STF le­gis­lan­do

O Estado de S. Paulo - - Espaço aberto -

O Su­pre­mo Tri­bu­nal Fe­de­ral (STF) tem pri­ma­do em to­mar po­si­ção so­bre as­sun­tos que não lhe di­zem res­pei­to. Ago­ra en­ve­re­da por cri­ar leis, imis­cuin­do­se em cam­po do Le­gis­la­ti­vo, ao es­ta­be­le­cer re­gras pa­ra o en­ca­mi­nha­men­to de jul­ga­men­tos em pri­mei­ra e se­gun­da ins­tân­ci­as. Pi­or, in­tro­du­zin­do tais no­vas re­gras com efei­to re­tro­a­ti­vo. Di­an­te dis­so, po­de-se pre­su­mir que ne­nhum juiz de pri­mei­ra e se­gun­da ins­tân­ci­as e do Su­pe­ri­or Tri­bu­nal de Jus­ti­ça (STJ) sa­be cui­dar de su­as ta­re­fas? Em quem po­de­mos con­fi­ar na nos­sa Jus­ti­ça? É es­se o Es­ta­do de Direito que que­re­mos? Que li­mi­te que exis­te pa­ra o STF? So­bre a Cons­ti­tui­ção, cam­po que o STF de­ve­ria en­fo­car, quan­do se man­têm di­rei­tos po­lí­ti­cos de quem foi im­pe­di­do de con­ti­nu­ar em car­go ele­ti­vo (em des­res­pei­to ao ar­ti­go 52, § úni­co, da Car­ta), co­mo se de­ve en­ten­der a ca­pa­ci­ta­ção de mi­nis­tro que in­ter­pre­ta in­cor­re­ta­men­te pre­cei­to cons­ti­tu­ci­o­nal? Que se­gu­ran­ça ju­rí­di­ca a co­le­ti­vi­da­de po­de es­pe­rar?

ABEL CA­BRAL abel­ca­[email protected] Cam­pi­nas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.