Eli­a­ne Can­ta­nhê­de

O Estado de S. Paulo - - Primeira Página - ELI­A­NE CAN­TA­NHÊ­DE E-MAIL: ELI­A­[email protected] TWIT­TER: @ECANTANHED­E ELI­A­NE CAN­TA­NHÊ­DE ES­CRE­VE ÀS TERÇAS E SEXTAS-FEIRAS E AOS DO­MIN­GOS

Há uma es­pé­cie de pâ­ni­co ge­ne­ra­li­za­do so­bre o de­sem­pe­nho de Bol­so­na­ro na ONU, mas ele po­de sur­pre­en­der.

Opre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro usou a sua vol­ta ao Pa­lá­cio do Pla­nal­to, após a no­va ci­rur­gia, pa­ra uma sé­rie de anún­ci­os que têm for­te im­pac­to na eco­no­mia e po­dem aju­dar um bo­ca­do a me­lho­rar o hu­mor na­ci­o­nal de­tec­ta­do nas pes­qui­sas con­tra o go­ver­no e o pró­prio pre­si­den­te. As me­di­das são pa­ra des­blo­que­ar ver­bas pa­ra os mi­nis­té­ri­os, con­ti­nu­ar a aber­tu­ra da eco­no­mia e apres­sar a ge­ra­ção de em­pre­gos.

O pre­si­den­te des­blo­que­ou R$ 8,2 bi­lhões pa­ra mi­nis­té­ri­os aper­ta­dos e mi­nis­tros de­ses­pe­ra­dos, prin­ci­pal­men­te pa­ra o MEC, a Eco­no­mia e a De­fe­sa, on­de es­tão pro­fes­so­res e es­tu­dan­tes em pé de guer­ra, Pau­lo Gu­e­des pre­ci­san­do de­ses­pe­ra­da­men­te mos­trar re­sul­ta­dos e as For­ças Ar­ma­das, fun­da­men­tais na me­sa de ope­ra­ções do pre­si­den­te.

Ele tam­bém san­ci­o­nou a Lei de Li­ber­da­de Econô­mi­ca, que vai ao en­con­tro das pro­mes­sas de cam­pa­nha e das pes­qui­sas de opi­nião, que mos­tram per­da de apoio em pra­ti­ca­men­te to­dos os seg­men­tos, mas cres­ci­men­to num uni­ver­so bem es­pe­cí­fi­co: o em­pre­sa­ri­a­do. Se nun­ca fa­la a pa­la­vra “so­ci­al”, Bol­so­na­ro é 100% pró ca­pi­tal e sem­pre de­fen­de me­nos Es­ta­do, mais ini­ci­a­ti­va pri­va­da.

Por fim, a es­co­lha de Jo­sé Tos­tes Ne­to pa­ra a Re­cei­ta Federal, subs­ti­tuin­do Marcos Cin­tra, se­guiu o per­fil tra­ça­do pe­lo mai­or ex­pert em Re­cei­ta no País, Eve­rar­do Ma­ci­el, que co­man­dou o ór­gão nos oi­to anos de Fer­nan­do Hen­ri­que Car­do­so. Tos­tes é mui­to res­pei­ta­do e ben­quis­to pe­los co­le­gas. Po­de­rá fa­zer for­tes mu­dan­ças sem abrir uma guer­ra in­ter­na.

Com o exa­to per­fil so­pra­do por Ma­ci­el, ele é ma­du­ro, da car­rei­ra e bom co­nhe­ce­dor do te­ma e da en­gre­na­gem, mas... apo­sen­ta­do. Lo­go, é pró­xi­mo o su­fi­ci­en­te pa­ra sa­ber o que se pas­sa e lon­ge o bas­tan­te de gru­pos e in­tri­gas do dia a dia do ór­gão.

Bol­so­na­ro, po­rém, em­bar­ca ama­nhã ce­do pa­ra No­va York dei­xan­do vá­ri­as in­ter­ro­ga­ções. A mai­or de­las é co­mo ele vai se sair ao dis­cur­sar na aber­tu­ra da As­sem­bleia-Ge­ral da ONU, fun­ção re­ser­va­da to­dos os anos ao pre­si­den­te do Bra­sil. Há uma es­pé­cie de pâ­ni­co ge­ne­ra­li­za­do, mas ele po­de sur­pre­en­der.

A in­ten­ção é fa­zer um dis­cur­so res­tri­to aos 20 mi­nu­tos re­gu­la­men­ta­res, fo­can­do nu­ma pa­la­vri­nha má­gi­ca – “so­be­ra­nia” – e fa­zen­do uma de­fe­sa en­fá­ti­ca da pro­te­ção ao meio am­bi­en­te, mas à ma­nei­ra bra­si­lei­ra, ou me­lhor, à sua ma­nei­ra. Na­da, po­rém, que pos­sa cho­car o mun­do, dar pa­lan­que pa­ra o fran­cês Em­ma­nu­el Ma­cron e ani­mar no­vos con­fron­tos. E ele de­ve fo­car tam­bém em fa­mí­lia, cos­tu­mes, ide­o­lo­gia, Oci­den­te e fa­zer re­fe­rên­cia à Ve­ne­zu­e­la.

Ou­tro cui­da­do tam­bém é um alí­vio pa­ra quem te­me ve­xa­mes e gros­se­ri­as de Bol­so­na­ro no am­bi­en­te in­ter­na­ci­o­nal: as­sim co­mo a fa­ca­da pro­te­geu o can­di­da­to Bol­so­na­ro de de­ba­tes, ex­po­si­ção e er­ros cras­sos na cam­pa­nha, a quar­ta ci­rur­gia de­ve pre­ser­vá-lo de de­ba­tes, ex­po­si­ção e er­ros cras­sos em No­va York.

Se­rão só 24 ho­ras, sem al­mo­ços, co­mi­lan­ças e reu­niões bi­la­te­rais com pre­si­den­tes de qual­quer con­ti­nen­te, com ex­ce­ção de um jan­tar com o “Deus” Trump – que, aliás, Bol­so­na­ro anun­ci­ou, mas não es­ta­va na agen­da e era des­co­nhe­ci­do pe­lo Ita­ma­raty.

Por re­co­men­da­ção mé­di­ca, o ain­da con­va­les­cen­te Bol­so­na­ro tem bom pre­tex­to pa­ra che­gar, dor­mir, ler o dis­cur­so – es­cri­to com Er­nes­to Araú­jo, Edu­ar­do Bol­so­na­ro e Fi­li­pe Mar­tins – e vol­tar. Em con­tra­par­ti­da, não há ne­nhum in­dí­cio de que pre­si­den­tes es­tran­gei­ros fa­çam a des­fei­ta da se re­ti­rar do dis­cur­so ou al­go des­sa gra­vi­da­de.

O pre­si­den­te es­ta­rá tam­bém vol­ta­do pa­ra ques­tões do­més­ti­cas: a subs­ti­tui­ção do lí­der do go­ver­no no Se­na­do, a san­ção e os ve­tos da no­va lei elei­to­ral e a vo­ta­ção de Edu­ar­do no Se­na­do. A apro­va­ção de Au­gus­to Aras pa­ra a PGR não pre­o­cu­pa, mas a de Edu­ar­do vi­rou o cen­tro das aten­ções na­ci­o­nais – pe­lo me­nos nos pa­lá­ci­os da Al­vo­ra­da e do Pla­nal­to, além do avião pre­si­den­ci­al. Aí, a “ve­lha po­lí­ti­ca” es­tá a ple­no va­por.

Fo­co na eco­no­mia e no Se­na­do, com tor­ci­da pa­ra a ida à ONU não vi­rar um (no­vo) ve­xa­me

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.