Trump já ad­mi­te der­ro­ta na Câ­ma­ra, mas con­fia em ab­sol­vi­ção no Se­na­do

Pre­si­den­te ame­ri­ca­no re­co­nhe­ce, pe­la pri­mei­ra vez, que de­mo­cra­tas têm vo­tos su­fi­ci­en­tes pa­ra fa­zer pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment avan­çar no Con­gres­so, mas apos­ta na le­al­da­de da mai­o­ria dos se­na­do­res re­pu­bli­ca­nos pa­ra evi­tar a des­ti­tui­ção

O Estado de S. Paulo - - Internacio­nal - WASHING­TON

O pre­si­den­te dos EUA, Do­nald Trump, re­co­nhe­ceu on­tem que os de­mo­cra­tas têm vo­tos su­fi­ci­en­tes pa­ra apro­var o im­pe­a­ch­ment na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, mas res­sal­tou que o Se­na­do, de mai­o­ria re­pu­bli­ca­na, o ab­sol­ve­rá. Trump afir­mou ain­da que não de­ci­diu se vai co­o­pe­rar com o Con­gres­so.

Os de­mo­cra­tas, que con­tro­lam a Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, in­ves­ti­gam se Trump co­me­teu abu­so de po­der ao pres­si­o­nar a Ucrâ­nia a in­ves­ti­gar o ex-vi­ce­pre­si­den­te Joe Bi­den e seu fi­lho Hun­ter. O pré-can­di­da­to de­mo­cra­ta é seu mai­or ri­val na dis­pu­ta pre­si­den­ci­al de 2020. “Os de­mo­cra­tas, in­fe­liz­men­te, têm os vo­tos”, dis­se Trump.

O pre­si­den­te ma­ni­fes­tou con­fi­an­ça de que os re­pu­bli­ca­nos, seus ali­a­dos no Se­na­do fi­ca­rão ao seu la­do. Pa­ra que ele se­ja des­ti­tuí­do, se­ria pre­ci­so que 20 dos 53 se­na­do­res re­pu­bli­ca­nos aban­do­nas­sem o bar­co. “Te­mos um óti­mo re­la­ci­o­na­men­to com o Se­na­do e os se­na­do­res ve­em is­so (o im­pe­a­ch­ment) co­mo uma frau­de”, de­cla­rou.

A Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, pre­si­di­da pe­la de­mo­cra­ta Nancy Pe­lo­si, pre­ci­sa de uma mai­o­ria sim­ples de 218 le­gis­la­do­res pa­ra en­vi­ar as acu­sa­ções ao Se­na­do. Os de­mo­cra­tas ocu­pam 235 das 435 ca­dei­ras e já te­ri­am nú­me­ro su­fi­ci­en­te pa­ra avan­çar o pro­ces­so de im­pe­a­ch­ment, aber­to na se­ma­na pas­sa­da em ra­zão de uma con­ver­sa te­lefô­ni­ca en­tre Trump e o pre­si­den­te ucra­ni­a­no, Vo­lo­di­mir Ze­lens­ki, em 25 de ju­lho, na qual o ame­ri­ca­no pe­diu a in­ves­ti­ga­ção so­bre Bi­den.

On­tem, o no­vo pro­cu­ra­dor­ge­ral da Ucrâ­nia, Rus­lan Rya­boshap­ka, anun­ci­ou que vai “ana­li­sar em de­ta­lhes vá­ri­os ca­sos ar­qui­va­dos” por seus an­te­ces­so­res, en­tre eles o que en­vol­ve a Bu­ris­ma Hol­dings, em­pre­sa com a qual Hun­ter Bi­den co­la­bo­ra­va. A in­for­ma­ção le­van­tou dú­vi­das so­bre se a Ucrâ­nia es­ta­va ou não se cur­van­do à pres­são de Trump.

Co­mo se não bas­tas­se o es­cân­da­lo da Ucrâ­nia, on­tem o pre­si­den­te se viu en­vol­vi­do em ou­tra fren­te. Se­gun­do a CNN, Trump te­ria ne­go­ci­a­do com a Chi­na um pac­to de si­lên­cio so­bre os pro­tes­tos pró-de­mo­cra­cia em Hong Kong em tro­ca de ob­ter al­gum pro­gres­so nas ne­go­ci­a­ções co­mer­ci­ais com Pe­quim. A in­for­ma­ção foi di­vul­ga­da um dia de­pois de Trump pe­dir pu­bli­ca­men­te à Chi­na que tam­bém in­ves­ti­gas­se Bi­den.

De acor­do com a re­por­ta­gem, que ci­ta du­as fon­tes que não qui­se­ram se iden­ti­fi­car, em um te­le­fo­ne­ma ao pre­si­den­te da Chi­na, Xi Jin­ping, em 18 de ju­nho, Trump tam­bém men­ci­o­nou o no­me da pré-can­di­da­ta de­mo­cra­ta à pre­si­dên­cia Eli­za­beth War­ren, que tem cres­ci­do nas pes­qui­sas.

As fon­tes não de­ram de­ta­lhes do con­teú­do das dis­cus­sões, mas afir­ma­ram que os re­gis­tros do te­le­fo­ne­ma fo­ram ar­qui­va­dos em um ser­vi­dor se­cre­to, exa­ta­men­te co­mo foi fei­to com o diá­lo­go com Ze­lens­ki.

Em sua de­fe­sa, Trump dis­se on­tem ter o “di­rei­to ab­so­lu­to” e até a obri­ga­ção de com­ba­ter a cor­rup­ção, “mes­mo que is­so sig­ni­fi­que pe­dir aju­da de ou­tro país”. “Is­so não tem na­da a ver com po­lí­ti­ca ou com uma cam­pa­nha con­tra os Bi­dens”, afir­mou. “Is­so tem a ver com a cor­rup­ção de­les.”

Os de­mo­cra­tas, no en­tan­to, cri­ti­ca­ram o sú­bi­to in­te­res­se do pre­si­den­te pe­lo com­ba­te à cor­rup­ção e ao ne­po­tis­mo, ci­tan­do o ca­so re­cen­te de Ivan­ka Trump, fi­lha do pre­si­den­te, que es­tá en­vol­vi­da em um con­fli­to de in­te­res­se na Chi­na.

Ivan­ka ob­te­ve au­to­ri­za­ção pa­ra re­gis­trar vá­ri­as mar­cas em seu no­me na Chi­na di­as de­pois que seu pai re­ti­rou res­tri­ções a uma em­pre­sa chi­ne­sa, a gi­gan­te das te­le­co­mu­ni­ca­ções ZTE, que es­ta­va no cen­tro das ne­go­ci­a­ções co­mer­ci­ais en­tre Pe­quim e Washing­ton. Ivan­ka é con­se­lhei­ra do pai, mas con­ti­nua se be­ne­fi­ci­an­do das ven­das dos pro­du­tos de sua em­pre­sa, boa par­te de­les fei­tos na Chi­na.

“Trump é a pró­pria de­fi­ni­ção de cor­rup­to. Com su­as pró­pri­as de­cla­ra­ções, ele in­di­ci­ou a si mes­mo” Joe Bi­den EX-VI­CE-PRE­SI­DEN­TE E PRÉ-CAN­DI­DA­TO DE­MO­CRA­TA À CA­SA BRAN­CA

YURI GRIPAS/REU­TERS

Sal­va­ção. Pre­si­den­te Do­nald Trump em vi­si­ta a um hos­pi­tal de ve­te­ra­nos em Mary­land: apos­ta na le­al­da­de dos se­na­do­res re­pu­bli­ca­nos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.