Pro­ble­ma é a ava­li­a­ção de quem co­man­da

O Estado de S. Paulo - - Esportes - ✽ ANÁ­LI­SE: Cel­so Roth

Fal­ta for­ma­ção aos di­ri­gen­tes pa­ra dis­cer­nir quem faz um bom tra­ba­lho, sa­ber o que vai ren­der ou não. Nós não te­mos mui­tos pro­fis­si­o­nais re­no­ma­dos nes­se mer­ca­do. São pes­so­as com um al­to po­der fi­nan­cei­ro, ape­nas. De­pois da Co­pa do Mun­do de 2014, a culpa de to­dos os pro­ble­mas do fu­te­bol bra­si­lei­ro foi co­lo­ca­da em ci­ma dos trei­na­do­res.

Ago­ra, te­mos a vol­ta de al­guns pro­fis­si­o­nais ao mer­ca­do. Acho nor­mal que is­so acon­te­ça de­pois de uma que­da vi­o­len­ta, co­mo foi o pós-Co­pa de 2014. É um ajus­te.

O gran­de pro­ble­ma, no en­tan­to, con­ti­nua sen­do a ava­li­a­ção das pes­so­as que co­man­dam o fu­te­bol. Ana­li­sam o es­por­te ape­nas pe­lo re­sul­ta­do, e não pe­lo tra­ba­lho.

‘Ges­tão’ é pa­la­vra da mo­da. Co­pi­a­mos tan­ta coi­sa da Eu­ro­pa, mas os clu­bes con­ti­nu­am no sis­te­ma pre­si­den­ci­a­lis­ta, no qual o di­ri­gen­te é elei­to por um Con­se­lho. Na Eu­ro­pa, o elei­to de­le­ga a ges­tão do fu­te­bol. Se­ria mais ló­gi­co se aqui fos­se as­sim.

✽ CAM­PEÃO DA LI­BER­TA­DO­RES DE 2010, ES­TÁ DE­SEM­PRE­GA­DO DES­DE 2016

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.