ta com ins­ta­la­ções se­cre­tas e ar­mas pro­va­das em en­sai­os di­gi­tais – em­bo­ra nun­ca te­nha si­do ad­mi­ti­da pe­lo go­ver­no is­ra­e­len­se.

É um ar­se­nal e tan­to. As aná­li­ses con­ser­va­do­ras es­ti­mam em 80 o nú­me­ro de ogi­vas, bom­bas e car­gas di­ver­sas, en­tre as qu­ais as pequenas “scho­ol­bags”, se­me­lhan­tes a mo­chi­las, des­ti­na­das a ope­ra­ções es­pe­ci­ais con­tra alvos li­mi­ta­dos. Os lan­ça­do­res são os mís­seis Je­ri­có 2 de al­can­ce in­ter­me­diá­rio, en­tre 1,7 mil km e 2 mil km – o su­fi­ci­en­te pa­ra atin­gir ob­je­ti­vos es­tra­té­gi­cos na re­gião. São foguetes ba­lís­ti­cos de 14 me­tros, de 1,56 m de di­â­me­tro, 26 to­ne­la­das, ca­pa­zes de le­var uma to­ne­la­da de ex­plo­si­vos ou uma cáp­su­la nu­cle­ar de 1 me­ga­ton. Há en­tre 90 e 100 Je­ri­cós es­to­ca­dos nas ca­ver­nas Zekha­ria.

Mais re­ser­va­do ain­da, o Je­ri­có 3, re­ce­bi­do for­mal­men­te pe­los mi­li­ta­res is­ra­e­len­ses em 2011, é mai­or, pe­sa 30 to­ne­la­das e com o mes­mo po­der de des­trui­ção atô­mi­ca da ver­são an­te­ri­or, é ca­paz de co­brir até 6,5 mil km, che­gan­do a Áfri­ca, Eu­ro­pa, Ásia, par­te da Amé­ri­ca do Nor­te. Se­gun­do a Fe­de­ra­ção dos Ci­en­tis­tas Ame­ri­ca­nos, o co­man­do de Is­ra­el tem ao menos dois es­qua­drões aé­re­os com ja­tos F-15I e F-16I con­ver­ti­dos pa­ra ata­que atô­mi­co e tam­bém po­de lan­çar mís­seis nu­cle­a­res de cin­co sub­ma­ri­nos da clas­se Dolphin-Ta­nin.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.