Mi­nas. Bru­no é bem re­cep­ci­o­na­do em Po­ços

Após ser li­be­ra­do pe­la Jus­ti­ça pa­ra tra­ba­lhar (cum­pre 20 anos por as­sas­si­na­to), jo­ga­dor agra­de­ce chan­ce

O Estado de S. Paulo - - Esportes - Pa­trí­cia Ren­nó

Em cli­ma de oti­mis­mo e re­cep­ti­vi­da­de, o go­lei­ro Bru­no foi apre­sen­ta­do on­tem co­mo atle­ta do Po­ços de Cal­das. Acom­pa­nha­do da fi­lha Isa­be­la, de um ano, da mu­lher In­grid e de sua ad­vo­ga­da, o jo­ga­dor afir­mou que es­tá com “mo­ti­va­ção to­tal” pa­ra dar con­ti­nui­da­de à car­rei­ra. “Me sin­to li­son­je­a­do. A mo­ti­va­ção vem da opor­tu­ni­da­de de po­der re­tor­nar ao fu­te­bol. É o que sei fa­zer, é o dom que Deus me deu. Es­tou com mo­ti­va­ção to­tal, von­ta­de de crescer”, dis­se.

É a pri­mei­ra vez que Bru­no pô­de sair da ci­da­de de Var­gi­nha (MG) des­de que foi preso. Cum­pre pe­na de 20 anos pe­lo as­sas­si­na­to de Eli­za Sa­mu­dio. Foi au­to­ri­za­do pe­la Jus­ti­ça de Mi­nas a dei­xar a pri­são e re­tor­nar até as 21h. Bru­no foi anun­ci­a­do co­mo re­for­ço do Po­ços em agos­to, após ser li­be­ra­do pe­la Jus­ti­ça pa­ra tra­ba­lhar. Ele dis­se que tem si­do bem acei­to por on­de pas­sa, ape­sar de tam­bém ouvir crí­ti­cas dos que não con­cor­dam com o seu re­tor­no ao fu­te­bol.

“A par­tir do mo­men­to em que as pes­so­as pas­sa­rem a co­nhe­cer o Bru­no, o ser hu­ma­no, te­nho cer­te­za que vai mu­dar a opinião. Vou ter a chan­ce de mos­trar es­se no­vo eu”, dis­se.

Bru­no receberá sa­lá­rio de R$ 10 mil, com con­tra­to até ja­nei­ro de 2020 e ob­je­ti­vos de es­ten­der o pra­zo. “Fu­te­bol é co­mo an­dar de bi­ci­cle­ta, qu­an­do se apren­de ja­mais se es­que­ce. Vou ter o tem­po ne­ces­sá­rio pa­ra en­trar em for­ma. Te­nho cer­te­za que, com aju­da dos co­le­gas, vou con­quis­tar os meus ob­je­ti­vos.”

So­bre o re­co­me­ço, o go­lei­ro diz que é de­sa­fi­a­dor e que quer ser o mes­mo go­lei­ro que atu­ou em Fla­men­go e Co­rinthi­ans e que es­tá con­fi­an­te pa­ra re­sol­ver as ques­tões ju­rí­di­cas pa­ra con­ti­nu­ar a tra­ba­lhar no fu­te­bol. “Tem jo­ga­dor que atua até os 41 anos. Es­tou com 34. A po­si­ção de go­lei­ro aju­da e pre­ten­do jo­gar por anos. Apos­ta­mos na ques­tão ju­rí­di­ca e tal­vez eu me mu­de pa­ra Po­ços em ja­nei­ro.”

O téc­ni­co Pau­li­nho Ce­a­rá dis­se ao Es­ta­do que a con­tra­ta­ção de Bru­no cau­sou um cer­to “im­pac­to” no elen­co e na po­pu­la­ção da ci­da­de, mas que con­ver­sou an­tes com os atle­tas pa­ra que pu­des­sem re­cep­ci­o­ná-lo.

O Po­ços es­ta­va de­sa­ti­va­do des­de 2018 e foi ad­qui­ri­do pe­lo em­pre­sá­rio da área de eletroelet­rônicos Pau­lo Cé­sar da Sil­va. Fo­ram in­ves­ti­dos R$ 380 mil pa­ra pa­gar dí­vi­das. Em 2020, de­ve atu­ar na segunda di­vi­são.

DOU­GLAS MAG­NO /AFP

Bru­no. Go­lei­ro joga pe­lo Po­ços de Cal­da, de Mi­nas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.