Trump su­ge­re que Chi­na in­ves­ti­gue ri­val de­mo­cra­ta.

Pre­si­den­te pe­de pu­bli­ca­men­te aju­da con­tra Bi­den, pe­di­do pa­re­ci­do com o que ele fez à Ucrâ­nia e re­sul­tou no pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment

O Estado de S. Paulo - - Internacio­nal -

“A Chi­na de­ve ini­ci­ar uma in­ves­ti­ga­ção so­bre Bi­den. O que acon­te­ceu na Chi­na é tão ruim quan­to o que acon­te­ceu na Ucrâ­nia” Do­nald Trump PRE­SI­DEN­TE DOS EUA

O pre­si­den­te Do­nald Trump pe­diu pu­bli­ca­men­te on­tem pa­ra a Chi­na in­ves­ti­gar o ex­vi­ce-pre­si­den­te e pré-can­di­da­to de­mo­cra­ta à pre­si­dên­cia dos EUA, Joe Bi­den. Des­de a se­ma­na pas­sa­da, Trump é al­vo de um inqué­ri­to de im­pe­a­ch­ment que in­ves­ti­ga um pe­di­do se­me­lhan­te fei­to por ele, por te­le­fo­ne, em 25 de ju­lho, ao pre­si­den­te da Ucrâ­nia, Vo­lo­di­mir Ze­lens­ki.

“A Chi­na de­ve ini­ci­ar uma in­ves­ti­ga­ção so­bre Bi­den. O que acon­te­ceu na Chi­na é tão ruim quan­to o que acon­te­ceu na Ucrâ­nia”, dis­se Trump aos jor­na­lis­tas na Ca­sa Bran­ca, an­tes de se­guir pa­ra a Fló­ri­da, pa­ra um ato de cam­pa­nha.

O re­pu­bli­ca­no afir­mou que po­de­ria pe­dir ao pre­si­den­te chi­nês, Xi Jin­ping, que ini­ci­as­se uma in­ves­ti­ga­ção so­bre a ati­vi­da­de do fi­lho do ex-vi­ce-pre­si­den­te, Hun­ter Bi­den. “Eu não fiz is­so, mas cer­ta­men­te é al­go que po­de­mos co­me­çar a pen­sar”, dis­se Trump. Em se­gui­da, ele tam­bém re­co­men­dou a Ze­lens­ki, no­va­men­te, que in­ves­ti­gas­se Bi­den.

Ho­ras mais tar­de, a CNN re­ve­lou que, no dia 18 de ju­lho, Trump men­ci­o­nou Bi­den em um te­le­fo­ne­ma pa­ra Xi. Os de­mo­cra­tas es­ta­ri­am ten­tan­do ob­ter a trans­cri­ção da con­ver­sa, que te­ria si­do ar­ma­ze­na­da em um ser­vi­dor se­cre­to, exa­ta­men­te co­mo foi fei­to com o diá­lo­go com Ze­lens­ki.

Bar­ga­nha. No iní­cio da noi­te, o New York Ti­mes, ci­tan­do três fon­tes da Ca­sa Bran­ca, re­la­tou que Trump exi­giu, em agos­to, que Ze­lens­ki se com­pro­me­tes­se pu­bli­ca­men­te com uma in­ves­ti­ga­ção so­bre Bi­den. Em tro­ca, o ame­ri­ca­no lhe con­ce­de­ria um en­con­tro bi­la­te­ral, que te­ria acon­te­ci­do em No­va York, na As­sem­bleia-Ge­ral da ONU.

O acor­do en­tre Trump e Ze­lens­ki foi ela­bo­ra­do por Gor­don Son­dland, em­bai­xa­dor dos EUA na União Eu­ro­peia, e Kurt Vol­ker, en­vi­a­do ame­ri­ca­no à Ucrâ­nia, que pe­diu pa­ra dei­xar o car­go na se­ma­na pas­sa­da. On­tem, em de­poi­men­to de 9 ho­ras na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, a por­tas fe­cha­das, Vol­ker dis­se que aler­tou aos s ucra­ni­a­nos que não de­ve­ri­am se me­ter na elei­ção ame­ri­ca­na.

Lobby. Hun­ter Bi­den tra­ba­lhou no con­se­lho di­re­tor da em­pre­sa ucra­ni­a­na de ener­gia Bu­ris­ma. Nos úl­ti­mos anos da pre­si­dên­cia de Ba­rack Oba­ma, EUA, UE e FMI pres­si­o­na­vam a Ucrâ­nia a de­mi­tir o pro­cu­ra­dor­ge­ral do país, Vik­tor Sho­kin, acu­sa­do de en­ga­ve­tar ca­sos de cor­rup­ção. A pres­são deu cer­to.

No en­tan­to, Trump e seu ad­vo­ga­do pes­so­al, Rudy Giu­li­a­ni, ago­ra di­zem que Sho­kin foi de­mi­ti­do por­que es­ta­va in­ves­ti­ga­do a em­pre­sa de Hun­ter, que tam­bém te­ria pres­ta­do o mes­mo ti­po de con­sul­to­ria na Chi­na – de on­de ele te­ria ga­nha­do uma fortuna. Em ju­lho, Hun­ter ex­pli­cou o ca­so. Ele dis­se que ofe­re­ceu ao em­pre­sá­rio chi­nês Ye Ji­an­ming “seus con­ta­tos” no go­ver­no ame­ri­ca­no pa­ra aju­dar a “iden­ti­fi­car opor­tu­ni­da­des de in­ves­ti­men­to” pa­ra sua em­pre­sa. Ele ex­pli­cou que Ye lhe en­vi­ou um di­a­man­te de 2,8 qui­la­tes (ava­li­a­do em US$ 80 mil), que o fi­lho de Bi­den diz ter da­do aos seus só­ci­os.

O ape­lo de Trump à Chi­na foi sur­pre­en­den­te, por­que os dois paí­ses tra­vam uma gu­er­ra co­mer­ci­al. Após as de­cla­ra­ções de Trump, a vi­ce-ge­ren­te de cam­pa­nha de Bi­den, Kate Be­ding­fi­eld, dis­se que o pre­si­den­te es­tá “se agar­ran­do de­ses­pe­ra­da­men­te a te­o­ri­as da cons­pi­ra­ção que já fo­ram des­mas­ca­ra­das”.

O pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment já tem apoio su­fi­ci­en­te pa­ra ser apro­va­do na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, do­mi­na­da pe­los de­mo­cra­tas. Trump ain­da con­fia no Se­na­do, de mai­o­ria re­pu­bli­ca­na. Pa­ra que ele se­ja des­ti­tuí­do, 20 se­na­do­res re­pu­bli­ca­nos, de um to­tal de 53, te­ri­am de mu­dar de la­do, o que é con­si­de­ra­do im­pro­vá­vel.

AN­DREW HARNIK/AP

No ata­que. Trump na Ca­sa Bran­ca: acu­sa­ções con­tra Bi­den

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.