BMG de­ve le­van­tar R$ 2,17 bi­lhões em sua ofer­ta de ações

O Estado de S. Paulo - - Economia - F.G

O ban­co BMG, da fa­mí­lia Pen­tag­na Gui­ma­rães, po­de­rá le­van­tar até R$ 2,17 bi­lhões em sua ofer­ta ini­ci­al de ações, ca­so ha­ja de­man­da pa­ra o lo­te su­ple­men­tar e adi­ci­o­nal e no preço da ação no te­to da fai­xa in­di­ca­ti­va, que vai de R$ 11,60 e R$ 13,40, de acor­do com o pros­pec­to, que aca­ba de ser atu­a­li­za­do, co­mo an­te­ci­pou a ‘Coluna do Bro­ad­cast’. O aci­o­nis­ta ven­de­dor é Flá­vio Pen­tag­na Gui­ma­rães.

Se hou­ver de­man­da, o lo­te prin­ci­pal po­de­rá ser acres­ci­do em até 20% do to­tal. O lo­te su­ple­men­tar po­de­rá con­tar com até 15% do prin­ci­pal. Se con­si­de­ra­do ape­nas o lo­te prin­ci­pal e a ação no cen­tro da fai­xa in­di­ca­ti­va, em R$ 12,50, o IPO deverá mo­vi­men­tar R$ 1,499 bi­lhão. Des­se mon­tan­te, R$ 1,29 bi­lhão é da ofer­ta pri­má­ria, ou se­ja, que vai di­re­ta­men­te pa­ra o cai­xa da com­pa­nhia.

Es­sa é se­gun­da ten­ta­ti­va de aber­tu­ra de capital do BMG, que aca­bou vol­tan­do atrás em de­zem­bro do ano pas­sa­do, de­pois de en­con­trar re­sis­tên­cia em re­la­ção ao preço pa­ra o IPO. Des­sa vez, a com­pa­nhia pa­re­ce ter con­ven­ci­do os in­ves­ti­do­res. A ofer­ta, já sai, segundo fon­tes, com in­ves­ti­do­res an­co­ran­do a emis­são./

ao Brasil. A in­dús­tria de fun­dos de in­ves­ti­men­to acu­mu­la cap­ta­ção lí­qui­da de R$ 205,7 bi­lhões em 2019 até se­tem­bro, de acor­do com dados da As­so­ci­a­ção Bra­si­lei­ra das En­ti­da­des dos Mer­ca­dos Fi­nan­cei­ro e de Ca­pi­tais (An­bi­ma). Com isso, os ges­to­res se­guem em bus­ca de opor­tu­ni­da­des no mer­ca­do, ana­li­san­do com aten­ção as ofer­tas de ações.

Po­ten­ci­al bi­li­o­ná­rio. O vo­lu­me das ofer­tas nes­te ano po­de su­pe­rar já nes­te mês os R$ 70 bi­lhões, o mes­mo va­lor atin­gi­do em 2007, ano de ou­ro do mer­ca­do de ca­pi­tais no Brasil. Em 2010 o vo­lu­me foi su­pe­ri­or ao de 2007, mas con­tou com a me­ga­ca­pi­ta­li­za­ção da Pe­tro­brás, de mais de R$ 120 bi­lhões, o que dis­tor­ceu o da­do.

As ofer­tas em se­tem­bro já co­me­ça­ram a mos­trar uma ten­dên­cia que tam­bém se­rá ob­ser­va­da em al­gu­mas ofer­tas em ou­tu­bro. Ape­sar da ope­ra­ção do BB ser ex­clu­si­va­men­te se­cun­dá­ria, com a Cai­xa Econô­mi­ca Fe­de­ral ven­den­do su­as ações, além de pa­péis de­ti­dos na pró­pria Te­sou­ra­ria do BB, as ou­tras ofer­tas con­ta­rão com a pre­sen­ça do com­po­nen­te pri­má­rio, com re­cur­sos sen­do des­ti­na­dos ao cai­xa das em­pre­sas e sen­do di­re­ci­o­na­dos pa­ra in­ves­ti­men­tos.

Além do IPO da Vi­va­ra, cu­ja ação te­rá o va­lor de­fi­ni­do no iní­cio des­ta se­ma­na, a agen­da de ou­tu­bro ain­da con­ta com a es­treia da C&A e do BMG na B3.

A Iguá Sa­ne­a­men­to, que tam­bém pro­to­co­lou seu pedido de ofer­ta na Comissão de Valores Mo­bi­liá­ri­os (CVM), de­ve pos­ter­gar sua ope­ra­ção, da­do que não che­gou a um en­ten­di­men­to com os in­ves­ti­do­res sobre o preço da com­pa­nhia pa­ra o IPO.

JF DIORIO/ESTADÃO - 5/11/2010

Con­su­mo. Vi­va­ra e C&A es­tão en­tre em­pre­sas que de­vem es­tre­ar na B3 es­te mês

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.