Go­ver­no dos EUA pres­si­o­na Fa­ce­bo­ok

Re­de so­ci­al é cri­ti­ca­da por usar crip­to­gra­fia em seus apli­ca­ti­vos de men­sa­gens; au­to­ri­da­des ame­ri­ca­nas que­rem re­gu­lar mo­e­da di­gi­tal

O Estado de S. Paulo - - Economia - IN­TER­NA­CI­O­NAIS /AGÊN­CI­AS

O pro­cu­ra­dor-ge­ral dos Es­ta­dos Uni­dos, Wil­li­am Barr, es­cre­veu uma car­ta ao Fa­ce­bo­ok on­tem pe­din­do pa­ra a em­pre­sa não usar crip­to­gra­fia em men­sa­gens, um re­cur­so tec­no­ló­gi­co que pro­te­ge o con­teú­do es­cri­to. A me­di­da ata­ca prin­ci­pal­men­te um pla­no anun­ci­a­do pe­la em­pre­sa em ja­nei­ro des­te ano: a in­te­gra­ção dos ser­vi­ços de men­sa­gens WhatsApp, Ins­ta­gram e Mes­sen­ger, com uma in­fra­es­tru­tu­ra de crip­to­gra­fia de pon­ta a pon­ta. A in­for­ma­ção é do si­te ‘BuzzFe­ed News’.

Barr pe­diu que a em­pre­sa adie a in­te­gra­ção dos apps até que au­to­ri­da­des de­ter­mi­nem se a crip­to­gra­fia re­du­zi­rá a se­gu­ran­ça pú­bli­ca. Na car­ta, é ex­pos­to o ar­gu­men­to de que men­sa­gens crip­to­gra­fa­das fa­ci­li­tam a dis­se­mi­na­ção de con­teú­dos re­la­ci­o­na­dos à ex­plo­ra­ção se­xu­al in­fan­til e ao ter­ro­ris­mo, e di­fi­cul­tam o ras­tre­a­men­to pe­la po­lí­cia. Au­to­ri­da­des do Rei­no Uni­do e da Aus­trá­lia tam­bém as­si­na­ram o do­cu­men­to.

“Me­lho­ri­as de se­gu­ran­ça no mun­do vir­tu­al não de­ve­ri­am nos tor­nar mais vul­ne­rá­veis no mun­do fí­si­co”, diz a car­ta. “Em­pre­sas não de­vem cri­ar de­li­be­ra­da­men­te seus sis­te­mas pa­ra im­pe­dir qual­quer for­ma de aces­so a con­teú­do, in­clu­si­ve pa­ra pre­ven­ção e in­ves­ti­ga­ção de cri­mes sé­ri­os”.

As au­to­ri­da­des tam­bém pe­dem que o Fa­ce­bo­ok crie uma for­ma de au­to­ri­da­des aces­sa­rem con­teú­dos ile­gais ou cri­mi­no­sos que cir­cu­lam pe­las pla­ta­for­mas da re­de so­ci­al. O apli­ca­ti­vo de men­sa­gem WhatsApp, que per­ten­ce ao Fa­ce­bo­ok, já fun­ci­o­na ho­je com crip­to­gra­fia de pon­ta­a­pon­ta. A pre­o­cu­pa­ção das au­to­ri­da­des é com a ex­pan­são des­sa fer­ra­men­ta. “Os ris­cos de se­gu­ran­ça pú­bli­ca re­la­ci­o­na­dos ao no­vo pla­no do Fa­ce­bo­ok são exa­cer­ba­dos por­que se­rá uma úni­ca pla­ta­for­ma que com­bi­na­rá ser­vi­ços de men­sa­gens ina­ces­sí­veis com per­fis aber­tos, ofe­re­cen­do ro­tas úni­cas pa­ra pos­sí­veis cri­mi­no­sos iden­ti­fi­ca­rem nos­sos fi­lhos”, diz a car­ta.

Em res­pos­ta, o Fa­ce­bo­ok afir­mou que “acre­di­ta que as pes­so­as te­nham o di­rei­to de ter uma con­ver­sa on­li­ne pri­va­da, on­de quer que elas es­te­jam no mun­do”. A re­de so­ci­al afir­mou que es­tá con­sul­tan­do es­pe­ci­a­lis­tas, go­ver­nos e ou­tras em­pre­sas de tec­no­lo­gia pa­ra ga­ran­tir que os seus no­vos ser­vi­ços com crip­to­gra­fia se­jam se­gu­ros. “O Fa­ce­bo­ok se opõe for­te­men­te às ten­ta­ti­vas do go­ver­no de cri­ar uma bre­cha no sis­te­ma por­que eles pre­ju­di­ca­ri­am a pri­va­ci­da­de e a se­gu­ran­ça das pes­so­as em to­dos os lu­ga­res”, dis­se a com­pa­nhia em co­mu­ni­ca­do.

Mo­e­da di­gi­tal. O go­ver­no ame­ri­ca­no tam­bém quer que Mark Zuc­ker­berg, pre­si­den­te exe­cu­ti­vo do Fa­ce­bo­ok, tes­te­mu­nhe em um co­mi­tê da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos dos EUA em 29 de ou­tu­bro so­bre o pla­no da em­pre­sa de cri­ar uma mo­e­da di­gi­tal, a li­bra. Os pla­nos do co­mi­tê fo­ram re­ve­la­dos pe­la pri­mei­ra vez no si­te The In­for­ma­ti­on.

O co­mi­tê dis­se que não agen­da­rá a au­di­ên­cia até Mark Zuc­ker­berg se com­pro­me­ter a com­pa­re­cer até ja­nei­ro. En­quan­to is­so, a di­re­to­ra de ope­ra­ções do Fa­ce­bo­ok, Sheryl Sand­berg, con­cor­dou em tes­te­mu­nhar.

“Os pla­nos do Fa­ce­bo­ok le­van­tam sé­ri­as pre­o­cu­pa­ções so­bre pri­va­ci­da­de, co­mér­cio, se­gu­ran­ça na­ci­o­nal e po­lí­ti­ca mo­ne­tá­ria, não ape­nas pa­ra mais de 2 bi­lhões de usuá­ri­os que te­rão aces­so ime­di­a­to a es­ses pro­du­tos,

mas tam­bém pa­ra con­su­mi­do­res, in­ves­ti­do­res e a eco­no­mia glo­bal”, dis­se a pre­si­den­te do co­mi­tê, Ma­xi­ne Wa­ters, em uma au­di­ên­cia so­bre a li­bra em ju­lho des­te ano.

A pre­o­cu­pa­ção re­gu­la­tó­ria tem afe­ta­do a li­bra: on­tem, o PayPal anun­ci­ou que es­tá dei­xan­do a Li­bra As­so­ci­a­ti­on, gru­po de em­pre­sas que se com­pro­me­teu a aju­dar o Fa­ce­bo­ok a cri­ar a mo­e­da.

Re­gu­la­ção

“Os pla­nos do Fa­ce­bo­ok le­van­tam sé­ri­as pre­o­cu­pa­ções so­bre pri­va­ci­da­de, co­mér­cio, se­gu­ran­ça na­ci­o­nal e po­lí­ti­ca mo­ne­tá­ria pa­ra a eco­no­mia glo­bal.”

Ma­xi­ne Wa­ters

PRE­SI­DEN­TE DO CO­MI­TÊ DE SER­VI­ÇOS

FI­NAN­CEI­ROS DA C­MA­RA DOS EUA

LE­AH MILLIS/REU­TERS-10/4/2018

Na mi­ra. Mark Zuc­ker­berg foi con­vo­ca­do pa­ra tes­te­mu­nhar so­bre a mo­e­da di­gi­tal li­bra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.