Pa­ra eco­no­mis­tas, mu­dar ‘RH do Es­ta­do’ é es­sen­ci­al

Ava­li­a­ção é a de que o sis­te­ma atu­al tem de ser al­te­ra­do pa­ra a qua­li­da­de dos ser­vi­ços pú­bli­cos me­lho­rar

O Estado de S. Paulo - - E & N - / J.F.

Na agen­da do go­ver­no, o no­vo pac­to fe­de­ra­ti­vo e a re­for­ma tri­bu­tá­ria pa­re­cem re­ce­ber uma aten­ção es­pe­ci­al. Mas, na vi­são de eco­no­mis­tas ou­vi­dos pe­lo Es­ta­do, a re­for­ma ad­mi­nis­tra­ti­va é que de­ve ser pri­vi­le­gi­a­da no mo­men­to.

“De­pois da Pre­vi­dên­cia, a re­for­ma ad­mi­nis­tra­ti­va é a mais im­por­tan­te”, diz a eco­no­mis­ta Ana Car­la Abrão, só­cia da Oli­ver Wy­man, em­pre­sa de con­sul­to­ria ame­ri­ca­na, e co­au­to­ra do es­tu­do Pa­no­ra­ma Bra­sil: Re­for­ma do RH do Es­ta­do, re­a­li­za­do em par­ce­ria com o tam­bém eco­no­mis­ta Ar­mi­nio Fra­ga, só­cio da Gá­vea In­ves­ti­men­tos e ex-pre­si­den­te do Banco Central, e Ari Sund­feld, ad­vo­ga­do es­pe­ci­a­li­za­do em Di­rei­to pú­bli­co e pro­fes­sor da Fun­da­ção Ge­tú­lio Vargas (FGV).

“Es­sa é uma dis­cus­são que pre­ci­sa ser fei­ta pa­ra on­tem”, afir­ma o eco­no­mis­ta Luís Edu­ar­do As­sis, pre­si­den­te da Fa­tor Se­gu­ros e ex-di­re­tor de Po­lí­ti­ca Mo­ne­tá­ria do Banco Central. “Ne­nhu­ma em­pre­sa pri­va­da con­se­gui­ria ter o mí­ni­mo de efi­ci­ên­cia se ti­ves­se de cum­prir as re­gras da ges­tão de pes­so­as do go­ver­no fe­de­ral: os sa­lá­ri­os ini­ci­ais são mui­to al­tos, qua­se não exis­te chan­ce de ado­tar a me­ri­to­cra­cia e é pra­ti­ca­men­te im­pos­sí­vel pe­na­li­zar as pes­so­as que não têm bom de­sem­pe­nho.”

De acor­do com Ana Car­la, a mai­or par­te da po­pu­la­ção de­pen­de do Es­ta­do pa­ra ter chan­ce de me­lho­rar de vi­da, mas a “má­qui­na” não en­tre­ga ser­vi­ços bá­si­cos de saú­de, edu­ca­ção e se­gu­ran­ça de boa qua­li­da­de. “A gen­te gas­ta ca­da vez mais, mas os ser­vi­ços pú­bli­cos não me­lho­ram”, diz. “É pre­ci­so rein­ven­tar es­sa má­qui­na, prin­ci­pal­men­te por uma ques­tão de jus­ti­ça so­ci­al, mas tam­bém por ques­tões de pro­du­ti­vi­da­de e fis­cais, por­que o gas­to de pes­so­al é o se­gun­do mai­or do go­ver­no, lo­go após a Pre­vi­dên­cia.”

Na ava­li­a­ção de As­sis, que cha­ma a pro­pos­ta de “a re­for­ma es­que­ci­da”, não tem sen­ti­do mu­dar a Pre­vi­dên­cia, que afe­ta to­da a po­pu­la­ção,

Fal­ta de ar­ti­cu­la­ção do go­ver­no e re­sis­tên­cia dos ser­vi­do­res de­vem di­fi­cul­tar a tra­mi­ta­ção da pro­pos­ta no Con­gres­so, ape­sar da ur­gên­cia apon­ta­da pe­los ana­lis­tas

e com­pri­mir os in­ves­ti­men­tos em in­fra­es­tru­tu­ra, pa­ra cum­prir a lei do te­to de gas­tos, sem dis­cu­tir o pro­ble­ma da fo­lha de pa­ga­men­to do fun­ci­o­na­lis­mo. “Co­mo 93% das des­pe­sas são obri­ga­tó­ri­as, aca­ba so­bran­do pa­ra o in­ves­ti­men­to, que é aqui­lo que po­de ser com­pri­mi­do, mas é o que de­ve­ria ser fo­men­ta­do.”

Ana Car­la dis­cor­da do pre­si­den­te da Câ­ma­ra, Ro­dri­go Maia, pa­ra quem os ser­vi­do­res atu­ais de­vem ser pou­pa­dos. “Não dá pa­ra fa­zer ome­le­te sem que­brar os ovos”, afir­ma. “É po­si­ti­vo cons­truir re­gras mais ra­ci­o­nais da­qui pa­ra a fren­te, mas não po­de dei­xar de en­fren­tar uma ques­tão que es­tá pre­sen­te e es­pe­rar 40 anos até os atu­ais ser­vi­do­res se apo­sen­ta­rem, pa­ra que o efei­to do no­vo re­gi­me se fa­ça sen­tir ple­na­men­te.”

Ela te­me a “con­ta­mi­na­ção” do no­vo sis­te­ma e diz, com ba­se em es­tu­do fei­to com o ad­vo­ga­do Jai­ro Sad­di, que o Ju­di­ciá­rio é “mui­to sus­ce­tí­vel” às cau­sas do fun­ci­o­na­lis­mo. “O Es­ta­do per­de to­das as cau­sas re­fe­ren­tes aos ser­vi­do­res nos tri­bu­nais su­pe­ri­o­res”, afir­ma.

As­sis pre­o­cu­pa-se com a re­sis­tên­cia do fun­ci­o­na­lis­mo, num qua­dro em que o go­ver­no tem “enor­mes di­fi­cul­da­des” de ar­ti­cu­la­ção no Con­gres­so. “A gen­te não po­de su­bes­ti­mar os obs­tá­cu­los”, diz. “O fun­ci­o­na­lis­mo é uma ca­te­go­ria bem ar­ti­cu­la­da e cer­ta­men­te vai re­sis­tir às mu­dan­ças, mas es­sa é uma ques­tão que tem de ser en­fren­ta­da ra­pi­da­men­te.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.