Eli­a­ne Can­ta­nhê­de

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - E-MAIL: ELI­A­[email protected]­TA­DAO.COM TWIT­TER: @ECANTANHED­E ELI­A­NE CAN­TA­NHÊ­DE ESCREVE ÀS TERÇAS E SEXTAS-FEIRAS E AOS DOMINGOS

De­mis­sões, per­se­gui­ções, cen­su­ra e cor­tes de re­cur­sos fa­zem par­te da guer­ra do go­ver­no Jair Bol­so­na­ro con­tra a cul­tu­ra.

Quan­do sur­giu a no­tí­cia de que o Ministério da Ci­da­da­nia ha­via de­mi­ti­do 19 fun­ci­o­ná­ri­os do Cen­tro de Ar­tes Cê­ni­cas da Fu­nar­te, a pri­mei­ra reação foi de aplau­so. Afi­nal, o go­ver­no afas­ta­va o di­re­tor Ro­ber­to Al­vim, que, en­tre ou­tras bar­ba­ri­da­des, ofen­deu Fer­nan­da Mon­te­ne­gro co­mo “men­ti­ro­sa” e “sór­di­da”. Le­do en­ga­no. Era bom de­mais pa­ra ser ver­da­de.

Lo­go fi­cou cla­ro o con­trá­rio: fo­ram de­mi­ti­dos os co­or­de­na­do­res, ge­ren­tes e sub­ge­ren­tes, me­nos... o che­fe Al­vim! Ou se­ja, o go­ver­no “lim­pou a área” pa­ra Al­vim fa­zer o que bem en­ten­der.

Es­se é ape­nas mais um ca­pí­tu­lo da no­va guer­ra ide­o­ló­gi­ca do go­ver­no Jair Bol­so­na­ro, com o mun­do to­do já es­pan­ta­do com sua vi­são e su­as de­cla­ra­ções so­bre meio am­bi­en­te – aliás, o te­ma central do Sí­no­do que ocor­re nes­te mo­men­to no Va­ti­ca­no, sob a li­de­ran­ça do pa­pa Fran­cis­co.

É enor­me o es­tra­go à ima­gem do Bra­sil no ex­te­ri­or, por des­ma­ta­men­to, quei­ma­das e, ago­ra, a gra­vís­si­ma man­cha de óleo nas prai­as de to­do o Nor­des­te, mas prin­ci­pal­men­te pe­la no­va po­lí­ti­ca pa­ra o se­tor. Ain­da en­fren­tan­do es­sa fren­te, o go­ver­no já apro­fun­da os ata­ques, in­ves­ti­das e in­ge­rên­ci­as na área da cul­tu­ra, on­de ha­bi­tam ve­lhos fan­tas­mas do bol­so­na­ris­mo, em­bo­la­dos no tal “mar­xis­mo cul­tu­ral”.

A ex­pres­são, sem­pre pre­sen­te nos es­cri­tos e nas fa­las do chan­ce­ler Er­nes­to Araú­jo, é tam­bém fre­quen­te no mun­do e nas fan­ta­si­as do di­re­tor Ro­ber­to Al­vim, que tam­bém vê ini­mi­gos es­quer­dis­tas e pe­ri­go­sos por to­da a par­te, pron­tos a im­plo­dir a “cul­tu­ra ju­dai­co­cris­tã do Oci­den­te”.

Al­vim, que quer trans­for­mar o Te­a­tro Glau­ce Ro­cha em “te­a­tro evan­gé­li­co”, se­ja lá o que is­so se­ja, tam­bém já vi­nha con­cla­man­do “pro­fis­si­o­nais con­ser­va­do­res” a in­te­gra­rem uma “má­qui­na de guer­ra cul­tu­ral” na Fu­nar­te. Ai, que me­do! Ima­gi­nem só o que vai vi­rar o Cen­tro de Ar­tes Cê­ni­cas. Um amon­to­a­do de crí­ti­cos à nos­sa pro­du­ção cul­tu­ral, nos­sos di­re­to­res, nos­sos ato­res.

A Fu­nar­te, po­rém, é só mais um dos al­vos do Pla­nal­to e do Ministério da Ci­da­da­nia, que en­go­liu o da Cul­tu­ra já na pos­se. A ar­ti­lha­ria con­tra a cul­tu­ra se ex­pan­de por to­das as áre­as do go­ver­no, até a fi­nan­cei­ra. No mes­mo dia do anún­cio das de­mis­sões na Fu­nar­te, veio a no­tí­cia de que a pro­du­ção cul­tu­ral da Cai­xa Econô­mi­ca Fe­de­ral ago­ra é su­jei­ta ao cri­vo ide­o­ló­gi­co da pre­si­dên­cia do ór­gão e da Se­com do Pla­nal­to.

Is­so re­me­te ao ve­to de Bol­so­na­ro a uma pe­ça pu­bli­ci­tá­ria do Banco do Bra­sil de­di­ca­da ao pú­bli­co jo­vem, por­que in­cluía a di­ver­si­da­de ra­ci­al e se­xu­al. Ou ao ata­que que ele fez à An­ci­ne, con­de­nan­do seus “fil­mes por­no­grá­fi­cos” e de­fen­den­do que de­ve­ri­am en­fo­car os “he­róis na­ci­o­nais” – leia-se, os he­róis do pró­prio Bol­so­na­ro, co­mo o co­ro­nel Bri­lhan­te Us­tra, far­ta­men­te apon­ta­do co­mo tor­tu­ra­dor?

Do ou­tro la­do, Chi­co Bu­ar­que, ex­ce­len­te es­cri­tor e íco­ne da mú­si­ca de vá­ri­as ge­ra­ções, além de não ser “he­rói”, é tra­ta­do co­mo ini­mi­go: a em­bai­xa­da bra­si­lei­ra em Mon­te­vi­déu aca­ba de sus­pen­der um do­cu­men­tá­rio so­bre o Chi­co. O Chi­co! É ina­cre­di­tá­vel, mas po­de acre­di­tar.

A reação já co­me­ça, com ma­ni­fes­ta­ções de apoio e a de­vi­da re­ve­rên­cia à di­va Fer­nan­da Mon­te­ne­gro e com de­ci­sões ju­di­ci­ais co­mo a de on­tem, da juí­za Lau­ra Bas­tos de Car­va­lho, da 11.ª Va­ra do Rio, que sus­pen­deu por li­mi­nar uma por­ta­ria do Ministério da Ci­da­da­nia so­bre pro­je­tos da An­ci­ne pa­ra TVs pú­bli­cas.

A juí­za aten­deu a um pe­di­do do Ministério Pú­bli­co, que apon­tou na por­ta­ria, além de pre­juí­zo ao erá­rio, “inequí­vo­ca dis­cri­mi­na­ção por ori­en­ta­ção se­xu­al e iden­ti­da­de de gê­ne­ro”. O STF, di­ga-se, aca­ba de cri­mi­na­li­zar a ho­mo­fo­bia.

De­mis­sões, per­se­gui­ções e cen­su­ra, além de as­fi­xia fi­nan­cei­ra da cul­tu­ra... Is­so, sim, é mui­to “sór­di­do”.

Após es­tra­go no meio am­bi­en­te, me­tra­lha­do­ra ide­o­ló­gi­ca mi­ra a cul­tu­ra

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.