Mi­nis­tro do Tu­ris­mo é de­nun­ci­a­do em MG

Pa­ra Pro­cu­ra­do­ria, Mar­ce­lo Ál­va­ro Antô­nio foi o prin­ci­pal be­ne­fi­ci­a­do do des­vio de R$ 192 mil do fun­do elei­to­ral; Bol­so­na­ro ‘aguar­da­rá o de­sen­ro­lar do pro­ces­so’, diz por­ta-voz

O Estado de S. Paulo - - Primeira página -

A Pro­cu­ra­do­ria Elei­to­ral de Mi­nas Ge­rais apre­sen­tou de­nún­cia – acu­sa­ção for­mal – on­tem con­tra o mi­nis­tro do Tu­ris­mo, Mar­ce­lo Ál­va­ro Antô­nio, pe­lo uso de can­di­da­tu­ras de fa­cha­da (la­ran­ja) pa­ra des­vio de re­cur­sos pú­bli­cos do fun­do elei­to­ral nas elei­ções de 2018. Na­que­le ano, ele era pre­si­den­te do PSL mi­nei­ro e se can­di­da­tou a de­pu­ta­do fe­de­ral. O por­ta-voz da Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca, Otá­vio do Rê­go Bar­ros, afir­mou que o pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro vai man­ter o mi­nis­tro no car­go e “aguar­da­rá o de­sen­ro­lar do pro­ces­so”.

A de­nún­cia al­can­ça, ain­da, ou­tras dez pes­so­as, en­tre elas três as­ses­so­res do mi­nis­tro que, se­gun­do os in­ves­ti­ga­do­res, atu­a­vam co­mo in­ter­me­diá­ri­os do es­que­ma, fa­zen­do a li­ga­ção en­tre o par­ti­do e as grá­fi­cas e o di­re­ci­o­na­men­to dos pa­ga­men­tos. O de­pu­ta­do es­ta­du­al Pro­fes­sor Iri­neu (PSL), elei­to no ano pas­sa­do, tam­bém foi acu­sa­do co­mo be­ne­fi­ciá­rio do es­que­ma.

De acord com as in­ves­ti­ga­ções, Ál­va­ro Antô­nio ar­ti­cu­lou um es­que­ma de lan­ça­men­to de can­di­da­tu­ras fe­mi­ni­nas sem a in­ten­ção de ele­ger as con­cor­ren­tes, ape­nas pa­ra aces­sar re­cur­sos do fun­do elei­to­ral. Por lei, ca­da par­ti­do de­ve ga­ran­tir o mí­ni­mo de 30% de can­di­da­tas. En­tre os de­nun­ci­a­dos es­tão qua­tro mu­lhe­res apon­ta­das co­mo la­ran­jas – jun­tas, elas re­ce­be­ram cer­ca de 2.100 vo­tos.

Pa­ra o pro­mo­tor de Jus­ti­ça Fer­nan­do Abreu, au­tor da de­nún­cia, Ál­va­ro Antô­nio não só te­ria co­nhe­ci­men­to da es­tru­tu­ra cri­mi­no­sa co­mo sua can­di­da­tu­ra foi uma das prin­ci­pais be­ne­fi­ci­a­das pe­lo es­que­ma, que te­ria des­vi­a­do R$ 192,9 mil.

“Uma vez que a com­po­si­ção da di­re­to­ria do par­ti­do era pra­ti­ca­men­te to­da li­ga­da a seu ga­bi­ne­te, se che­gou à con­clu­são de que to­das as in­for­ma­ções da cam­pa­nha pas­sa­vam di­re­ta­men­te dos seus as­ses­so­res pa­ra que pu­des­se ser de­sen­vol­vi­da to­da a es­tru­tu­ra dos cri­mes que fo­ram pra­ti­ca­dos”, afir­mou o pro­mo­tor. “Ha­via anuên­cia do pre­si­den­te do PSL.”

A de­nún­cia foi apre­sen­ta­da pe­la Pro­mo­to­ria de Jus­ti­ça Elei­to­ral por­que os fa­tos apu­ra­dos se re­fe­rem à cam­pa­nha, no pe­río­do an­te­ri­or à pos­se de Ál­va­ro Antô­nio no mi­nis­té­rio.

Uma das de­nun­ci­an­tes do es­que­ma, Cleu­ze­nir Bar­bo­sa, can­di­da­ta der­ro­ta­da a de­pu­ta­do fe­de­ral pe­lo PSL de Mi­nas, dis­se on­tem es­pe­rar que a acu­sa­ção se­ja acei­ta e o mi­nis­tro vi­re réu. “Acho que a jus­ti­ça es­tá sen­do fei­ta, e es­pe­ro que, em bre­ve, es­se se­nhor vi­re réu e pa­gue pe­la ban­di­da­gem que co­me­teu”, afir­mou ela, que não é al­vo da de­nún­cia. As in­ves­ti­ga­ções apon­ta­ram que Cleu­ze­nir não re­pas­sou os re­cur­sos que re­ce­beu pe­la can­di­da­tu­ra.

In­di­ci­a­men­to. On­tem, mais ce­do, Ál­va­ro Antô­nio ha­via si­do in­di­ci­a­do pe­la Po­lí­cia Fe­de­ral no inqué­ri­to da Ope­ra­ção Su­frá­gio Os­ten­ta­ção por fal­si­da­de ide­o­ló­gi­ca, as­so­ci­a­ção cri­mi­no­sa e apro­pri­a­ção in­dé­bi­ta.

No iní­cio da tar­de, após o in­di­ci­a­men­to, mas an­tes da de­nún­cia apre­sen­ta­da pe­lo Mi­nis­té­rio Pú­bli­co, o por­ta-voz da Pre­si­dên­cia in­for­mou que o mi­nis­tro se­ria man­ti­do por Bol­so­na­ro. À noi­te, ao ser qu­es­ti­o­na­do no Pa­lá­cio da Al­vo­ra­da so­bre a acu­sa­ção con­tra Ál­va­ro Antô­nio, o pre­si­den­te dis­se ape­nas “sem co­men­tá­ri­os”. Em se­gui­da, afir­mou: “Não tem coi­sas bo­as pa­ra per­gun­tar? ‘Ra­lo’ o dia to­do e não tem uma coi­sa boa pa­ra per­gun­tar?” De­pois, Bol­so­na­ro se des­cul­pou. “Pes­so­al, me des­cul­pa, aí. Eu es­tou com a ca­be­ça quen­te.”

A de­nún­cia con­tra o mi­nis­tro re­per­cu­tiu no PSL, par­ti­do de Bol­so­na­ro. A se­na­do­ra So­raya Th­ro­nic­ke (PSL-MS), que se reu­niu com o pre­si­den­te pe­la ma­nhã, de­fen­deu a per­ma­nên­cia de Ál­va­ro Antô­nio no car­go – o úni­co do PSL no pri­mei­ro es­ca­lão do go­ver­no. “Ele tem con­di­ções, sim, de to­car (o mi­nis­té­rio), é um ex­ce­len­te ges­tor. E vai ter di­rei­to ao con­tra­di­tó­rio, am­pla de­fe­sa”, dis­se ela.

Já o lí­der do PSL no Se­na­do, Ma­jor Olím­pio (SP), de­fen­deu a saí­da do mi­nis­tro da pas­ta. “No lu­gar do Mar­ce­lo Ál­va­ro, eu pe­di­ria pa­ra sair do mi­nis­té­rio, pa­ra me de­fen­der com ar­gu­men­tos na Jus­ti­ça. E re­tor­na­ria à Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, on­de ele tem man­da­to, pa­ra se de­fen­der e usar o mi­cro­fo­ne pa­ra de­fen­der o seu go­ver­no”, dis­se.

De­fe­sas. Em no­ta, o Mi­nis­té­rio do Tu­ris­mo afir­mou que o mi­nis­tro “re­for­ça sua con­vic­ção de que a ver­da­de pre­va­le­ce­rá e sua ino­cên­cia se­rá com­pro­va­da”. Dis­se ain­da que Ál­va­ro Antô­nio não co­me­teu qual­quer ir­re­gu­la­ri­da­de (mais in­for­ma­ções nes­ta pá­gi­na).

Pro­fes­sor Iri­neu de­cla­rou que re­ce­beu com “sur­pre­sa” seu in­di­ci­a­men­to e de­nún­cia, já que sua pres­ta­ção de con­tas de cam­pa­nha foi apro­va­da pe­lo Tri­bu­nal Re­gi­o­nal Elei­to­ral de Mi­nas.

RO­BER­TO CAS­TRO/MTUR

Bu­e­nos Ai­res. Ál­va­ro Antô­nio (à dir.) em reu­nião com mi­nis­tro do Tu­ris­mo da Ar­gen­ti­na

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.