Câ­ma­ra dos EUA abre inqué­ri­to con­tra Trump

Nancy Pe­lo­si afir­ma que pre­si­den­te traiu seu ju­ra­men­to à Cons­ti­tui­ção e se tor­nou uma ame­a­ça à se­gu­ran­ça dos EUA; ain­da que se­ja apro­va­do na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, no en­tan­to, pro­ces­so se­ria bar­ra­do no Se­na­do, do­mi­na­do pe­los re­pu­bli­ca­nos

O Estado de S. Paulo - - Primeira página -

A pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos dos EUA, a de­mo­cra­ta Nancy Pe­lo­si, abriu inqué­ri­to pa­ra de­ter­mi­nar se Do­nald Trump po­de so­frer pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment. Trump é sus­pei­to de usar o car­go pa­ra per­se­guir Joe Bi­den, seu ad­ver­sá­rio po­lí­ti­co, em ne­gó­ci­os da fa­mí­lia do de­mo­cra­ta na Ucrâ­nia. Trump ne­ga as acu­sa­ções.

A pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, a de­mo­cra­ta Nancy Pe­lo­si, con­cor­dou on­tem em dar o pri­mei­ro pas­so pa­ra a aber­tu­ra de um pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment do pre­si­den­te Do­nald Trump. Em pro­nun­ci­a­men­to na TV, ela abriu uma inqué­ri­to pa­ra de­ter­mi­nar se Trump po­de ser des­ti­tuí­do. Os de­mo­cra­tas acu­sam o pre­si­den­te de usar o car­go pa­ra per­se­guir um ad­ver­sá­rio po­lí­ti­co.

“As ações da pre­si­dên­cia de Trump re­ve­lam a trai­ção do pre­si­den­te de seu ju­ra­men­to, de nos­sa se­gu­ran­ça na­ci­o­nal e da in­te­gri­da­de de nos­sas elei­ções”, dis­se Pe­lo­si. “Por­tan­to, es­tou anun­ci­an­do que a Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos es­tá avan­çan­do com um inqué­ri­to ofi­ci­al de im­pe­a­ch­ment.”

Até en­tão, Pe­lo­si re­sis­tia ao im­pe­a­ch­ment por te­mer que um em­ba­te po­lí­ti­co en­tre Con­gres­so e Ca­sa Bran­ca co­lo­cas­se Trump na po­si­ção de ví­ti­ma e in­fla­mas­se os elei­to­res re­pu­bli­ca­nos em um ano elei­to­ral – a elei­ção é em no­vem­bro de 2020, mas as vo­ta­ções pri­má­ri­as, que de­fi­nem os can­di­da­tos, co­me­çam em ja­nei­ro.

Em­bo­ra o ce­ná­rio pa­re­ça ruim, as chan­ces de Trump per­der o car­go são re­mo­tas. Os de­mo­cra­tas têm mai­o­ria na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, mas nem to­dos os de­pu­ta­dos apoi­am o im­pe­a­ch­ment. Os con­gres­sis­tas elei­tos em dis­tri­tos mo­de­ra­dos re­lu­tam em to­mar ati­tu­des tão ra­di­cais quan­to afas­tar um pre­si­den­te elei­to.

Se­gun­do pla­car do New York Ti­mes, ho­je o im­pe­a­ch­ment tem apoio de 179 dos 435 de­pu­ta­dos, 183 não de­fi­ni­ram o vo­to e 73 são con­tra – ou se­ja, pa­ra ob­ter mai­o­ria, os de­mo­cra­tas pre­ci­sam vi­rar o vo­to de 39 de­pu­ta­dos. Mes­mo que se­ja apro­va­da na Câ­ma­ra, a des­ti­tui­ção de Trump es­bar­ra­ria no Se­na­do, do­mi­na­do pe­los re­pu­bli­ca­nos.

Co­mo no Bra­sil, o Se­na­do fun­ci­o­na co­mo juiz. Pa­ra des­ti­tuir o pre­si­den­te ame­ri­ca­no é ne­ces­sá­rio que 67 dos 100 se­na­do­res vo­tem pe­la con­de­na­ção, ou se­ja, 14 re­pu­bli­ca­nos te­ri­am de aban­do­nar Trump, o que ho­je pa­re­ce im­pro­vá­vel.

Mui­tos de­mo­cra­tas, no en­tan­to, apon­tam pa­ra a pre­si­dên­cia de Ri­chard Ni­xon co­mo pre­ce­den­te. Re­e­lei­to em 1972, o re­pu­bli­ca­no se en­vol­veu no ca­so Wa­ter­ga­te e per­deu 48 ca­dei­ras na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos nas elei­ções de meio de man­da­to de 1974 – Trump tam­bém so­bre­vi­veu a es­cân­da­los e per­deu 42 de­pu­ta­dos na vo­ta­ção do ano pas­sa­do. As­sim co­mo acon­te­ceu com Ni­xon, es­tra­te­gis­tas de­mo­cra­tas acre­di­tam que uma de­ban­da­da de se­na­do­res re­pu­bli­ca­nos ain­da é pos­sí­vel.

On­tem, Pe­lo­si dis­se a de­pu­ta­dos que Trump vi­o­lou o ju­ra­men­to à Cons­ti­tui­ção quan­do pe­diu ao pre­si­den­te da Ucrâ­nia, Vo­lo­di­mir Ze­lens­ki, aju­da pa­ra in­ves­ti­gar o ex-vi­ce-pre­si­den­te Joe Bi­den, de­mo­cra­ta que li­de­ra as pes­qui­sas, e seu fi­lho. “O que acon­te­ceu é gra­ve e afe­ta a Cons­ti­tui­ção”, dis­se Pe­lo­si. “Mi­nha in­ten­ção é se­guir com o im­pe­a­ch­ment.”

Em pro­nun­ci­a­men­to on­tem, Bi­den acu­sou Trump de “ras­gar a Cons­ti­tui­ção”. “Se Trump con­ti­nu­ar a obs­truir o Con­gres­so, não ha­ve­rá al­ter­na­ti­va a não ser o im­pe­a­ch­ment”, dis­se. Vá­ri­os con­gres­sis­tas de­mo­cra­tas, co­mo os se­na­do­res Dick Dur­bin, Ri­chard Blu­menthal, Ch­ris Murphy e a de­pu­ta­da Elis­sa Slot­kin já apoi­am aber­ta­men­te o im­pe­a­ch­ment.

Os de­mo­cra­tas sus­pei­tam que Trump te­nha usa­do a aju­da mi­li­tar pa­ra pres­si­o­nar Ze­lens­ki a in­ves­ti­gar Joe e seu fi­lho Hun­ter Bi­den. O pre­si­den­te ad­mi­tiu que fa­lou so­bre o vi­ce­pre­si­den­te na con­ver­sa que te­ve com o ucra­ni­a­no e re­co­nhe­ceu ter blo­que­a­do, di­as an­tes, um re­pas­se de US$ 391 mi­lhões pa­ra a Ucrâ­nia. Mes­mo as­sim, ele re­jei­ta a ideia de que te­nha co­me­ti­do um er­ro.

Pa­ra ali­vi­ar a pres­são, Trump es­cre­veu on­tem no Twitter que au­to­ri­zou a di­vul­ga­ção da trans­cri­ção “com­ple­ta e sem cen­su­ra”

de sua con­ver­sa com Ze­lens­ki. Se­gun­do o pre­si­den­te, a trans­cri­ção se­rá di­vul­ga­da ho­je. “Vo­cês ve­rão que foi uma li­ga­ção mui­to ami­gá­vel e com­ple­ta­men­te apro­pri­a­da”, dis­se.

O as­sun­to ga­nhou im­por­tân­cia de­pois que um fun­ci­o­ná­rio do go­ver­no pro­to­co­lou uma de­nún­cia anô­ni­ma que re­la­ta uma con­ver­sa sus­pei­ta en­tre Trump e Ze­lens­ki, em 25 de ju­lho. O Wall Stre­et Jour­nal diz que a pres­são te­ria ocor­ri­do ou­tras oi­to ve­zes. O ca­so che­gou às mãos do ins­pe­tor-ge­ral, Mi­cha­el At­kin­son, que o con­si­de­rou “ur­gen­te” e o en­vi­ou ao Di­re­tó­rio Na­ci­o­nal de In­te­li­gên­cia (DNI), ór­gão que de­ve­ria re­pas­sar o ca­so pa­ra o Con­gres­so.

Jo­seph Ma­gui­re, che­fe do DNI, po­rem, se re­cu­sa a di­vul­gar a de­nún­cia, o que de­sa­tou mais uma qu­e­da de bra­ço en­tre a Ca­sa Bran­ca e o Con­gres­so. Se­gun­do o pre­si­den­te da Co­mis­são de In­te­li­gên­cia da Câ­ma­ra, o de­mo­cra­ta Adam Schiff, a fon­te que fez a de­nún­cia já se dis­se dis­pos­ta a de­por.

ERIN SCHAFF/THE NEW YORK TI­MES

Ofen­si­va. Pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, a de­mo­cra­ta Nancy Pe­lo­si, du­ran­te anún­cio da aber­tu­ra de inqué­ri­to pa­ra des­ti­tuir o pre­si­den­te dos EUA

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.