Se­tor diz que pre­fei­tu­ras têm de en­cam­par pro­je­to

Se­rão ne­ces­sá­ri­as au­to­ri­za­ções mu­ni­ci­pais e até mu­dan­ças nos pla­nos di­re­to­res, que têm de pas­sar pe­las Câ­ma­ras

O Estado de S. Paulo - - E&N - / A.P.

Pa­ra o se­tor da cons­tru­ção, a ideia do Apro­xi­ma é boa, mas pre­ci­sa ser en­cam­pa­da pe­las pre­fei­tu­ras. Em­bo­ra os ter­re­nos se­jam ce­di­dos pe­la União, pa­ra o pro­gra­ma dar cer­to se­rão ne­ces­sá­ri­as au­to­ri­za­ções mu­ni­ci­pais pa­ra le­van­tar con­do­mí­ni­os nos cen­tros de gran­des ci­da­des, o que de­ve exi­gir mu­dan­ças nos pla­nos di­re­to­res – com au­to­ri­za­ção das câ­ma­ras de ve­re­a­do­res. “Por ser uma coi­sa no­va, a gen­te ne­ces­si­ta apro­fun­dar a dis­cus­são pa­ra que ela saia mais ar­re­don­da­da”, diz Jo­sé Car­los Mar­tins, pre­si­den­te da Câ­ma­ra Bra­si­lei­ra da In­dús­tria da Cons­tru­ção (CBIC). O se­tor pre­ten­de en­vi­ar for­mal­men­te ao go­ver­no su­ges­tões pa­ra o pro­gra­ma em du­as se­ma­nas, após co­le­tar su­ges­tões com em­pre­sá­ri­os.

Se­gun­do o pre­si­den­te da CBIC, ou­tro pon­to que de­ve ser ob­ser­va­do de per­to é o qu­an­to o pro­je­to sai­rá “en­ges­sa­do” do go­ver­no. Até o mo­men­to, a ideia é que as uni­da­des re­si­den­ci­ais e co­mer­ci­ais es­te­jam lo­ca­li­za­dos num mes­mo em­pre­en­di­men­to.

Mar­tins en­ten­de que se­ria me­lhor se es­se fa­tor fos­se fle­xi­bi­li­za­do. “Por exem­plo, vou fa­zer um shop­ping (no ter­re­no da União). Se­rá que nes­se pro­je­to fi­ca bom co­lo­car um pré­dio de ha­bi­ta­ção so­ci­al, ou eu po­de­ria usar ou­tro pré­dio do go­ver­no, que de re­pen­te es­tá de­te­ri­o­ra­do, re­for­mar e trans­for­mar em ha­bi­ta­ção so­ci­al?”

O pre­si­den­te da CBIC des­ta­cou ain­da que o pro­gra­ma tem o de­sa­fio de con­se­guir atrair o in­te­res­se de vá­ri­as em­pre­sas, pa­ra que o pro­ces­so con­cor­ren­ci­al não fi­que con­cen­tra­do em pou­cas com­pa­nhi­as.

Co­or­de­na­do­ra de Pro­je­tos da Cons­tru­ção do FGV/Ibre, Ana Cas­te­lo fri­sou a im­por­tân­cia de ha­ver boa con­cor­rên­cia na es­co­lha dos em­pre­en­di­men­tos. Co­mo o mo­de­lo do pro­je­to é no­vo, há uma pre­o­cu­pa­ção so­bre co­mo as em­pre­sas vão se adap­tar. “É im­por­tan­te que se­ja um ne­gó­cio in­te­res­san­te pa­ra em­pre­sas e fa­mí­li­as, es­sa é uma ques­tão vi­tal.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.