‘São Pau­lo não po­de in­cen­ti­var a gu­er­ra fis­cal’

Se­cre­tá­ria diz que Es­ta­do es­tá trabalhand­o na cri­a­ção de um am­bi­en­te de ne­gó­ci­os fa­vo­rá­vel pa­ra atrair in­ves­ti­men­tos

O Estado de S. Paulo - - Economia - Pa­trí­cia El­len da Silva, se­cre­tá­ria de De­sen­vol­vi­men­to Econô­mi­co do Es­ta­do de São Pau­lo Márcia De Chi­a­ra

A se­cre­tá­ria de De­sen­vol­vi­men­to Econô­mi­co do Es­ta­do de São Pau­lo, Pa­trí­cia El­len da Silva, é con­tra o uso da gu­er­ra fis­cal pa­ra atrair in­ves­ti­men­tos. Ela diz que sua pas­ta vem atu­an­do na cri­a­ção de um am­bi­en­te de ne­gó­ci­os mais fa­vo­rá­vel pa­ra atrair os in­ves­ti­do­res.

O pon­to al­to des­sa es­tra­té­gia, diz ela, foi o re­co­nhe­ci­men­to da vo­ca­ção de 12 po­los re­gi­o­nais de pro­du­ção já exis­ten­tes no Es­ta­do. A se­cre­tá­ria con­ta que os re­sul­ta­dos já apa­re­cem no vo­lu­me de in­ves­ti­men­tos e no PIB de São Pau­lo.

Ape­sar dos re­sul­ta­dos fa­vo­rá­veis, o Es­ta­do foi mui­to afe­ta­do pe­los cor­tes de re­cur­sos do go­ver­no fe­de­ral nas áre­as de ci­ên­cia e tec­no­lo­gia. A al­ter­na­ti­va foi bus­car um mo­de­lo de cap­ta­ção pri­va­da pa­ra com­ple­men­tar os re­cur­sos.

O que es­tá sen­do feito pa­ra atrair in­ves­ti­men­tos pa­ra o Es­ta­do de São Pau­lo no mo­men­to em que a eco­no­mia pa­ti­na?

Por mais que a gen­te es­te­ja sain­do de uma cri­se econô­mi­ca, sa­be­mos que o in­ves­ti­dor es­tá sem­pre pro­cu­ran­do opor­tu­ni­da­des. Se for pen­sar no ce­ná­rio in­ter­na­ci­o­nal, o nos­so de­sa­fio não é aces­so a re­cur­sos, mas sim bons pro­je­tos. Gran­de parte da es­sên­cia do tra­ba­lho no Es­ta­do de São Pau­lo é mos­trar o pro­fis­si­o­na­lis­mo da ges­tão, o po­ten­ci­al de in­ves­ti­men­to no Es­ta­do e or­ga­ni­zar mui­to bem es­sa es­tra­té­gia. Te­mos, por um la­do, o port­fó­lio nos­so de in­ves­ti­men­tos, PPPs (par­ce­ri­as pú­bli­co/pri­va­das) e con­ces­sões. Por ou­tro, a atra­ção de in­ves­ti­men­to pri­va­do pa­ra a re­gião. For­ta­le­ce­mos a nos­sa atu­a­ção in­ter­na­ci­o­nal, em bus­ca de aces­sar o capital es­tran­gei­ro. No de­sen­vol­vi­men­to econô­mi­co, atu­a­mos em três pi­la­res: au­men­tar o in­ves­ti­men­to no Es­ta­do, fo­men­tar ci­ên­cia, tec­no­lo­gia e ino­va­ção, fun­da­men­tais pa­ra a me­lho­ria da pro­du­ti­vi­da­de, e co­nec­tar o Es­ta­do às ca­dei­as pro­du­ti­vas glo­bais, qua­li­fi­car pro­fis­si­o­nais

Por que a qua­li­fi­ca­ção é im­por­tan­te?

Dos 461 mil em­pre­gos ge­ra­dos de ja­nei­ro a ju­lho no Brasil, 37% fo­ram ocu­pa­dos por qua­li­fi­ca­ção. Te­mos va­gas oci­o­sas por fal­ta de qua­li­fi­ca­ção. Es­ta­mos fa­zen­do um esforço de for­mar es­sa mão de obra em fun­ção das de­man­das lo­cais pa­ra que eles pos­sam ter uma chan­ce mai­or de em­pre­ga­bi­li­da­de e que os in­ves­ti­do­res te­nham mais pro­du­ti­vi­da­de.

Há re­sul­ta­dos con­cre­tos?

A pro­je­ção de cres­ci­men­to do

PIB pa­ra o País em 2019 é de 0,81% e pa­ra São Pau­lo, de 1,3%. São Pau­lo ge­ral­men­te tem um de­sem­pe­nho aci­ma do PIB na­ci­o­nal. Mas es­ta­mos com mais de 50% aci­ma do na­ci­o­nal, deu uma des­co­la­da. A Pes­qui­sa de In­ves­ti­men­tos do Es­ta­do de São Pau­lo mos­tra que o to­tal de in­ves­ti­men­to anun­ci­a­do no Es­ta­do tam­bém des­co­lou: fo­ram qua­se R$ 75 bi­lhões em 12 me­ses até o pri­mei­ro tri­mes­tre. Es­ta­mos aci­ma do his­tó­ri­co. O cres­ci­men­to foi de R$ 20 bi­lhões em um tri­mes­tre, do quar­to tri­mes­tre de 2018 pa­ra o pi­mei­ro de 2019. O mai­or des­co­la­men­to em três anos.

A que a sra. atri­bui a al­ta?

A nos­sa mai­or po­lí­ti­ca de de­sen­vol­vi­men­to econô­mi­co foi a cri­a­ção de 12 po­los de de­sen­vol­vi­men­to. Na ver­da­de não cri­a­mos, re­co­nhe­ce­mos se­to­res de mai­or con­cen­tra­ção que já te­mos ho­je no nos­so Es­ta­do.

Qual a im­por­tân­cia dos po­los? To­do mun­do que pen­sa no clus­ter mé­di­co nos Es­ta­dos Uni­dos sa­be que ele es­tá na re­gião de Bos­ton, por exem­plo. Vo­cê sa­be a vo­ca­ção da re­gião. As coisas não acon­te­cem de for­ma to­tal­men­te ale­a­tó­ria, exis­te um in­cen­ti­vo di­re­to.

A gu­er­ra fis­cal é um me­ca­nis­mo su­pe­ra­do pa­ra atrair in­ves­ti­men­to?

In­cen­ti­var a gu­er­ra fis­cal é mui­to no­ci­vo e São Pau­lo não po­de fa­zer isso. A re­for­ma tri­bu­tá­ria vem num mo­men­to mui­to im­por­tan­te. No mé­dio e lon­go prazos, va­mos ter uma pa­dro­ni­za­ção dos tri­bu­tos e a gu­er­ra fis­cal ten­de a aca­bar. No cur­to pra­zo, é pre­ci­so fa­zer um tra­ba­lho. Exis­tem in­cen­ti­vos pa­ra re­giões es­pe­cí­fi­cas, mas, na me­di­da do pos­sí­vel, eles têm de ser ca­da vez me­nos fo­ca­dos na em­pre­sa. Têm de ser políticas mais trans­ver­sais.

Co­mo é o re­la­ci­o­na­men­to com o go­ver­no fe­de­ral?

Ho­je te­mos obs­tá­cu­los or­ça­men­tá­ri­os sig­ni­fi­ca­ti­vos. Na mi­nha pas­ta, o que pos­so di­zer é que es­se tem si­do um pon­to im­por­tan­te. São Pau­lo te­ve um im­pac­to gran­de dos cor­tes de ci­ên­cia e tec­no­lo­gia, as bol­sas, e isso es­tá sen­do re­de­fi­ni­do ago­ra. Mas o Es­ta­do de São Pau­lo não re­ti­rou ne­nhum re­al do in­ves­ti­men­to em ci­ên­cia e tec­no­lo­gia. O que é re­cur­so nos­so, não só man­ti­ve­mos co­mo es­ta­mos trabalhand­o um mo­de­lo de cap­ta­ção pri­va­da pa­ra com­ple­men­tar o nos­so re­cur­so com in­ves­ti­men­tos pri­va­dos in­ter­na­ci­o­nais. As mis­sões in­ter­na­ci­o­nais têm si­do mui­to im­por­tan­tes até pa­ra atrair in­ves­ti­men­tos pa­ra as PPPs e con­ces­sões. São Pau­lo é um Es­ta­do gran­de e ti­ve­mos im­pac­to na pes­qui­sa. Em ge­ral, o nos­so dia a dia com o Mi­nis­té­rio da Eco­no­mia tem si­do mui­to bom, atu­a­mos di­re­ta­men­te com al­gu­mas se­cre­ta­ri­as es­pe­ci­ais. Es­ta­mos con­se­guin­do in­ter­lo­cu­ção. Va­mos ver quan­to con­se­gui­mos de ver­ba fe­de­ral pa­ra fi­nan­ci­a­men­to e co­fi­nan­ci­a­men­to de nos­sos pro­je­tos, des­de pro­gra­mas de mi­cro­cré­di­to, de in­fra­es­tru­tu­ra em di­ver­sas pas­tas. Es­ta­mos es­pe­ran­do o des­do­bra­men­to nos pró­xi­mos me­ses.

TA­BA BENEDICTO / ESTADÃO

Fo­co. Não ti­ra­mos um re­al de ci­ên­cia e tec­no­lo­gia, diz Pa­trí­cia

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.