Amazô­nia é ‘um bem co­mum’, diz Ma­cron Fran­cês re­ba­te fa­la de Bol­so­na­ro, que as­so­cia crí­ti­cas ao Bra­sil a in­te­res­ses ‘co­lo­ni­a­lis­tas’

OS REPÓRTERES PAU­LO BE­RAL­DO E GI­O­VA­NA GI­RAR­DI VIAJARAM A CON­VI­TE DA ONU E DA OR­GA­NI­ZA­ÇÃO NO PEACE WITHOUT JUSTICE, RESPECTIVA­MENTE

O Estado de S. Paulo - - Política - NO­VA YORK BE­A­TRIZ BUL­LA, RI­CAR­DO LE­O­POL­DO, GI­O­VA­NA GI­RAR­DI e PAU­LO BE­RAL­DO

O pre­si­den­te da Fran­ça, Em­ma­nu­el Ma­cron, re­ba­teu on­tem a fa­la do pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro, que vol­tou a su­ge­rir in­te­res­ses econô­mi­cos de paí­ses que cri­ti­cam a po­lí­ti­ca am­bi­en­tal do Bra­sil pa­ra a Amazô­nia.

Ques­ti­o­na­do pe­lo Es­ta­do, Ma­cron – que não acom­pa­nhou o dis­cur­so de Bol­so­na­ro – dis­se que não se tra­ta de in­te­res­se econô­mi­co na flo­res­ta, mas de pen­sar no fu­tu­ro da re­gião que se­ria “um bem co­mum”.

“Te­mos mui­tas pes­so­as en­vol­vi­das no (de­ba­te so­bre o) fu­tu­ro da Amazô­nia e acho que o que queremos fa­zer é aju­dar as pes­so­as, com com­ple­to res­pei­to pe­la so­be­ra­nia, aju­dan­do o po­vo. Não é ques­tão de lobby ou in­te­res­se, os lob­bi­es são pa­ra des­truir a flo­res­ta pa­ra seus pró­pri­os in­te­res­ses”, res­pon­deu Ma­cron. “O que nós queremos fa­zer é aju­dar pes­so­as pa­ra elas mes­mas e pa­ra o fu­tu­ro da Amazô­nia, por­que é um bem co­mum.”

No seu dis­cur­so que cer­ca de 30 mi­nu­tos, Bol­so­na­ro afir­mou que é uma “fa­lá­cia di­zer que a Amazô­nia é pa­trimô­nio da hu­ma­ni­da­de” e, sem ci­tar ex­pli­ci­ta­men­te no­mes ou paí­ses, acres­cen­tou que “um ou ou­tro país, em vez de aju­dar, em­bar­cou nas men­ti­ras da mí­dia e se por­tou de for­ma des­res­pei­to­sa, com es­pí­ri­to co­lo­ni­a­lis­ta”. “Ques­ti­o­na­ram aqui­lo que nos é mais sa­gra­do: a nos­sa so­be­ra­nia”, cri­ti­cou o pre­si­den­te.

En­quan­to Bol­so­na­ro saía do ple­ná­rio da As­sem­bleia-Ge­ral após acom­pa­nhar o dis­cur­so do pre­si­den­te ame­ri­ca­no Do­nald Trump – o se­gun­do a dis­cur­sar na ses­são de on­tem –, o fran­cês se reu­nia no cor­re­dor da ONU com o go­ver­na­dor do Ama­pá, Wal­dez Góes (PDT), que tam­bém é pre­si­den­te do Con­sór­cio Amazô­nia Le­gal. “Eu es­ta­va em uma cor­re­ria e não vi o dis­cur­so”, dis­se Ma­cron, so­bre a fa­la de Bol­so­na­ro.

Cli­ma. A pla­teia que acom­pa­nhou a aber­tu­ra da 74.ª As­sem­bleia-Ge­ral da ONU fi­cou em si­lên­cio du­ran­te boa par­te da fa­la de Bol­so­na­ro. O vo­lu­me das con­ver­sas pa­ra­le­las en­tre as de­le­ga­ções co­me­çou a au­men­tar na úl­ti­ma par­te do dis­cur­so, que tra­tou de ide­o­lo­gia. Foi quan­do o pre­si­den­te bra­si­lei­ro dis­se, por exem­plo, que “a ide­o­lo­gia se ins­ta­lou na cul­tu­ra, na edu­ca­ção e na mí­dia” e de­fen­deu as “na­ci­o­na­li­da­des” de ca­da país.

En­quan­to is­so, nas ca­dei­ras re­ser­va­das à de­le­ga­ção do Bra­sil, o de­pu­ta­do fe­de­ral Edu­ar­do Bol­so­na­ro (PSL-SP) gra­va­va ví­de­os do pai du­ran­te o dis­cur­so. Ele es­ta­va ao la­do do mi­nis­tro do Meio Am­bi­en­te, Ri­car­do Sal­les, e do se­na­dor Nel­si­nho Trad (PSD-MS), pre­si­den­te da Co­mis­são de Re­la­ções Ex­te­ri­o­res da Ca­sa. Sal­les te­ve de dei­xar o ple­ná­rio pa­ra ce­der uma ca­dei­ra a Bol­so­na­ro quan­do o bra­si­lei­ro des­ceu do pal­co e de­ci­diu acom­pa­nhar a fa­la de Trump.

De­pois do even­to, Bol­so­na­ro vol­tou pa­ra o ho­tel on­de es­ta­va hos­pe­da­do em No­va York e não par­ti­ci­pou de al­mo­ço de tra­ba­lho or­ga­ni­za­do pe­lo se­cre­tá­ri­o­ge­ral da Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das, An­tó­nio Gu­ter­res – que con­tou com a par­ti­ci­pa­ção de lí­de­res co­mo o pró­prio Trump. À im­pren­sa, Bol­so­na­ro afir­mou que al­mo­ça­ria “num po­drão aí fo­ra”.

As dis­cus­sões so­bre os as­sun­tos e o en­fo­que do dis­cur­so fei­to on­tem en­vol­ve­ram o chan­ce­ler Er­nes­to Araú­jo, o as­ses­sor de As­sun­tos In­ter­na­ci­o­nais do Pa­lá­cio do Pla­nal­to, Fi­li­pe Mar­tins, e Edu­ar­do – que ten­ta con­se­guir apoio no Se­na­do pa­ra apro­var sua in­di­ca­ção à em­bai­xa­da bra­si­lei­ra em Washing­ton. Se­gun­do as­ses­so­res, o tom fi­nal do dis­cur­so foi de­fi­ni­do pe­lo pró­prio pre­si­den­te que, se­gun­do eles, fez ajus­tes no tex­to até o úl­ti­mo mo­men­to. /

‘So­be­ra­nia’ “O que queremos fa­zer é aju­dar as pes­so­as, com com­ple­to res­pei­to pe­la so­be­ra­nia, aju­dan­do o po­vo. Não é ques­tão de lobby ou in­te­res­se.” Em­ma­nu­el Ma­cron PRE­SI­DEN­TE DA FRAN­ÇA

BRENDAN MCDERMID/REUTERS

As­sem­bleia. O pre­si­den­te Em­ma­nu­el Ma­cron dis­cur­sa no en­con­tro da ONU; ques­ti­o­na­do pe­lo ‘Es­ta­do’, dis­se que há res­pei­to pe­la so­be­ra­nia do Bra­sil

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.