Bol­so­na­ro ata­ca PSL e es­tu­da tro­car de par­ti­do

Pre­si­den­te con­ver­sa com a UDN, si­gla em for­ma­ção, e po­de le­var 15 de­pu­ta­dos fe­de­rais e dois se­na­do­res do PSL

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - / RENATO ONOFRE, CAMILA TURTELLI, MA­RI­A­NA HAUBERT, PE­DRO VENCESLAU e PAULA REVERBEL

In­sa­tis­fei­to com a di­fi­cul­da­de pa­ra con­tro­lar a le­gen­da e seus di­re­tó­ri­os, Jair Bol­so­na­ro ata­cou on­tem o PSL, si­gla pe­la qual foi elei­to pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, e in­di­cou que po­de­rá mu­dar de par­ti­do. Bol­so­na­ro ava­lia di­ver­sos ce­ná­ri­os po­lí­ti­cos. In­ter­lo­cu­to­res do pre­si­den­te têm con­ver­sa­do com a União De­mo­crá­ti­ca Na­ci­o­nal (UDN), em fa­se de re­gis­tro co­mo par­ti­do no Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral (TSE). A saí­da de Bol­so­na­ro já é da­da co­mo cer­ta pe­la cú­pu­la do PSL, que te­me per­der dois se­na­do­res e até 15 de seus 53 de­pu­ta­dos fe­de­rais. O con­fli­to do pre­si­den­te com a cú­pu­la do PSL fi­cou evi­den­te on­tem, após ele ser abor­da­do, di­an­te do Pa­lá­cio da Al­vo­ra­da, por um apoi­a­dor que dis­se ser pré-can­di­da­to da le­gen­da no Re­ci­fe. Bol­so­na­ro pe­diu a ele pa­ra “es­que­cer” o PSL e afir­mou que o de­pu­ta­do Lu­ci­a­no Bi­var (PE), pre­si­den­te do par­ti­do, “es­tá quei­ma­do pa­ra ca­ram­ba”.

O pre­si­den­te Jair Bol­so­na­ro ata­cou on­tem o PSL, par­ti­do pe­lo qual se ele­geu, no ano pas­sa­do, e in­di­cou que po­de­rá mu­dar de si­gla. O mo­ti­vo da in­sa­tis­fa­ção é a di­fi­cul­da­de da fa­mí­lia Bol­so­na­ro pa­ra con­tro­lar a le­gen­da e seus di­re­tó­ri­os re­gi­o­nais, que não acei­tam a im­po­si­ção dos no­mes do gru­po. Mes­mo ra­cha­do, o par­ti­do te­rá na pró­xi­ma cam­pa­nha a mai­or fa­tia dos fun­dos pú­bli­cos usa­dos pa­ra fi­nan­ci­ar can­di­da­tos – es­ti­ma­da em R$ 400 mi­lhões –, por­que foi o mais vo­ta­do na dis­pu­ta de 2018, na es­tei­ra da elei­ção de Bol­so­na­ro.

A saí­da do pre­si­den­te, po­rém, já é da­da co­mo cer­ta pe­la cú­pu­la do PSL, que te­me uma de­ban­da­da. Di­ri­gen­tes do par­ti­do ou­vi­dos pe­lo Es­ta­do afir­mam que o pre­si­den­te po­de le­var até 15 dos 53 de­pu­ta­dos fe­de­rais, além de dois dos três se­na­do­res – Flá­vio Bol­so­na­ro (RJ) e So­raya Th­ro­nic­ke (MS).

Em­bo­ra ain­da não te­nha de­fi­ni­do o seu des­ti­no, Bol­so­na­ro ava­lia vá­ri­os ce­ná­ri­os po­lí­ti­cos e de­se­ja um par­ti­do que pos­sa con­tro­lar, pa­ra im­pul­si­o­nar sua can­di­da­tu­ra à re­e­lei­ção, em 2022. A União De­mo­crá­ti­ca Na­ci­o­nal (UDN) já pe­diu re­gis­tro co­mo par­ti­do no Tri­bu­nal Su­pe­ri­or Elei­to­ral (TSE) e quer que o pre­si­den­te se fi­lie à si­gla.

“Es­ta­mos de bra­ços aber­tos pa­ra a fa­mí­lia Bol­so­na­ro”, dis­se Mar­cus Al­ves de Sou­za, pre­si­den­te da UDN. O Es­ta­do apu­rou que o di­ri­gen­te da si­gla em for­ma­ção tem con­ver­sa­do com in­ter­lo­cu­to­res do clã Bol­so­na­ro.

O con­fli­to do pre­si­den­te com a cú­pu­la do PSL fi­cou evi­den­te on­tem após ele ser abor­da­do, di­an­te do Pa­lá­cio da Al­vo­ra­da, por um apoi­a­dor que dis­se ser pré-can­di­da­to da le­gen­da no Re­ci­fe. Bol­so­na­ro pe­diu a ele pa­ra “es­que­cer” o PSL e afir­mou que o de­pu­ta­do Lu­ci­a­no Bi­var (PE), pre­si­den­te do par­ti­do, “es­tá quei­ma­do pa­ra ca­ram­ba”.

O mi­li­tan­te es­ta­va gra­van­do um ví­deo quan­do Bol­so­na­ro fez o ape­lo que es­can­ca­rou a que­da de bra­ço no PSL. “Oh, ca­ra, não di­vul­ga is­so não. O ca­ra (Bi­var) es­tá quei­ma­do pa­ra ca­ram­ba lá. Vai quei­mar o meu fil­me tam­bém. Es­que­ce es­se ca­ra, es­que­ce o par­ti­do”, afir­mou o pre­si­den­te.

A ar­ti­cu­la­ção de Bol­so­na­ro ga­nha luz no mo­men­to em que par­ti­dos de cen­tro se ar­ti­cu­lam em tor­no da pos­sí­vel can­di­da­tu­ra do apre­sen­ta­dor de TV Lu­ci­a­no Huck à Pre­si­dên­cia.

Em fe­ve­rei­ro, o Es­ta­do re­ve­lou que o clã Bol­so­na­ro ne­go­ci­a­va mi­grar pa­ra a UDN, si­gla ex­tin­ta após o gol­pe mi­li­tar de 1964. Em abril, o advogado Mar­co Vi­cen­zo, ou­tro ar­ti­cu­la­dor da cri­a­ção do par­ti­do, pro­to­co­lou no TSE um pe­di­do de re­fun­da­ção da le­gen­da ale­gan­do a ne­ces­si­da­de de re­pa­rar “in­jus­ti­ças his­tó­ri­cas pra­ti­ca­das em des­fa­vor” do par­ti­do. Se acei­to, a le­gen­da po­de ser re­fun­da­da sem o pro­to­co­lo tra­di­ci­o­nal de cri­a­ção de um par­ti­do, des­car­ta­do por pes­so­as pró­xi­mas ao clã Bol­so­na­ro que con­si­de­ram in­viá­vel. A le­gen­da tam­bém mu­da­ria de no­me e pas­sa­ria a ser cha­ma­da de “Con­ser­va­do­res”. Ali­a­dos da fa­mí­lia di­zem que ou­tra op­ção é o Pa­tri­o­ta, par­ti­do que che­gou a ne­go­ci­ar com Bol­so­na­ro an­tes das elei­ções.

Li­ga­ção. Por te­le­fo­ne, Bol­so­na­ro exi­giu de Bi­var, an­te­on­tem, o co­man­do do PSL. Dis­se que, ca­so a si­tu­a­ção con­ti­nu­as­se co­mo es­tá, dei­xa­ria o par­ti­do. Bi­var re­cu­sou o ul­ti­ma­to. O de­pu­ta­do con­tro­la o PSL des­de 1994, quan­do a si­gla ain­da era na­ni­ca.

Nos bas­ti­do­res, Bi­var acu­sa o de­pu­ta­do Edu­ar­do Bol­so­na­ro (SP), fi­lho “03” do pre­si­den­te, de ten­tar “dar um gol­pe” pa­ra des­ti­tuí-lo. Che­gou a di­zer até mes­mo que Edu­ar­do in­cen­ti­vou a con­fec­ção de uma lis­ta pa­ra an­te­ci­par a elei­ção in­ter­na no par­ti­do.

O gru­po po­lí­ti­co li­ga­do a Bi­var di­vul­gou on­tem um ma­ni­fes­to exal­tan­do a im­por­tân­cia do par­ti­do nas elei­ções de 2018.

Con­vo­ca­ção de mi­nis­tro

A Co­mis­são de Trans­pa­rên­cia do Se­na­do apro­vou pe­di­do pa­ra con­vo­car o mi­nis­tro Marcelo Ál­va­ro Antô­nio (Tu­ris­mo), de­nun­ci­a­do no ca­so de can­di­da­tu­ras la­ran­jas em cam­pa­nhas do PSL em Mi­nas.

De­fen­deu, ain­da, a re­dis­tri­bui­ção de pos­tos de co­man­do da le­gen­da nos mu­ni­cí­pi­os.

Na prá­ti­ca, a me­di­da po­de des­fa­zer ar­ran­jos im­pos­tos no Rio pe­lo se­na­dor Flá­vio Bol­so­na­ro, fi­lho pri­mo­gê­ni­to do pre­si­den­te, e, em São Pau­lo, por Edu­ar­do. Em São Pau­lo, di­ri­gen­tes re­gi­o­nais fo­ram à Jus­ti­ça pa­ra re­ver­ter atos de Edu­ar­do. No Rio, Flá­vio te­ve de re­cu­ar da de­ci­são de ex­pul­sar fi­li­a­dos com car­gos no go­ver­no de Wil­son Wit­zel (PSC) – que tem cri­ti­ca­do o go­ver­no fe­de­ral (mais in­for­ma­ções nes­ta pá­gi­na).

No do­cu­men­to di­vul­ga­do on­tem, ali­a­dos de Bi­var afir­ma­ram que ele aten­deu a to­dos os pe­di­dos de Bol­so­na­ro em 2018. Lem­bra­ram que o de­pu­ta­do che­gou a se afas­tar da pre­si­dên­cia do par­ti­do – na épo­ca, qu­em as­su­miu o co­man­do do PSL foi Gus­ta­vo Be­bi­an­no, a pe­di­do de Bol­so­na­ro. Be­bi­an­no foi em­pos­sa­do mi­nis­tro da Se­cre­ta­ria-Ge­ral da Pre­si­dên­cia, mas caiu após atri­to com Car­los Bol­so­na­ro, o fi­lho “02” do pre­si­den­te.

“Se Bi­var não ti­ves­se aber­to as por­tas, o pre­si­den­te fa­tal­men­te não te­ria ti­do le­gen­da pa­ra con­cor­rer em 2018”, afir­mou o de­pu­ta­do Jú­ni­or Boz­zel­la (SP), sig­na­tá­rio do ma­ni­fes­to em fa­vor de Bi­var. Os apoi­a­do­res do de­pu­ta­do or­ga­ni­za­ram um jan­tar em de­sa­gra­vo a ele on­tem, em Bra­sí­lia.

Bi­var ti­rou das mãos da de­pu­ta­da Bia Ki­cis (DF), ali­a­da do pre­si­den­te, o co­man­do da le­gen­da no Dis­tri­to Fe­de­ral, e pre­pa­ra o rom­pi­men­to do con­tra­to da advogado elei­to­ral Ka­ri­na Ku­fa, que cui­dou da cam­pa­nha de Bol­so­na­ro e é di­re­ta­men­te li­ga­da a Edu­ar­do.

A pos­si­bi­li­da­de de uma de­ban­da do PSL es­tá no ra­dar de Bi­var des­de de agos­to, quan­do a pre­si­den­te do Po­de­mos, a de­pu­ta­da fe­de­ral Re­na­ta Abreu (SP), ten­tou apro­var uma emen­da pa­ra per­mi­tir um no­vo pe­río­do de ja­ne­la par­ti­dá­ria. Com is­so, au­to­ri­za­va par­la­men­ta­res a tro­car de le­gen­da sem pu­ni­ções. Na oca­sião, Bi­var con­vo­cou ou­tros di­ri­gen­tes de par­ti­dos, en­tre eles Pau­li­nho da For­ça (So­li­da­ri­e­da­de) e Mar­cos Pe­rei­ra (Re­pu­bli­ca­nos), pa­ra dis­cu­tir a pro­pos­ta. Mas ar­ti­cu­lou a der­ru­ba­da do pro­je­to, evi­tan­do a pos­si­bi­li­da­de da des­fi­li­a­ção em mas­sa.

Lí­der do PSL no Se­na­do, Ma­jor Olim­pio (PSL-SP) dis­se não ver Bol­so­na­ro sain­do do par­ti­do. “Eu re­al­men­te es­tou per­ple­xo com a ma­ni­fes­ta­ção do pre­si­den­te”, afir­mou ele. “É co­mo al­guém mo­rar so­zi­nho e fu­gir de ca­sa. O PSL é o úni­co par­ti­do 110% fi­el ao pre­si­den­te, em to­das as vo­ta­ções.”

JO­SÉ CRUZ/AGÊN­CIA BRA­SIL

Si­nal. Bol­so­na­ro cum­pri­men­ta apoi­a­do­res no Al­vo­ra­da após cri­ti­car o pre­si­den­te do PSL

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.