PF fez ‘ação con­tro­la­da’ pa­ra apu­rar ca­so hac­ker

In­ves­ti­ga­ção co­me­çou uma ho­ra após Mo­ro ter o ce­lu­lar in­va­di­do, mos­tram do­cu­men­tos

O Estado de S. Paulo - - Política - Pa­trik Cam­po­rez Bre­no Pi­res / BRASÍLIA

A in­ves­ti­ga­ção so­bre o gru­po sus­pei­to de hac­ke­ar au­to­ri­da­des do País – e que le­vou à pri­são de seis pes­so­as até ago­ra na Ope­ra­ção Spo­o­fing – co­me­çou uma ho­ra após a in­va­são do apa­re­lho ce­lu­lar do mi­nis­tro da Jus­ti­ça, Sér­gio Mo­ro. Se­gun­do do­cu­men­tos a que o Es­ta­do te­ve aces­so, às 18h45 do dia 4 de ju­nho foi re­a­li­za­da uma reu­nião de emer­gên­cia na se­de do Ministério da Jus­ti­ça, em Brasília, pa­ra tra­tar do ca­so. Mo­ro per­ce­beu que sua con­ta no apli­ca­ti­vo de tro­ca de men­sa­gens Te­le­gram ha­via si­do in­va­di­da por vol­ta das 17h40 da­que­le dia.

Re­la­tó­ri­os e pe­rí­ci­as mos­tram a mo­vi­men­ta­ção da Po­lí­cia Fe­de­ral e do se­tor de in­te­li­gên­cia do Ministério da Jus­ti­ça no ca­so. De acor­do com es­ses do­cu­men­tos, a in­ves­ti­ga­ção foi ofi­ci­al­men­te aber­ta no pró­prio ga­bi­ne­te do mi­nis­tro, on­de ele es­ta­va quan­do de­tec­tou o ata­que hac­ker. Mo­ro ha­via aca­ba­do de che­gar de uma reu­nião com ou­tros mi­nis­tros no Pa­lá­cio do Pla­nal­to.

Ain­da se­gun­do os do­cu­men­tos, às 19h07 do dia 4 de ju­nho, as equi­pes de in­te­li­gên­cia da PF e da área de Tec­no­lo­gia da In­for­ma­ção do Ministério da Jus­ti­ça to­ma­ram uma pri­mei­ra pro­vi­dên­cia: man­ter con­ta­to com o hac­ker por meio do Te­le­gram.

Foi, con­for­me re­la­tó­ri­os, uma es­pé­cie de “ação con­tro­la­da”, re­a­li­za­da do ga­bi­ne­te do mi­nis­tro. A de­ci­são foi to­ma­da por­que, du­ran­te a reu­nião de emer­gên­cia no Ministério da Jus­ti­ça, o di­re­tor de Tec­no­lo­gia da In­for­ma­ção da pas­ta, Ro­dri­go Lan­ge, e a che­fe de ga­bi­ne­te do ministério, Flá­via Blan­co, no­ta­ram que o nú­me­ro do ce­lu­lar de Mo­ro apa­re­cia com o sta­tus “on­li­ne” no Te­le­gram. Eles de­du­zi­ram, por­tan­to, que o hac­ker já es­ta­va uti­li­zan­do o apli­ca­ti­vo de men­sa­gens se pas­san­do por Mo­ro.

Com o hac­ker “ati­vo”, a es­tra­té­gia dos in­ves­ti­ga­do­res foi ten­tar iden­ti­fi­car seu IP (a “iden­ti­da­de” do com­pu­ta­dor usa­do por ele) e, as­sim, lo­ca­li­zá-lo. Lan­ge en­vi­ou ao nú­me­ro de Mo­ro, via Te­le­gram, um link que di­re­ci­o­na­va pa­ra o si­te do Ministério da Jus­ti­ça. A in­ten­ção era fa­zer o hac­ker aces­sar o link, o que po­de­ria aju­dar a iden­ti­fi­car o IP. A ten­ta­ti­va não te­ve su­ces­so.

Iden­ti­fi­ca­ção. De­pois de al­guns mi­nu­tos, Flá­via Blan­co ten­tou con­ta­to com o hac­ker e en­ca­mi­nhou, no­va­men­te, um link di­re­ci­o­na­do pa­ra o si­te do ministério. Des­ta vez, no ser­vi­dor da pas­ta, foi iden­ti­fi­ca­do um en­de­re­ço de IP con­si­de­ra­do atí­pi­co, da Rús­sia.

Num se­gun­do mo­men­to, ain­da du­ran­te a reu­nião, a equi­pe do ministério pro­vi­den­ci­ou um no­vo ce­lu­lar pa­ra Mo­ro reins­ta­lar o apli­ca­ti­vo Te­le­gram. No en­tan­to, o in­va­sor já ti­nha fei­to o “du­plo fa­tor de iden­ti­fi­ca­ção”, um dis­po­si­ti­vo de se­gu­ran­ça que im­pos­si­bi­li­ta qual­quer al­te­ra­ção des­se ti­po.

A equi­pe do mi­nis­tro des­li­gou o apa­re­lho ce­lu­lar e re­ti­rou o chip. Mo­ro re­la­tou ao pe­ri­to cri­mi­nal Fa­brí­cio Dan­tas Bri­to que re­ce­beu três li­ga­ções “atí­pi­cas de um nú­me­ro da TIM”, mas que ape­nas a pri­mei­ra cha­ma­da foi aten­di­da. Dis­se ain­da que não fa­zia uso do Te­le­gram há mais de dois anos. Com as in­for­ma­ções, a PF pro­du­ziu o pri­mei­ro re­la­tó­rio de in­te­li­gên­cia so­bre o ca­so dos hac­kers.

A Ope­ra­ção Spo­o­fing já re­a­li­zou du­as fa­ses. Na pri­mei­ra, em ju­lho, fo­ram de­ti­das qua­tro pes­so­as, en­tre elas Wal­ter Del­gat­ti Ne­to. Ele ad­mi­tiu ser o res­pon­sá­vel pe­las in­va­sões e por cap­tu­rar men­sa­gens de au­to­ri­da­des.

MAR­CO SAN­TOS /AG. PA­RÁ - 7/10/2019

Hac­ker. Sér­gio Mo­ro aci­o­nou a PF lo­go após per­ce­ber que seu ce­lu­lar ha­via si­do in­va­di­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.