Con­fron­tos dei­xam 60 mor­tos no Ira­que

Po­lí­cia dis­pa­ra con­tra ma­ni­fes­tan­tes que pro­tes­tam con­tra cor­rup­ção e de­sem­pre­go pe­lo qua­tro dia se­gui­do

O Estado de S. Paulo - - Internacio­nal - BAG­DÁ

Cen­te­nas de ma­ni­fes­tan­tes se reu­ni­ram on­tem em cin­co pon­tos de Bag­dá, ca­pi­tal do Ira­que, pa­ra pe­dir mais ser­vi­ços pú­bli­cos, ape­sar do to­que de re­co­lher im­pos­to pe­lo go­ver­no na vés­pe­ra. Os con­fron­tos nos úl­ti­mos qua­ro di­as dei­xa­ram pe­lo me­nos 60 mor­tos e mais de 1,6 mil fe­ri­dos, se­gun­do fon­tes po­li­ci­ais e mé­di­cas.

Os pro­tes­tos na ca­pi­tal ira­qui­a­na co­me­ça­ram na ter­ça-fei­ra e fo­ram con­vo­ca­dos nas re­des so­ci­ais pe­los ci­da­dãos que, tan­to pe­la in­ter­net qu­an­to nas ru­as, exi­gem me­lho­ri­as nos ser­vi­ços pú­bli­cos, co­mo água e ele­tri­ci­da­de, mais opor­tu­ni­da­des de tra­ba­lho e o fim da cor­rup­ção.

Ne­nhum par­ti­do ou mo­vi­men­to das vá­ri­as fac­ções que do­mi­nam o ce­ná­rio po­lí­ti­co ira­qui­a­no li­de­ra as mo­bi­li­za­ções, em­bo­ra al­guns te­nham ex­pres­sa­do sua so­li­da­ri­e­da­de e apoio às rei­vin­di­ca­ções dos ma­ni­fes­tan­tes, na sua mai­o­ria jo­vens.

Em dis­cur­so trans­mi­ti­do na TV du­ran­te a ma­dru­ga­da, o pre­miê, Adil Ab­dul-Mah­di, dis­se en­ten­der a frus­tra­ção e o so­fri­men­to da po­pu­la­ção, mas res­sal­tou que não há “so­lu­ção má­gi­ca” pa­ra os pro­ble­mas do país.

“Não vi­ve­mos em tor­res de mar­fim – an­da­mos en­tre vo­cês pe­las ru­as de Bag­dá”, afir­mou o pre­miê. Ele tam­bém pe­diu cal­ma e apoio dos le­gis­la­do­res pa­ra re­or­ga­ni­zar o ga­bi­ne­te sem a in­fluên­cia de gran­des par­ti­dos e gru­pos. O pri­mei­ro-mi­nis­tro, cu­jo go­ver­no foi for­ma­do em ou­tu­bro do ano pas­sa­do com per­fil tec­no­cra­ta, pro­me­teu que um sa­lá­rio bá­si­co pa­ra fa­mí­li­as po­bres se­ria dis­cu­ti­do.

As au­to­ri­da­des fe­cha­ram on­tem es­tra­das no nor­te e no nor­des­te do Ira­que que dão aces­so à ca­pi­tal e en­vi­a­ram re­for­ços ao les­te de Bag­dá, uma re­gião den­sa­men­te po­vo­a­da. Com­boi­os mi­li­ta­res tam­bém fo­ram des­lo­ca­dos pa­ra Nas­si­riya, ci­da­de mais atin­gi­da pe­la on­da de vi­o­lên­cia.

Em Bag­dá, ig­no­ran­do o to­que de re­co­lher, ma­ni­fes­tan­tes se reu­ni­ram ain­da no es­cu­ro sob a luz de uma fo­guei­ra en­tre des­tro­ços de um veí­cu­lo blin­da­do às mar­gens do Rio Ti­gre, per­to do com­ple­xo go­ver­na­men­tal. “Eles es­tão ati­ran­do mu­ni­ção re­al con­tra o po­vo ira­qui­a­no e os re­vo­lu­ci­o­ná­ri­os. Po­de­mos atra­ves­sar a pon­te e ti­rá-los da Zo­na Ver­de!”, gri­tou um ma­ni­fes­tan­te.

“Ab­dul-Mah­di, eles atra­ves­sa­rão a pon­te. É me­lhor vo­cê re­nun­ci­ar. O po­vo exi­ge a que­da do re­gi­me”, con­ti­nu­ou o ho­mem, en­quan­to a mul­ti­dão re­pe­tia um cân­ti­co que se tor­nou po­pu­lar no Ori­en­te Mé­dio nos le­van­tes da Pri­ma­ve­ra Ára­be: “O po­vo exi­ge a que­da do re­gi­me!”

KHA­LID MOHAM­MED) / AP

Vi­o­lên­cia. Pro­tes­to em Bag­dá: con­tra cor­rup­ção e re­ces­são

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.