Me­lhor do mun­do, Si­mo­ne Bi­les ino­va­rá

Mun­di­al de Gi­nás­ti­ca. Nor­te-ame­ri­ca­na mos­tra três mo­vi­men­tos pa­ra inclusão no Có­di­go de Pon­tu­a­ção, que se­rão ba­ti­za­dos com seu no­me

O Estado de S. Paulo - - Esportes - STUTT­GART

Gi­nas­tas de di­ver­sos paí­ses sub­me­te­ram aos juí­zes dez no­vos ele­men­tos pa­ra su­as séries nos apa­re­lhos. Quem mais pre­ten­de ino­var no Mun­di­al de Gi­nás­ti­ca Ar­tís­ti­ca, que co­me­ça ama­nhã em Stutt­gart, na Ale­ma­nha, é a nor­te­a­me­ri­ca­na Si­mo­ne Bi­les, con­si­de­ra­da a me­lhor atle­ta da atu­a­li­da­de. Ela apre­sen­tou três mo­vi­men­tos pa­ra inclusão no Có­di­go de Pon­tu­a­ção e apro­vei­tou pa­ra ba­ti­zá-los com seu no­me.

Em ca­da gran­de even­to ofi­ci­al, os atle­tas têm a pos­si­bi­li­da­de de ino­var e pre­ci­sam exe­cu­tar com su­ces­so sua su­ges­tão na com­pe­ti­ção. A Fe­de­ra­ção In­ter­na­ci­o­nal de Gi­nás­ti­ca exi­ge uma di­fi­cul­da­de mí­ni­ma. Pa­ra o Mun­di­al, a nor­te-ame­ri­ca­na cri­ou os ele­men­tos “Bi­les”, pa­ra as bar­ras as­si­mé­tri­cas e tra­ve, e “Bi­les 2” pa­ra o so­lo.

“Eu sin­to que co­lo­car meu no­me em um ele­men­to de di­fi­cul­da­de é re­al­men­te um prê­mio. Sei que ele es­ta­rá lá pa­ra sem­pre, as­sim co­mo as me­da­lhas. Mas os ele­men­tos eu sei que fui a pri­mei­ra a re­a­li­zar”, dis­se a gi­nas­ta. “Ago­ra pre­ci­so ir lá e pro­var que pos­so fa­zê-los nes­sa com­pe­ti­ção im­por­tan­te, es­pe­ci­al­men­te sob a pres­são da dis­pu­ta”, con­ti­nu­ou.

No so­lo, a nor­te-ame­ri­ca­na quer in­cluir em sua sé­rie um mo­vi­men­to iné­di­to que te­rá o ní­vel de di­fi­cul­da­de J, o mais al­to. Ela pre­ten­de fa­zer um du­plo mor­tal gru­pa­do pa­ra trás com tri­pla pi­ru­e­ta, ou se­ja, vai ro­ta­ci­o­nar seu cor­po três ve­zes completas no ar, dan­do um 1080°. Em agos­to, ela já ha­via acer­ta­do o mo­vi­men­to du­ran­te o Cam­pe­o­na­to Nor­te-ame­ri­ca­no de Gi­nás­ti­ca.

Não ape­nas pe­los no­vos ele­men­tos, mas ain­da pe­lo enor­me fa­vo­ri­tis­mo, Si­mo­ne Bi­les já é o gran­de no­me do Mun­di­al e de­ve au­men­tar sua he­ge­mo­nia in­ter­na­ci­o­nal. Ela che­ga ao even­to em­pa­ta­da com a rus­sa Sve­tla­na Khor­ki­na co­mo a mai­or me­da­lhis­ta fe­mi­ni­na da com­pe­ti­ção, com 20 pó­di­os. E tem tu­do pa­ra su­pe­rar o tam­bém russo Vi­taly Scher­bo, que tem 23 me­da­lhas e de­tém o re­cor­de en­tre to­dos os atle­tas da gi­nás­ti­ca ar­tís­ti­ca. No Mun­di­al, Bi­les de­ve que­brar as mar­cas. E is­so com 22 anos.

Bra­sil. A prin­ci­pal au­sên­cia da se­le­ção fe­mi­ni­na de gi­nás­ti­ca ar­tís­ti­ca no Mun­di­al é Re­be­ca An­dra­de, um dos mai­o­res ta­len­tos des­sa ge­ra­ção. Mas a equi­pe es­tá oti­mis­ta em con­se­guir um bom re­sul­ta­do. O ti­me é for­ma­do por Flá­via Sa­rai­va, Ja­de Bar­bo­sa, Lor­ra­ne Oli­vei­ra, Thais Fi­de­lis, Le­ti­cia Cos­ta e Isa­bel Bar­bo­sa, que é re­ser­va. A se­le­ção vai bus­car uma das va­gas em dis­pu­ta pa­ra os Jo­gos Olím­pi­cos de Tóquio (são no­ve, pois Es­ta­dos Uni­dos, Rús­sia e Chi­na já es­tão clas­si­fi­ca­das).

Ama­nhã co­me­ça­rá a dis­pu­ta fe­mi­ni­na com a pre­sen­ça de gi­nas­tas da Aus­trá­lia, Ucrâ­nia, Bél­gi­ca, Re­pú­bli­ca Che­ca, Ale­ma­nha, Egi­to, Co­reia do Sul, Co­reia do Nor­te, Fran­ça, Ro­mê­nia, Chi­na e Ca­na­dá. No dia se­guin­te é a vez de Grã-Bre­ta­nha, Itá­lia, Ho­lan­da, Es­pa­nha, Ja­pão, Mé­xi­co, Rús­sia, Ar­gen­ti­na, Suí­ça e Hun­gria. E en­tão às 15h (ho­rá­rio de Bra­sí­lia), Es­ta­dos Uni­dos e Bra­sil fe­cham o qua­li­fi­ca­tó­rio (com trans­mis­são ao vi­vo do SporTV 3).

Bi­les e as bra­si­lei­ras es­ta­rão na mes­ma ro­ta­ção. De um la­do se­rá uma ame­ri­ca­na fa­zen­do his­tó­ria e do ou­tro atle­tas em bus­ca de uma clas­si­fi­ca­ção pa­ra os Jo­gos de Tóquio.

RI­CAR­DO BUFOLIN // CBG

Fenô­me­no. Bi­les de­ve que­brar to­dos os re­cor­des no Mun­di­al

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.