Li­ci­ta­ção de pré­dio do TJ es­tá sob si­gi­lo

Con­cor­rên­cia pú­bli­ca de pro­je­to de en­ge­nha­ria pa­ra constru­ção de no­va se­de do tri­bu­nal, es­ti­ma­da em R$ 25,3 mi­lhões, es­tá sus­pen­sa

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - Bru­no Ri­bei­ro

Por de­ci­são do de­sem­bar­ga­dor Fer­raz de Arruda, o pro­ces­so de es­co­lha da em­pre­sa que fa­rá o pro­je­to de en­ge­nha­ria da no­va se­de do Tri­bu­nal de Jus­ti­ça de São Pau­lo es­tá sob si­gi­lo. Nem de­sem­bar­ga­do­res do pró­prio ór­gão po­dem ter aces­so aos do­cu­men­tos da li­ci­ta­ção, es­ti­ma­da em R$ 25,3 mi­lhões e sus­pen­sa des­de o mês pas­sa­do.

O pro­ces­so de es­co­lha da em­pre­sa que fa­rá o pro­je­to de en­ge­nha­ria da no­va se­de do Tri­bu­nal de Jus­ti­ça de São Pau­lo es­tá em si­gi­lo, e nem de­sem­bar­ga­do­res do pró­prio ór­gão po­dem ter aces­so aos do­cu­men­tos da li­ci­ta­ção. A li­ci­ta­ção es­tá es­ti­ma­da em R$ 25,3 mi­lhões e é uma das eta­pas pa­ra a constru­ção da no­va se­de, or­ça­da em R$ 1,2 bi­lhão.

O si­gi­lo é de­ci­são do re­la­tor do pro­ces­so, de­sem­bar­ga­dor Fer­raz de Arruda. Se­gun­do a as­ses­so­ria de im­pren­sa do TJ-SP, ele de­ter­mi­nou o se­gre­do de­pois de o pre­si­den­te do TJ-SP, de­sem­bar­ga­dor Ma­no­el Pe­rei­ra Cal­ças, de­ci­dir sus­pen­der a li­ci­ta­ção, no mês pas­sa­do.

No­ta en­vi­a­da pe­lo de­sem­bar­ga­dor Fer­raz de Arruda afir­ma que o si­gi­lo foi de­ter­mi­na­do “con­si­de­ran­do que a sua pu­bli­ci­da­de po­de­ria com­pro­me­ter o an­da­men­to pro­ce­di­men­tal”, mas que de­ve re­ti­rá-lo na pró­xi­ma ses­são do Ór­gão Es­pe­ci­al, na se­ma­na que vem (mais in­for­ma­ções nes­ta pá­gi­na).

A de­ter­mi­na­ção pe­lo si­gi­lo foi to­ma­da quan­do a li­ci­ta­ção es­ta­va na eta­pa de re­ce­bi­men­to dos en­ve­lo­pes, com as pro­pos­tas co­mer­ci­ais das em­pre­sas in­te­res­sa­das. A sus­pen­são do pro­ces­so ti­nha pra­zo de 30 di­as, que ven­ceu an­te­on­tem. Es­sa pa­ra­li­sa­ção se deu após ques­ti­o­na­men­tos fei­tos por uma das de­sem­bar­ga­do­ras do tri­bu­nal, Ma­ria Lú­cia Piz­zot­ti, so­bre as­pec­tos ad­mi­nis­tra­ti­vos da obra e so­bre o or­ça­men­to pro­pos­to.

Sem aces­so às in­for­ma­ções, até as­pec­tos do trâ­mi­te do pro­ces­so não es­ta­vam dis­po­ní­veis. A de­sem­bar­ga­do­ra Ma­ria Lú­cia afir­mou que não ti­nha con­fir­ma­ção nem se o de­cre­to ha­via par­ti­do do re­la­tor Arruda ou do pre­si­den­te Cal­ças – o Es­ta­do ob­te­ve a in­for­ma­ção por meio da as­ses­so­ria de im­pren­sa do ór­gão. “É um ab­sur­do, é um as­sun­to de in­te­res­se pú­bli­co, en­vol­ven­do es­sa vul­to­sa quan­tia. Não po­de ter se­gre­do de Jus­ti­ça”, dis­se a de­sem­bar­ga­do­ra. “Se­gre­do de jus­ti­ça é pa­ra ca­sos per­so­na­lís­si­mos, ofen­sa pes­so­al, ca­sos en­vol­ven­do cri­an­ça, a hon­ra sub­je­ti­va. Em ca­sos que en­vol­vem erá­rio, o se­gre­do de jus­ti­ça é to­tal­men­te in­com­pa­tí­vel”, com­ple­tou Ma­ria Lú­cia.

‘Jus­ti­fi­ca­ti­va’. Se­gun­do o pro­fes­sor de Direito Ad­mi­nis­tra­ti­vo Flo­ri­a­no Peixoto de Aze­ve­do Mar­ques, di­re­tor da Fa­cul­da­de de Direito do Lar­go São Fran­cis­co, da USP, uma li­ci­ta­ção po­de ser co­lo­ca­da em si­gi­lo ou ter par­tes si­gi­lo­sas ca­so ha­ja jus­ti­fi­ca­ti­va. “A ques­tão é sa­ber se há jus­ti­fi­ca­ti­va pa­ra o si­gi­lo”, dis­se o pro­fes­sor, que ava­li­ou o ar­gu­men­to do de­sem­bar­ga­dor co­mo “aber­to”. Aze­ve­do Mar­ques lem­brou, po­rém, que exis­tem al­gu­mas mo­da­li­da­des de li­ci­ta­ção em que o or­ça­men­to es­ti­ma­do fei­to pe­lo en­te pú­bli­co é uma das par­tes si­gi­lo­sas.

Obra. Co­mo mos­trou o Es­ta­do na terça-fei­ra pas­sa­da, o ter­re­no apontado pe­lo TJ-SP co­mo en­de­re­ço da no­va se­de é uma Zo­na Es­pe­ci­al de In­te­res­se So­ci­al (Zeis), uma área que, de acor­do com as leis de ur­ba­nis­mo de São Pau­lo, de­ve­ria ser re­ser­va­da pa­ra a constru­ção de mo­ra­di­as po­pu­la­res.

A Pre­fei­tu­ra, por sua vez, emi­tiu um al­va­rá au­to­ri­zan­do a constru­ção, ao en­ten­der que a no­va se­de po­de­ria ser en­qua­dra­da co­mo um equi­pa­men­to de “in­fra­es­tru­tu­ra ur­ba­na”, o que é per­mi­ti­do por um de­cre­to de 2016. O al­va­rá foi ob­ti­do por um es­cri­tó­rio de ar­qui­te­tu­ra con­tra­ta­do pe­lo TJ-SP por R$ 1,5 mi­lhão, em um con­tra­to as­si­na­do com dis­pen­sa de li­ci­ta­ção. A ine­xi­gi­bi­li­da­de do pro­ces­so li­ci­ta­tó­rio se deu com ba­se no ar­gu­men­to de que o mes­mo es­cri­tó­rio ha­via si­do con­tra­ta­do em 2005 pa­ra fa­zer o an­te­pro­je­to (que antecede o pro­je­to fi­nal) da obra, e que de­ti­nha os di­rei­tos au­to­rais do do­cu­men­to.

Até ago­ra, en­tre pro­je­tos, ob­ten­ção de li­cen­ças e pa­ga­men­to de ou­tor­gas à ci­da­de, já fo­ram gas­tos cer­ca de R$ 141 mi­lhões, se­gun­do o Tri­bu­nal de Jus­ti­ça. O pla­no do TJ-SP, que tem a pos­se do ter­re­no des­de 1983, é cons­truir um com­ple­xo que in­clui du­as tor­res, he­li­pon­to e 584 ga­bi­ne­tes.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.