Ca­sa Bran­ca proí­be em­bai­xa­dor de de­por

De­mo­cra­tas pre­ten­dem obri­gar Gor­don Son­dland a fa­lar com in­ves­ti­ga­do­res pa­ra im­pe­a­ch­ment so­bre con­ta­tos com Ucrâ­nia

O Estado de S. Paulo - - Internacio­nal -

A Ca­sa Bran­ca proi­biu que Gor­don Son­dland, em­bai­xa­dor dos EUA na União Eu­ro­peia, com­pa­re­ces­se on­tem a um de­poi­men­to no Con­gres­so. Os de­mo­cra­tas, po­rém, que têm mai­o­ria na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, pro­me­te­ram in­ti­mar Son­dland a pres­tar es­cla­re­ci­men­to no inqué­ri­to so­bre o im­pe­a­ch­ment do pre­si­den­te Do­nald Trump.

O di­plo­ma­ta, que do­ou US$ 1 mi­lhão pa­ra o co­mi­tê que or­ga­ni­zou a pos­se de Trump, de­ve­ria se reu­nir a por­tas fe­cha­das com de­pu­ta­dos. Seu advogado, Ro­bert Lus­kin, dis­se que Son­dland es­tá “pro­fun­da­men­te de­sa­pon­ta­do por ser im­pe­di­do de tes­te­mu­nhar”. “Ele re­al­men­te acre­di­ta que agiu, a to­do mo­men­to, de acor­do com os me­lho­res in­te­res­ses dos EUA.”

O che­fe da Co­mis­são de In­te­li­gên­cia da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, o de­mo­cra­ta Adam Schiff, afir­mou que a ini­ci­a­ti­va de blo­que­ar o de­poi­men­to “é mais uma ten­ta­ti­va da Ca­sa Bran­ca de obs­truir” as in­ves­ti­ga­ções do Con­gres­so – a ma­no­bra de­ve ser in­cluí­da no re­la­tó­rio so­bre im­pe­a­ch­ment que se­rá even­tu­al­men­te vo­ta­do em ple­ná­rio.

Son­dland era o contato do go­ver­no

ame­ri­ca­no com o ucra­ni­a­no e tes­te­mu­nha-cha­ve no inqué­ri­to so­bre a pres­são de Trump pa­ra que o pre­si­den­te da Ucrâ­nia, Vo­lod­mir Ze­lens­ki, in­ves­ti­gas­se Joe Bi­den, seu mai­or ri­val na elei­ção de 2020.

Em­bo­ra a Ucrâ­nia não es­te­ja na UE, Trump te­ria ins­truí­do o em­bai­xa­dor – um ri­co em­pre­sá­rio do ra­mo ho­te­lei­ro e co­la­bo­ra­dor de sua cam­pa­nha – a ser a pon­te en­tre Trump e Ze­lens­ki. Son­dland in­te­ra­giu di­re­ta­men­te com Trump em mo­men­tos im­por­tan­tes, in­cluin­do an­tes e de­pois do te­le­fo­ne­ma, em ju­lho, pa­ra o ucra­ni­a­no.

Men­sa­gens de tex­to en­tre­gues ao Con­gres­so, na semana pas­sa­da, tam­bém mos­tram que Son­dland ela­bo­rou o ras­cu­nho de uma de­cla­ra­ção que o pre­si­den­te ucra­ni­a­no de­ve­ria di­vul­gar, em agos­to, se com­pro­me­ten­do com as in­ves­ti­ga­ções so­bre Bi­den em tro­ca de um en­con­tro com Trump nos EUA.

On­tem, a Ca­sa Bran­ca dis­se que en­vi­a­rá uma car­ta à pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, a de­mo­cra­ta Nancy Pe­lo­si, di­zen­do que não pre­ten­de li­be­rar tes­te­mu­nhas e do­cu­men­tos no inqué­ri­to de im­pe­a­ch­ment. Os ad­vo­ga­dos de Trump ar­gu­men­tam que Pe­lo­si não se­guiu o pro­to­co­lo e de­fen­dem que um pro­ces­so só po­de­ria ser aber­to após vo­ta­ção em ple­ná­rio – os de­mo­cra­tas di­zem que não é pre­ci­so.

Pes­qui­sas. Uma no­va pes­qui­sa di­vul­ga­da on­tem mos­tra que o apoio ao im­pe­a­ch­ment cres­ceu den­tro da ba­se elei­to­ral de Trump, um si­nal de que o apoio ao pre­si­den­te po­de es­tar se de­te­ri­o­ran­do. Se­gun­do a son­da­gem Washing­ton Post-Schar Scho­ol, 28% dos re­pu­bli­ca­nos de­fen­dem o inqué­ri­to e 18% apoi­am a des­ti­tui­ção – em ju­lho, ape­nas 7% de­fen­di­am a abertura de inqué­ri­to. Quan­do in­cluí­dos de­mo­cra­tas e in­de­pen­den­tes, 58% ago­ra apoi­am a in­ves­ti­ga­ção e 49%, a des­ti­tui­ção.

DOUG MILLS/THE NEW YORK TIMES–10/7/2018

Bar­ra­do. Gor­don Son­dland, em­bai­xa­dor dos EUA na UE

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.