Sem pa­tro­cí­nio, Prê­mio da Mú­si­ca Bra­si­lei­ra não ocor­re­rá em 2019

Pro­du­tor diz ter si­do son­da­do pe­los go­ver­nos do Rio e de SP, mas as ver­bas não da­ri­am pa­ra ban­car even­to

O Estado de S. Paulo - - Caderno 2 - Ju­lio Ma­ria

Foi uma lu­ta pa­ra não jo­gar a to­a­lha, des­de que a es­ta­tal Pe­tro­brás, em abril, anun­ci­ou a saí­da de ce­na co­mo pa­tro­ci­na­do­ra. Ago­ra, Jo­sé Mau­rí­cio Ma­ch­li­ne anun­cia en­fim, de­pois de me­ses em si­lên­cio pa­ra não abrir as ne­go­ci­a­ções que po­de­ri­am sal­var seu pro­je­to, que não fa­rá a edi­ção do Prê­mio da Mú­si­ca Bra­si­lei­ra em 2019.

O pro­du­tor que fez do prê­mio uma cau­sa de 29 edi­ções, com di­rei­to a uma ine­go­ciá­vel noi­te de ga­la por ano no Te­a­tro Mu­ni­ci­pal do Rio, atraiu pa­ra a fes­ta du­as ver­ten­tes nem sem­pre con­tem­pla­das em um mes­mo pro­je­to, no­va­tos e ve­te­ra­nos, e já ha­via dei­xa­do sua au­ra mais de­co­ra­ti­va dos pri­mei­ros anos pa­ra ga­nhar re­le­vân­cia cu­ra­to­ri­al e de re­sis­tên­cia de uma clas­se rom­pi­da com o po­der pú­bli­co em um ní­vel que não se via des­de os anos de re­gi­me mi­li­tar.

Ma­ch­li­ne con­ta que sua bus­ca por pa­tro­ci­na­do­res, de­pois da saí­da da Pe­tro­brás, aca­bou não sen­do fru­tí­fe­ra. “Ha­via bo­as in­ten­ções, mas sem ne­nhu­ma ver­ba.” Quan­do saiu a no­tí­cia de que ha­via um ris­co de o prê­mio não ser re­a­li­za­do, o go­ver­no es­ta­du­al de São Pau­lo o pro­cu­rou pa­ra que o even­to fos­se trans­fe­ri­do pa­ra a ci­da­de. “São Pau­lo vi­a­bi­li­zou o te­a­tro, mas não con­se­gui­ria ter a ver­ba pa­ra fa­zer­mos da ma­nei­ra co­mo o prê­mio sem­pre foi re­a­li­za­do. Se­ria en­tão um prê­mio me­nor, mas não acho que te­ria a ca­ra do que sem­pre foi.” O Rio tam­bém fez uma pro­pos­ta, mas Ma­ch­li­ne sen­tiu a mes­ma li­mi­ta­ção e pre­fe­riu não fe­char. “Além das li­mi­ta­ções, eu pre­fi­ro fa­zer sem­pre com di­nhei­ro pri­va­do”, diz.

O tem­po foi pas­san­do, as ne­go­ci­a­ções não sen­do fe­cha­das, e uma noi­te que de­pen­de de lan­ça­men­tos con­cen­tra­dos em um de­ter­mi­na­do pe­río­do do ano foi che­gan­do ao seu pra­zo de va­li­da­de. Mes­mo se con­se­guis­se um pa­tro­ci­na­dor ho­je pa­ra fa­zer co­mo quer, Ma­ch­li­ne te­ria pro­ble­mas cro­no­ló­gi­cos. “O ano le­ti­vo da va­li­da­de dos lan­ça­men­tos vai até 31 de de­zem­bro de 2018. Mui­tos ar­tis­tas já es­tão com dis­cos no­vos lan­ça­dos de­pois des­se dia, com shows no­vos.” Pa­ra evi­tar um prê­mio frio, ele re­sol­veu anun­ci­ar a de­sis­tên­cia da noi­te.

O pro­du­tor diz que não sa­be tam­bém se con­se­gue ou não fa­zer o prê­mio no ano que vem. E que, se con­se­guir, não ima­gi­na se se­rá no Rio ou em São Pau­lo. “Há uma in­de­fi­ni­ção das pró­pri­as leis de in­cen­ti­vo, as pes­so­as não sa­bem no que vai dar”, ele diz, so­bre os pro­vá­veis pa­tro­ci­na­do­res. “O mo­men­to é com­pli­ca­do em ter­mos cul­tu­rais, es­ta­mos com mui­tas mu­dan­ças.”

O prê­mio co­me­çou a ser pa­tro­ci­na­do pe­la em­pre­sa de ele­tro­do­més­ti­cos Sharp em 1988, quan­do o no­me era Prê­mio Sharp de Mú­si­ca Bra­si­lei­ra, até que, em 1999, o mun­do so­freu um aba­lo econô­mi­co e a em­pre­sa não con­se­guiu se­guir com o pro­je­to. Em 2002, um no­vo pa­tro­ci­na­dor che­gou e fez a noi­te re­tor­nar co­mo Prê­mio Ca­ras, as­su­mi­do pe­la Re­vis­ta Ca­ras.

Mas por ape­nas dois anos, quan­do o no­me mu­dou pa­ra Prê­mio TIM de Mú­si­ca, hon­ran­do o con­tra­to com a ope­ra­do­ra te­lefô­ni­ca TIM, uma par­ce­ria que du­rou até 2008. Em 2009, uma edi­ção his­tó­ri­ca veio com o prê­mio em sua ver­são in­de­pen­den­te, con­tan­do com o apoio da clas­se ar­tís­ti­ca. Foi em 2009, na 20.ª edi­ção, que o even­to ga­nhou o no­me de Prê­mio da Mú­si­ca Bra­si­lei­ra. Mes­mo em 2010, com a em­pre­sa Va­le co­mo pa­tro­ci­na­do­ra, o no­me não foi al­te­ra­do.

Ma­ch­li­ne con­ta que não ha­via ain­da um no­me de­fi­ni­do pa­ra ser o ho­me­na­ge­a­do do ano. “Pen­sei em al­guns, mas não ha­via fe­cha­do na­da”. O ar­tis­ta lem­bra­do ga­nha­va ver­sões ex­clu­si­vas de su­as mú­si­cas can­ta­das du­ran­te a noi­te. Al­guns de­les fo­ram Cla­ra Nunes (em 2009), Ma­ria Bethâ­nia (205), Ney Ma­to­gros­so (2017) e Luiz Me­lo­dia (2018).

‘São Pau­lo vi­a­bi­li­zou o te­a­tro, mas não con­se­guiu a ver­ba pa­ra fa­zer­mos da ma­nei­ra cer­ta. Se­ria um prê­mio me­nor, e não acho que te­ria a ca­ra do que foi’ Jo­sé Mau­rí­cio Ma­ch­li­ne PRO­DU­TOR

FA­BIO MOT­TA/ES­TA­DÃO - 5/7/2018

Ma­ch­li­ne. Pro­du­tor não sa­be se even­to re­tor­na­rá em 2020

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.