De olho nos pro­ble­mas

Em uma épo­ca de po­la­ri­za­ção e muitos de­sa­fi­os na so­ci­e­da­de, cur­sos des­ta área pro­cu­ram for­mar alu­nos ca­pa­zes de tra­ba­lhar em equi­pe com pro­fis­si­o­nais de ou­tros cam­pos pa­ra mu­dar a re­a­li­da­de

O Estado de S. Paulo - - Edu - / THAÍS FER­RAZ, ES­PE­CI­AL PA­RA O ES­TA­DO

Acon­tem­po­ra­nei­da­de traz uma sé­rie de de­sa­fi­os pa­ra a so­ci­e­da­de e, con­se­quen­te­men­te, pa­ra os pro­fis­si­o­nais que li­dam di­re­ta­men­te com ela. Por is­so, cur­sos de Hu­ma­nas bus­cam dar aos alu­nos uma for­ma­ção só­li­da, in­ter­dis­ci­pli­nar e co­nec­ta­da à re­a­li­da­de. Co­or­de­na­dor de Di­rei­to da Pon­ti­fí­cia Uni­ver­si­da­de Ca­tó­li­ca de São Pau­lo (PUC-SP), Vi­tor Andrade diz que a pro­cu­ra pe­lo cur­so cres­ceu nos úl­ti­mos anos. “Per­ce­be­mos que os alu­nos que­rem en­ten­der um pou­co mais a so­ci­e­da­de, os mo­de­los de go­ver­nan­ça, e nos pa­re­ce que o cur­so de Di­rei­to tem se­gui­do es­se ca­mi­nho.” A área atrai per­fis va­ri­a­dos. “Te­mos alu­nos com in­cli­na­ção pa­ra ati­vi­da­de pú­bli­ca, em­pre­sa­ri­al, ad­vo­ca­cia de es­cri­tó­rio, com po­si­ci­o­na­men­tos po­lí­ti­cos mais ou me­nos for­tes, com veia econô­mi­ca ou que que­rem tra­ba­lhar com o ter­cei­ro se­tor. Em co­mum, são in­te­res­sa­dos em pro­mo­ver mu­dan­ça re­le­van­te pa­ra o País a par­tir do co­nhe­ci­men­to.”

O cur­so de Ar­qui­te­tu­ra da Fun­da­ção Armando Al­va­res Pen­te­a­do (Fa­ap) tam­bém in­ves­te na co­ne­xão en­tre te­o­ria e re­a­li­da­de. Des­de o pri­mei­ro ano, os alu­nos têm ex­pe­ri­ên­ci­as na ci­da­de, de­sen­vol­ven­do pro­je­tos pa­ra áre­as co­mo a Pra­ça do Ar­co, na Con­so­la­ção, e o Mi­nho­cão, em San­ta Ce­cí­lia. “Es­tu­dos apon­tam que os gran­des cen­tros são ca­da vez mais ten­dên­cia”, afir­ma o co­or­de­na­dor do cur­so, Mar­cos Costa. “Ex­plo­rar a ci­da­de de São Pau­lo é uma opor­tu­ni­da­de úni­ca pa­ra se apren­der ar­qui­te­tu­ra.” O pro­fes­sor des­ta­ca ain­da a im­por­tân­cia da in­ter­dis­ci­pli­na­ri­da­de. “O ar­qui­te­to vai in­te­ra­gir com di­ver­sos ato­res, co­mo en­ge­nhei­ros, po­lí­ti­cos e em­pre­sas”, diz. “É fun­da­men­tal que te­nha co­nhe­ci­men­to de ou­tras áre­as e sen­so crí­ti­co.”

O co­or­de­na­dor do cur­so de Ad­mi­nis­tra­ção do Ins­per, Gui­lher­me Mar­tins, con­cor­da so­bre a im­por­tân­cia de se tra­ba­lhar com os pro­ble­mas da so­ci­e­da­de. “No pri­mei­ro se­mes­tre, to­dos os cur­sos jun­tos, En­ge­nha­ria, Ad­mi­nis­tra­ção e Economia, re­ce­bem um te­ma de tra­ba­lho, co­mo por exem­plo ‘ven­de­do­res am­bu­lan­tes’. Aí, pre­ci­sam apren­der a iden­ti­fi­car o pro­ble­ma, por que ele exis­te e co­mo po­de ser so­lu­ci­o­na­do.” Se­gun­do o pro­fes­sor, a área de mé­tri­cas es­tá em al­ta em ges­tão, mas os da­dos não fa­lam por si. “O ad­mi­nis­tra­dor pre­ci­sa in­ter­pre­tar, en­ten­der e cru­zar in­for­ma­ções.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.